terça-feira, 13 de junho de 2017

Cássia Kis

Uma carreira batalhada - A veterana Cássia Kis passou por muitos 'perrengues' antes de se filmar como a talentosa e reconhecida artista querida do público.Livre de vaidades, a atriz trilhou uma carreira repleta de personagens marcantes

 Cássia Kis
Problemas da vida

A vida demorou a sorrir para Cássia Kis, a Djanira de A Regra do Jogo. O difícil relacionamento com os pais fez com que a atriz fosse expulsa de casa aos 15 anos. De peito aberto, a então adolescente de origem humilde não fugiu à luta. Deixou sua cidade natal, São Caetano do Sul (SP), e foi para a capital onde trabalhou como vendedora de loja e secretária. Quando se mudou para o Rio de Janeiro, em 1981, aos 32 anos e passou por muitas dificuldades, já apaixonada pela arte de representar, chegou a morar na rua,chegando a dormir em banco de praça e limpar banheiros para conseguir se sustentar. Mas um poeta lhe deu abrigo e, aos poucos, a jovem que vendeu sanduíche natural nas praias cariocas para sobreviver foi transformando o seu destino. Começou a cursar teatro.Cássia chegou a prestar vestibular para História e Matemática, mas foi o teatro que a conquistou.Ainda jovem, fez cursos de interpretação e participou de um grupo amador. A situação começou a mudar quando um amigo indicou Cássia para a série Tio Maneco, na TV Educativa. 

Agarrou a chance

1984 - Livre para Voar

Na novela Livre para Voar
Em 1984, fez o seu trabalho de estreia na TV em Livre para Voar. Apesar do papel de coadjuvante – Verona (Cássia Kis) mora em uma república sustentada pela fábrica de cristais. Foi a primeira a ser acolhida no espaço e, por isso, sente-se com mais direitos do que as outras garotas. É a que toma conta, dita ordens e estabelece horários. Cássia brilhou. "Lembro do meu entusiasmo, pulei de felicidade. Agarrei a personagem numa entrega absoluta", confessou ao site da Globo. Depois os trabalhos não pararam mais... Cássia  fez papeis marcantes, como Lulu das Medalhas, em Roque Santeiro.
A veterana esteve ainda em outro sucesso da TV, Pantanal, na Manchete, quando viveu a mãe de Juma Marruá. A partir daí, os dias difíceis ficaram definitivamente para trás.

1985 - Roque Santeiro
 Na novela Roque Santeiro
A primeira novela a dar maior projeção à atriz foi Roque Santeiro (1985). Na trama antológica, interpretou Lulu, mulher de Zé das Medalhas (Armando Bogus) e conhecida em Asa Branca como a menina que, supostamente, ficou curada de uma doença grave graças a um milagre de Roque Santeiro (José Wilker). Reprimida pelo marido, Lulu vivia praticamente como uma prisioneira dentro da sua própria casa.

1987 - Brega e Chique
Na novela Brega e Chique
 Se em Roque Santeiro, Cássia fez uma mulher submissa, em Brega e Chique (1987) ela 'viveu' a situação oposta. Na pele da ousada Silvana morava sozinha, era independente financeiramente e ainda tinha um romance com João Antônio (Jayme Periard), um homem casado.

1988 - Vale Tudo
Como Leila em Vale Tudo
Estudou psicologia, mas nunca conseguiu se enquadrar de maneira sólida no terreno profissional. Depende financeiramente do marido. Casa-se com Marco Aurélio (Reginaldo Faria) e vira dona de casa de marido rico, uma “profissão” em desuso, mas que será vista sem preconceitos.

Drama e ambição 

1990 - Pantanal

Como Maria Marruá em Pantanal
A veterana esteve ainda em outro sucesso da TV, Pantanal, na Manchete, quando interpretou Maria Marruá.a, mãe de Juma Marruá. A partir daí, os dias difíceis ficaram definitivamente para trás.

1990 - Barriga de Aluguel

Como Ana em Barriga de Aluguel
Na novela Barriga de Aluguel par romântico com Victor Fasano,
Cássia também fez parte de um dos maiores sucessos do horário das 18h, Barriga de Aluguel (1990). Na pele da ex-jogadora de vôlei  Ana, a atriz levou ao público a dor da mulher que não podia gerar um filho biológico e que, para realizar o sonho de ser mãe, apelou para uma barriga de aluguel, Clara (Claudia Abreu). Essa decisão fez com que Ana vivesse um drama sem tamanho, já que Clara se recusou a entregar o bebê depois do parto. Até o casamento com Zeca (Victor Fasano) ficou abalado diante de tantos problemas. Cássia e Claudia dividiram e emocionaram o país, que se viu diante da questão: mãe é a dona do óvulo ou aquela que gerou o bebê?


1993/1994 - Fera Ferida

Como Ilka Tibiriçá em Fera Ferida
Engraçada e fogosa dona Ilka Tibiriçá, de Fera Ferida Ilka Tibiriçá trabalha como secretária na prefeitura e vive de mexericos. É virgem e completamente histérica. Vive pedindo desculpas, exagerando nas gentilezas, mas isso é apenas um cacoete e não há muita sinceridade nos seus gestos. Lá pelas tantas, descobrem que é ela quem escreve, publica e financia um jornaleco que, de vez em quando, circula pela cidade revelando os podres de alguém.


1997 - Por Amor

Como Isabel em Por Amor 
Outro grande momento da atriz na TV foi em Por Amor (1997), de Manoel Carlos. Executiva dedicada, Isabel amava Atílio (Antonio Fagundes), com quem teve um caso no passado, e era amante de Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella). Ambiciosa, passava por cima de quem cruzasse o seu caminho para se tornar ainda mais rica e poderosa. 

Vilania e comoção

2001 - Porto dos Milagres

Como Adma em  Porto dos Milgres
Em Porto dos Milagres (2001), Cássia deu vida a uma vilã para ninguém botar defeito. Cruel ao extremo, Adma matava sem dó nem piedade, usando o veneno que guardava em seu anel.Assassina fria, calculista e pragmática chegava a dar calafrios, era capaz de qualquer coisa para manter Félix (Antonio Fagundes) ao seu lado. 

2007 - Eterna Magia

Como Zilda em Eterna Magia
Na novela Eterna Magia, com um visual diferente, Cássia viveu a malvada e ambiciosa Zilda.
É uma mulher orgulhosa e vaidosa, sendo muito frustrada por ter passado a vida em Serranias. Possui poderes de feiticeira, mas esconde de todos que os usa para o mal. É curadora do Museu das Bruxas, dona da loja “Um Toque de Magia”, onde estão à venda lembrancinhas da cidade e pedras da região, e se diz cética quanto à existência de magias.

2009 - Paraíso

Como Mariana em Paraíso
Cássia Kiss foi o destaque em Paraíso (Globo), quando deu vida à Mariana, a mãe possessiva de Maria Rita (Nathália Dill).

2010 - Escrito nas Estrelas

Como Francisca em Escrito nas Estrelas
Em Escrito nas Estrelas (Globo), de 2010, a atriz era Francisca, o espírito da mãe de Daniel (Jayme Matarazzo), que o auxiliava e lhe dava conselhos após morrer e virar um espírito também.

2011 - Morde e Assopra 
Como Dulce em  Morde e Assopra
Já em Morde e Assopra (2011)a estrela interpretou uma mulher que era a bondade em forma de gente. A humilde Dulce era faxineira de um hotel e ainda vendia cocadas na praça para complementar a renda. E, em vez de ser vista com orgulho pelo filho, era constantemente humilhada pro Guilherme (Klebber Toledo), que tinha vergonha da mãe. O olhar puro de Dulce comoveu os telespectadores do folhetim, exibido às 19h.

2012 - Amor Eterno Amor

Como Melissa em Amor Eterno Amor
Em Amor Eterno Amor (Globo), Cássia Kiss é a perversa vilã Melissa, que foi capaz de separar o sobrinho ainda criança de sua irmã Verbena (Ana Lucia Torre). A personagem é super perua!

2014 -  O Rebu

Como Gilda na série  O Rebu
Em O Rebu, a mãe de Valentina (Olivia Torres) e Michel(Michel Noher), a austera milionária Gilda é a diretora jurídica da Mahler Engenharia. Passou a ser o braço direito de Angela (Patricia Pillar) quando esta assumiu a presidência depois da morte do marido. Antes, quem ocupava o cargo era Bernardo (José de Abreu), com quem ela mantém um casamento de aparência. Por conta disso, ela e o marido passaram a viver às turras. Ambos têm amantes. No caso dela, a traição se dá com Bruno (Daniel de Oliveira).

2015 - A Regra do Jogo

Como  Djanira em A Regra do Jogo 
Em A Regra do Jogo, Cássia é Djanira, uma mulher do povo, mas que tem um passado obscuro e que, certamente, guarda muitos segredos. E claro, para variar, está roubando a cena!

2017 - Os Dias Eram Assim
Como Vera Reis em Os Dias Eram Assim
Cássia Kiss e Gabriel Leone
Vera Reis é uma viúva dona da loja de discos e livros Egalitè. Muito religiosa amarga o fato de ter perdido o marido no ano do Golpe de 64 e ficará com a saúde fragilizada.

Na telinha

1984  - Livre para Voar
Verona
1985 - Roque Santeiro
Lugolina de Aragão (Lulu)
1987 - Brega e Chique
Silvana
1990 - Pantanal
Maria Marruá.
1990 - Barriga de Aluguel
Ana Lúcia
1993/1994 - Fera Ferida
Ilka Tibiriçá
1997 - Por Amor
Isabel Lafayete

2001 - Porto dos Milagres
Adma
2007 - Eterna Magia
Zilda
2009 - Paraíso
Mariana
2010 - Escrito nas Estrelas
Francisca
2011 - Morde e Assopra
Dulce de Lima
2012 - Amor Eterno Amor
Melissa
2014 - O Rebu
Gilda Rezendo
2015 - A Regra do Jogo
Djanira
2017 - Os Dias Eram Assim
Vera

Por Cristina Souza

Publicado na revista TV Brasil n/n 815
Fotos: Globo/Divulgação - ay.by-www.ligeirinhodoradio.com-Patrícia Kogut

Dona Xepa


Yara Cortes 
Uma vida de muita luta - Dona Xepa, exibida no final da década de 70, mostrava a batalha de uma mãe para criar seus filhos e o desprezo que sentiam por ela.
Yara Cortes, Reynaldo Gonzaga e Nívea Maria
Há 40 anos, a novela Dona Xepa, considerada um clássico da teledramaturgia nacional, estreava na Globo. A trama de Gilberto Braga foi inspirada em uma peça de Pedro Bloch e contava a história de Carlota Soares da Costa, a Dona Xepa (Yara Cortes), uma humilde mulher que trabalhou durante toda a vida como feirante para dar um futuro melhor aos filhos Edson (Reynaldo Gonzaga) e Rosália (Nívea Maria). Abandonada pelo marido, Xepa criou os dois sozinha e, batalhadora, acordava às duas horas da manhã para comprar mercadorias e montar sua banca. 

Tudo pelos filhos
Yara Cortes e Reinaldo Gonzaga
Yara Cortes se consagrou como a feirante sofrida. Na foto, ao lado de Reinaldo Gonzaga, o filho Edson.
Apesar de todo esforço, Xepa levou um grande revés da vida quando seus herdeiros, depois de conseguirem estudar e alcançarem um nível mais elevado, se afastaram da mãe com vergonha da origem humilde da senhora.Edson aproveitou o esforço da feirante, estudou, se formou e sonhava em ser escritor. O jovem ganhou um prêmio num concurso de contos e começou , então sua escalada profissional. Só pensava em se mudar da vida em que moravam, mas queria viver sozinho, para desespero de Xepa. 

A filha interesseira

Rubens de Falco e Nívea Maria
Heitor e a ambiciosa filha de Xepa, Rosália, que se casou com ele por dinheiro.
Rosália era uma jovem ambiciosa e interesseira, que só pensava em se casar com um milionário. E ela conseguiu seu intento ao se unir com Heitor (Rubens de Falco), enteado da grã-fina Glorita (Ana Lúcia Torres) e filho do falido Raul  (Antônio Patino).

Ana Lúcia Torres
A socialite esnobe Glorita, vivida por Ana Lúcia Torres. Na trama, a personagem só humilhava Dona Xepa.
Depois do casamento, Xepa mal conseguia ver a moça, já que Glorita impedia a entrada dela na casa e Rosália também tinha vergonha da mãe.
Dionísio Azevedo
Ao se sentir abandonada pelos filhos, Xepa contou com o apoio de Agenor (Dionísio Azevedo), que era seu vizinho e estava sempre pronto para ajudar a veterana. 

Emocionante homenagem

Yara Cortes e Reinaldo Gonzaga
No final da trama, a feirante viveu momentos inesquecíveis e, finalmente teve toda sua luta reconhecida através do filho, Edson, que se redimiu com a mãe. Ele conseguiu se transformar em um autor de teatro e escreveu uma peça sobre a vida de Xepa. O espetáculo fez grande sucesso e, na estreia, a feirante se emocionou ao ser homenageada no palco e aplaudida. 

Yara Cortes

Já a malvada Rosália não gostou do gesto do irmão e se revoltou. A garota ambiciosa acabou a trama viúva, após Heitor morrer em um acidente de carro. Mesmo assim, não perdeu a pose, começou a trabalhar como modelo e continuou morando na casa de Glorita com a filha, Maria Carolina,que irá fazer de tudo para afastar Xepa da neta, considerando sua presença prejudicial à menina.

Ficha técnica

Emissora: Rede Globo
Exibição: 24/05/77
Capítulos:132
Horário: 18h
Autor: Gilberto Braga

Texto: Flavia Serra

Curiosidade:

Dona Xepa foi a recordista de audiência das 18h na época e a primeira trama contemporânea da faixa, que só havia exibido, até então, grandes clássicos da literatura.

Publicado na revista TV BRasil n/n 897
Fotos: UOL TV e Famosos-Divulgação/Reprodução.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Isabelle Drummond

Isabelle Drummomd 
Na televisão desde criança
A talentosa Isabelle Drummomd cresceu em frente às câmeras e se transformou em uma dedicada e querida pelo público.Ela tem apenas 23 anos e já está protagonizando a sétima novela. Isabelle Drummomd , que vive a valente Anna em Novo Mundo, começou na TV muito cedo, aos seis anos, fazendo a primeira aparição em Laços de Família (2000). No ano seguinte foi a Rosicler, filha da personagem de Ana Paula Arósio na minissérie Os Maias.

2000Laços de Família 

Isabelle Drummomd
Isabelle sempre sonhou com a fama. A pequena estreou na TV, em 
2000, com uma participação na novela Laços de Família fazendo a primeira aparição, personagem Rachel.

2001 - Os Maias

Isabelle Drummomd
Ela foi a Rosicler, filha da personagem de Ana Paula Arósio, na minissérie, e chamou a atenção. Isabelle sempre sonhou com a fama. 

Uma boneca maluquinha

2001O Sítio do Picapau Amarelo
Isabelle Drummond

Quem não se lembra do jeitinho doce e espevitado da bonequinha Emília, em O Sítio do Picapau Amarelo, da Globo? Isabelle Drummond encantou o público com apenas 12 anos em 2001.Foi em O Sítio do Picapau Amarelo que Isabelle Drummond conquistou o Brasil na pele da espevitada boneca Emília. Mesmo com textos enormes, ela interpretava de forma brilhante e fez a personagem por seis anos seguidos.

2007 - Eterna Magia

Respirou novos ares e fez a menina Gina, na trama das seis.


2008 - A Favorita
Topou uma rápida participação na novela como a adolescente Carla.


2009 - Caras e Bocas

 Junto de Miguel Rômulo na novela Caras e Bocas como a divertida Bianca.
Depois passou a emendar um trabalho no outro, como na trama Caras e Bocas (2009) na pele da Bianca, que tinha o bordão "é a treva".

2011 - Cordel Encantado


Na trama das seis, Isabelle, viveu Rosa, uma menina simples que acreditava no amor.

2012 -Cheias de Charme
Isabelle Drummond, Leandra Leal e Taís Araujo
A atriz deu vida à Cida, personagem que fez muito sucesso! Ela virou a atual aposta da TV! A gata soltou o gogó como Maria Aparecida, uma das três empreguetes.Foi sua primeira protagonista. 



2013 -Sangue Bom

Concentrada na pele de Giane, ao lado de Marco Pigossi
Na TV desde pequena, Isabellle Drummond mostra agora, com a personagem Giane de Sangue Bom, que é uma atriz madura e talentosa. Aplausos para ela!Como a Giane de Sangue Bom, a morena demonstrou maturidade aos 19 anos. Ela vive uma personagem difícil, marcada pelo cabelo curtinho, amor ao futebol e pela personalidade forte. "Eu amo o que faço e vou me entregar para todos os papéis que eu topar", conta. 

2014 -Geração Brasil



Como a patricinha Megan Lily, ao lado de Humberto Carrão.


2015 - Sete Vidas


A parceria com o amigo Jayme Matarazzo é de longa data.. Sete Vidas marca a quarta vez em que os dois trabalham juntos.

2016/2017 - A Lei do Amor

Isabelle protagonizou a primeira fase de A Lei do Amor, como à Helô na juventude

2017 - Novo Mundo
Na trama ela vive um grande amor por Joaquim, personagem de Chay Suede.

Na telinha

2000 Laços de Família 
Rachel
2001 - Os Maias
Rosicler
2001 - O Sítio do Picapau Amarelo
A boneca Emilia
2007 - Eterna Magia
Gina
2008 - A Favorita
Carla
2009 - Caras e Bocas
Bianca
2011 - Cordel Encantado
Rosa
2012 - Cheias de Charme
Maria Aparecida
2013 - Sangue Bom
Giane
2014 - Geração Brasil
Megan
2015 - Sete Vidas
Júlia
2016 - A Lei do Amor
Heloísa
2017 - Novo Mundo
Anna
 A Bonequinha Virou Uma Gata Arrasa-Quarteirão!

Isabellle Drummond

Somente atriz

Isabelle (que no ano passado protagonizou a primeira fase de A Lei do Amor, como à Helô na juventude) tem um diferencial até curioso para os dias de hoje, já que vive - e é reconhecida - exclusivamente por seu trabalho na teledramaturgia. Isabelle nunca teve a intenção de ser uma it girl e, segundo informações do jornal Extra, é muito raro ver a moça fazendo post pagos em suas redes sociais ou propaganda na TV. Quando muito, faz agradecimentos a marcas que a vestem em eventos especiais. Também é difícil vê-la em presenças Vips em eventos ou baladas. O que Isabelle quer mesmo - e vem fazendo muito bem - é mostrar sua arte e seu talento como atriz."Quando você escolhe essa profissão, precisa entender que a relação com o publico é uma parte fundamental, afinal de contas, estamos dentro da casa deles quase todos os dias"(Isabelle Drummond falando sobre como lida com o assédio dos fãs.)


A seguir, conheça os passos da atriz e caia também nos encantos de Isabelle.

Fios curtinhos e lindos!

Acostumada a usar cabelão, Isabelle encarou a tesoura para encontrar o tom de sua atual personagem. "Sinto muita falta dos fios compridos, mas confesso que ganhei confiança com o novo corte", revela. "Uso xampu para dar volume, da marca Schwarzkopt. E brindo os fios com um protetor térmico, da John Frieda. Também faço hidratações no cabelo de vez em quando", conta. E as transformações da personagem servem de inspiração para atriz. Na tama, Giane tem jeito de moleque, mas, por amor a Bento (Marco Pigossi), adota um visual feminino. "Acho que a personagem enriqueceu quando provou que é uma mulher determinada. Aprendo muito com as experiências dela",diz.

No controle

Mesmo com corpinho de modelo, Isabelle diz que não é muito vaidosa nem joga futebol, como sua atual personagem. Ela prioriza a paz de espírito. Mas, claro, toma os cuidados necessários para manter tudo no lugar, com aulas de ioga e corrida. E mais: assume que controla - e muito - a alimentação. "Só me permito comer uma besteira aos fins de semana",  diz. Em entrevista à revista ESTILO, em junho, Isabelle contou que é exemplo de vida saudável nos bastidores: "sou a consultora de nutrição da Sophie Charlotte, minha colega de cena. Levo cereais e pólen para a gravação", conta.

Jaquetinha curinga

Com o passar do tempo, a atriz ganhou estilo e personalidade no look. "Gosto do estilo clássico, com peças básicas", diz. No armário da moça tem sempre peças jeans, roupas pretas e em tons de nude. E reforça: " uma jaqueta de couro é a peça curringa da minha vida!".

De olho no divã

Com a trajetória indo muito bem, Isabelle não pensa no dia de amanhã. "Espero fazer papéis que me desafiem e que me façam crescer. Mas deixo as coisas acontecerem. Gostaria muito de fazer um remake!", conta. Uma faculdade na área de psicologia também está nos planos da atriz. "Tenho lido muito sobre o tema, gosto de psicanálise e de filosofia. Tenho vontade!", revela.

Sempre solteira?

Sobre a vida pessoal, Isabelle é caladinha. Ela nunca assumiu um namoro! Insistindo muito, a atriz deixa escapar que um homem precisa ser sensível e honesto para conquistá-la. E fofoca de bastidores: estão dizendo que ela é a nova namorada do jogador Pato. Será?A mãe da garota desmentiu tudo. O casal combina, né? Aguardamos os próximos capítulos...

Receita esperta

A bela tem na manga a cartada final para seu ritual de beleza: as famosas receitinhas caseiras - adoramos! "Uso gelo para fechar os poros e dar frescor à pele. É minha tática para aliviar as marcas de olheiras", conta. Os cremes preferidos dela são franceses e, sempre que está de folga, evita maquiagem. Isabelle investe apenas em um queridinho: o corretivo. "Quando estou com ar de cansada, passo uma camada e fico com a pele lisinha", falou para CONTIGO!, em junho.

Saudade do pai

Isabelle procura equilíbrio ao lado da mãe e da irmã. E convive com a lembrança do pai, assassinado em um assalto, em 2007. "Ficou uma lembrança gostosa, uma saudade eterna", declarou a GLOSS, em uma entrevista, no ano passado.
Ava Freitas

Publicado na revista VIVA!
2013/09/08.
Fotos; João Miguel Junior/TV Globo.- Tiago Prado/Matheus Cabral - e outros/TV Globo.   
 na revista TITITI
Edição de 20/03/2015 nº 862
Fotos: TV Globo/Divugação-www.youtube.com

Texto Flávia Serra
Publicado na revista TV Brasil n/n 896
Trajetória

Os Homens De Thalía

Confira alguns dos galãs que tiraram o sono das personagens da diva na telinha.
Thalía
Há 30 anos, Thalía estreava sua primeira novela, Pobre Senorita Limantour (1987). No ano seguinte, já protagonizou, ao lado de Adela Noriega, Meus Quinze Anos (1988). A diva fez apenas sete novelas, afinal, abandonou as tramas em 1999, mas nos brindou com seu charme e beleza em seus personagens. Que tal relembrar os galãs que balançaram os corações das personagens da atriz

1988Meus Quinze Anos
Geraldo

Rafael Rojas e Thalía
O rapaz era irmão de Marilu (Adela Noriega), a melhor amiga de Beatriz (Thalía). Malandro, Geraldo arma para conquistar a riquinha, a fim de se dar bem na vida e acaba engravidando a menina.

1992 - Maria Mercedes
Jorge Luis

Arturo Peniche e Thalía
Malvina (Laura Zapata) tentava afastar seu filho, Jorge, de Maria (Thalía), uma sofrida vendedora de bilhetes de loteria. Mas, no final, o amor venceu.

1994 - Marimar
Sergio 

Eduardo Capetillo e Thalía
O jogador de futebol era um sujeito mulherengo, que abandonou Marimar (Thalía) quando ela foi presa. Mas Sergio mudou totalmente de perfil ao descobrir que a moça teve uma filha dele.

1995 - Maria do Bairro
Luís Fernando
Fernando Colunga e Thalía
Completamente apaixonada pelo rapaz desde a adolescência, a terrível Soraya (Itali Cantora) fez de tudo para conseguir separar seu amado da humilde Maria (Thalía)

1999 - Rosalinda
Fernado José

Fernando Carrillo  e Thalía
O último homem de Thalía na TV foi Fernando. Enquanto Rosalinda (Thalía) era uma simples vendedora de flores, Fernando era um milionário.

Tommy Motolla e Thalía
Na vida real é casada com o  empresário Tommy Motolla

Por Thomaz Rocha

Publicado na revista Minha Novela
Edição de 2 de junho de 2017 n/n 926
X-TUDO Direto do México
Fotos: Divulgação-Wikipedia-NY Daily News