quarta-feira, 16 de abril de 2014

José Wilker - Um Ídolo Felomenal "


José Wilker

José Wilker de Almeida nasceu em 20 de agosto de 1944, em Juazeiro do Norte (CE), e lá viveu até os 14 anos de idade, quando partiu para Fortaleza, a fim de começar sua carreira no rádio.

Ao 19 anos de idade, ele chegou ao Rio, sem um tostão furado, como gostava de contar. Cursou sociologia, mas abandonou para se dedicar exclusivamente ao teatro. Sua voz inconfundível, seu jeito de olhar e o sorriso cínico conferiram a Wilker uma galeria de personagens marcantes, no teatro, cinema e na TV. Foram quase 70 filmes, dezenas de peças de teatro e na TV, além de casos especiais e pequenas participações, mais de 30 novelas e dez miniséries.

Desde sua estreia no filme "A Falecida" (1965), o ator não parou mais. E fez personagens memoráveis no cinema, como o Vadinho de "Dona Flor e seus dois Maridos" (1976), o artista mambembe Lorde Cigano, de "Bye Bye Brasil (1979), e protagonizou "O Homem da Capa Preta" (1985). Um dos seus últimos longas, "Isolados", está em pós-produção. Escrito por sua filha, Mariana Vielmond, o filme só deve estrear em agosto.

O ator era apaixonado por cinema e em sua casa tinha um porão com mais 4 mil filmes, que doou ao acervo da Globo. Já na TV estreou na novela "Bandeira 2" (1971). E entre seus personagens mais marcantes estão Martinho, de Os Ossos do Barão (Globo, 1973); Mundinho Falcão, em Gabriela (Globo, 1975) - em 2012 participou do remake, onde interpretava Jesuíno); Rodrigo Medeiros, de Anjo Mau (1976); o Coronel Belarmino, de Renascer (1993); e o "felomenal" Giovanni Improtta, de Senhora do Destino (2005), entre tantos outros.

A sua última novela foi "Amor à Vida", de Walcyr Carrasco, na qual fazia o papel do médico Herbrert.

Como diretor, deixou sua marca em programas como o humorístico "Sai de Baixo" (1996) e as novelas "Louco Amor" (1983), de Gilberto Braga, e "Transas e Caretas" (1984), de Lauro César Muniz. 

Na TV Manchete, ele chegou a dirigir duas novelas em que também atuava:" Carmem" (1987), de Gloria Perez, e "Corpo Santo" (1987), de José Louzeiro.


Por Roseane Santos e Raquel Borges
Na página Saudade...

Publicado na revista TiTiTi
Edição: 11/04/2014 Ano 16 Nº 813
Fotos: AgNews.


Nenhum comentário:

Postar um comentário