quarta-feira, 19 de julho de 2017

Explode Coração


Trama revolucionou ao abordar temas como um romance virtual entre os protagonistas em uma época que a internet era pouco difundida.
Paulo José, Leandra Leal e Eliane Giardini
No final de 1995, Glória Perez levou ao ar uma novela diferente para os padrões da época e colocou a cultura e as tradições ciganas em primeiro plano na trama Explode Coração.Paulo José e Eliane Giardini eram os pais de Dara, Jairo e Lola. Já Leandra Leal, ainda menina, fazia a lanca, irmã da cigana que só pensava em se casar logo. Alegre e ruidosa, como seu povo, e se apaixona-se loucamente por Igor (Ricardo Macchi). Irmã mais nova de Dara (Tereza Seiblitz) em Explode Coração, Ianca (Leandra Leal) só queria se casar na trama de Glória Perez, exibida em 1995. A menina não gostava de pensar nem na possibilidade de ficar solteirona. Isso porque na tradição cigana a mais nova só podia se casar depois da mais velha. A trama foi um dos primeiros trabalhos da atriz na TV.
Tereza Seiblitz e Ricardo Macchi

A história central girava em torno de Dara (Tereza Seiblitz), uma jovem cigana que tinha orgulho d suas origens, mas que se revoltava contra a falta de liberdade imposta por seu povo e por seu pai, Jairo (Paulo José). Dara estava prometida desde criança a Igor (Ricardo Macchi), cigano de outra família, mas ela não queria se casar com o rapaz e seu sonho era estudar e conhecer o mundo. 

Romance pela internet

 Edson Celulari e Tereza Seiblitz 
Dara fazia cursinho pré-vestibular (escondido da família) e iniciou um relacionamento pela internet com  poderoso empresário Júlio Falcão (Edson Celulari). Os dois se envolveram muito virtualmente, se conheceram pessoalmente e se apaixonaram, mas tiveram que enfrentar muitos obstáculos para viverem esse amor, principalmente, as tradições dos ciganos que não aceitavam'gente de fora'.
Ricardo Macchi
Sem saída, Dara acabou atendendo aos pedidos da família e se casou com Igor, mesmo estando grávida de Júlio. O tempo passou e a jovem não conseguiu se apaixonar pelo marido, nem esquecer seu grande amor. No último capitulo, Dara deu à luz seu filho com o empresário (cujo parto foi realizado na praia) e Igor ficou ao lado da cigana e tempo todo. No final, ele levou Dara e o bebê para se encontrarem com Júlio e só então o casal pode viver feliz, enquanto que Igor partiu para a Espanha.

A cigana Dara foi o papel mais marcante da carreira de Tereza Seiblitz, quena época tinha 31 anos.
Ricardo Macchi fez sua estreia na TV como protagonista do horário nobre e, devido sua atuação, recebeu críticas pesadas.
O saudoso Guilherm Karan era Bebeto, que sonhava ser estrela do rock.
Stênio Garcia era Pepe, homem duro, determinado e muito ligado às tradições.

Curiosidades

Explode Coração teve várias curiosidades, uma delas foi o fato de abordar a comunicação através da internet.

Naquele tempo (metade dos anos 90), a rede mundial de computadores era pouco difundida no Brasil e criou surpresa nos telespectadores o romance virtual entre Dara e Júlio.

Glória, sempre pioneira, contou que chegou a ser ridicularizada quando propôs falar sobre o assunto naquela trama. A autora conviveu com famílias ciganas antes de começar a escrever a novela e contou com a assessoria deles durante a atração. Na abertura da produção, a bailarina que aparecia de vermelho, fazendo movimentos da dança cigana era Ana Furtado, que depois fez novelas na Globo e hoje é uma das apresentadoras do programa É de Casa. 

Texto: Flavia Serra
Memória 

Publicado na revista TV Brasil n/n 901
Memória Globo - Veja - livrostecnicosul.blogspot.com

terça-feira, 18 de julho de 2017

Paraíso Tropical

Vale tudo por dinheiro um dos grandes sucessos da teledramaturgia, Paraíso Tropical foi uma novela ágil e cheia de reviravoltas que agitou a telinha, em 2007.
Entre vilões e mocinhos.A sede de poder marcou a trama principal com muita inveja, paixão e intrigas.
Crimes e revelações. Vilões são castigados no final da trama e segredos vêm à tona.

As gêmeas
Alexandra Negrini como Taís e Paula
Há dez anos, a obra de Gilberto Braga fazia barulho no horário nobre da Rede Globo. A trama de Paraíso Tropical tinha como certo a clássica história de duas gêmeas, Paula e Taís (Alexandra Negrini), uma boazinha e a outra perversa.


Tony Ramos,Fábio Assunção e Wagner Moura

O mocinho Daniel (Fábio Assunção) era o preferido do poderoso empresário Antenor (Tony Ramos) para substituí-lo nos negócios, no entanto, por ser filho do caseiro, despertava a inveja de Olavo (Wagner Moura), o sobrinho legítimo de Antenor. Ao longo da novela, o vilão fez tudo para acabar com a vida do rival!

Renée de Vielmond e Maria Fernanda Cândido
A ação de Paraíso Tropical se dividia entre o Rio de Janeiro e a fictícia Marapuã, na Bahia. Antenor Cavalcanti (Tony Ramos) era um empresário poderoso que tinha em Daniel Bastos (Fábio Assunção), filho do caseiro, seu sucessor nas empresas, já que seu único filho havia morrido. Casado com Ana Luísa (Renée de Vielmond), Antenor era amante de Fabiana (Maria Fernanda Cândido), advogada do Grupo Cavalcanti e, decidido a expandir seus negócios, o empresário resolveu investir no ramo de resorts. Para isso, enviou Daniel à Bahia, para que ele fechasse novas parcerias. O que Daniel não desconfiava é que era alvo da inveja de Olavo (Wagner Moura), sobrinho de Antenor e diretor do grupo. O vilão não se conformava da preferência do tio pelo rapaz e tentava, a todo custo, difamar a reputação de Daniel perante o empresário.

Armações 

Fábio Assunção

Em viagem de negócios à Bahia, Daniel se apaixonou por Paula, mas Olavo estragou o romance, fazendo a moça acreditar que o amorado tinha tido uma noite de orgia com uma garota de programa menor de idade. Paula terminou com o executivo, Daniel foi parar na prisão e Olavo comemorou.


Suzana Vieira 
Em “Paraíso Tropical”, a personagem de Suzana Vieira quebra todas as regras do que normalmente se espera de uma mãe.

Após se decepcionar com o namorado, Paula sofreu com a morte da mãe que, antes de falecer, revelou que não era mãe verdadeira da jovem e que ela tinha um avô no Rio (Othon Bastos)e devia procurá-lo.Paula foi para o Rio encontrar o avó e descobriu anda que tinha uma irmã gêmea. Taís, acreditando que a 'maninha' era boa pessoa. Após muitos desencontros e de confundir Paula com Taís, Daniel conseguiu encontrar a amada e fazer as pazes com ela. Os dois marcaram casamento , mas Taís tentou matar a irmã para tomar seu lugar ao lado do executivo.No dia da cerimônia, a vilã jogou a 'maninha' no mar e se casou com o rapaz. Paula foi salva por Olavo mas foi levada para um manicômio. 

 Paixão arrebatadora

 Alessandra Negrini e Fábio Assunção: par romântico em Paraíso Tropical

Apesar da próspera carreira, o maior sonho de Daniel (Fábio Assunção)era encontrar um grande amor, comprar um pequeno hotel em uma cidadezinha afastada do Rio de Janeiro e por lá viver com sua mulher e futuros filhos. Em Marapuã, o jovem empresário conheceu Paula Viana (Alexandra Negrini), filha de Amelia (Suzana Vieira), dona do prostíbulo que estava instalado nas terras que Antenor comprou para construir seu resort. Paula e Daniel logo se apaixonam, mas Olavo (Wagner Moura) com sua sede de vingança, destruiu o romance dos dois.



A revelação

Alessandra Negrini como Paula e Taís
Abalada com a ameaça de fechamento de seu negócio, Amélia ficou muito doente mas, antes de morrer, revelou à Paula que não era sua mãe verdadeira e que a jovem tinha um avô vivo. Ao mexer nos pertences da mãe, a bela encontrou uma caixa com fotos e papéis que indicavam pistas do avô. A mocinha, então, decidiu ir para o Rio de Janeiro em busca de sua origem. O que ela nem imaginava é que tinha uma irmã gêmea, Taís (Alessandra Negrini) que fez um verdadeiro inferno em sua vida.

Crime e castigo
Camila Pitanga) e Wagner Moura
Para destruir Daniel e acabar com seu romance com Paula, Olavo contou com a ajuda da prostituta Bebel (Camila Pitanga), uma mulher linda e ambiciosa. Depois de um plano arquitetado pelo vilão,que forjou uma conta no exterior e incriminou o mocinho. Daniel foi acusado de fazer orgia em seu quarto de hotel e acabou na cadeia. Seu único álibi era Paula, com quem havia passado a noite. Mas a moça caiu na intriga de Olavo, deixou de acreditar no namorado e não o ajudou.Daniel também descobriu que estava casado com a gêmea má, jurando, então, desmascarar todos os seus inimigos. Após descobrir o paradeiro de sua amada Paula e regatar a moça, a polícia passo a procurar por Taís, que logo foi assassinada.  

 Fábio Assunção 

Depois de se livrar da cadeia, Daniel (Fábio Assunção) voltou para o Rio de Janeiro sem entender o que aconteceu com Paula (Alessandra Negrini)). Quando viu Taís (Alessandra Negrini) na rua o jovem empresário se empolgou e achava que tinha reencontrado a amada. Só que com a rispidez que a moça o tratou, Daniel concluiu que ela só podia ser a irmã gêmea de Paula. Sem saber o perigo que corria, o executivo se aproximou da vilã, que vivia com o avô Isidoro (Othon Bastos), e a quem rejeitava por seu modo simplório de viver. Após a morte da mãe, Paula foi para o Rio em busca de suas raízes e encontrou Isidoro, o avô que desconhecia ter. Quando conheceu a irmã, Paula acreditou piamente que Taís era uma boa pessoa. Depois de muitos desencontros, Daniel finalmente conseguiu reencontrar Paula e tentou convencer a amada que os dois foram vítimas de ciladas tanto da parte de Olavo (Wagner Moura) quanto de Taís.



Trágico desfecho


 Alessandra Negrini e Bruno Gagliasso viveram um casal de golpistas
Ivan (Bruno Gagliasso), cúmplice de Taís e irmão de Olavo foi um dos suspeitos, mas foi o vilão quem matou a moça após descobrir que Ivan era filho de Antenor. Bebel foi presa por se envolver nos crimes de Olavo e o vilão, por sua vez, tirou a vida de Ivan que, antes de morrer, também atirou e matou Olavo. 

Quem matou Taís?

Wagner Moura
Daniel conseguiu resgatar Paula, que voltou ao Rio de Janeiro fingindo ser a irmã. Taís. Desmascarada e procurada pela polícia, a gêmea má procurou ajuda de Antenor (Tony Ramos). Foi o executivo quem pagou a vilã para separar Paula e Daniel.Na hora do aperto, Taís ameaçou contar toda armação do empresário caso ele não a ajudasse e lhe pagasse uma boa grana. Sem saída, Antenor cedeu à chantagem, mas Taís foi assassinada antes mesmo de receber o dinheiro. O assassinato da moça apontava para vários suspeitos.
Wagner Moura Vera Holtz e Bruno Gagliasso
Entre eles Antenor, Paula e Marion (Vera Holtz), a mãe de Olavo (Wagner Moura) e Ivan (Bruno Gagliasso). O suspense só foi revelado no último capítulo da novela: o assassino de Taís era Olavo. Ele matou a vilã depois que ela descobriu que Ivan, na realidade, era filho de Antenor. Olavo pretendia matar o irmão, a mãe e Antenor para herdar a herança.

Desfecho dos vilões


Gagliasso viveu o malandro e perturbado Ivan
Rejeitado e tido sempre como o filho bastardo e problemático, Ivan jamais imaginou ser filho do todo poderoso Antenor.Por conta do tratamento que teve a vida toda, Ivan sempre teve inclinação para a marginalidade. Bonito, charmoso e mau caráter, acabou despertando a paixão de Taís. Por conta da herança que tinha direito, o jovem ficou na mira de Olavo.A revelação sobre a origem de Ivan foi feita em uma forte cena, no apartamento de Marion, onde estavam presentes Daniel, Antenor, Marion, Tatiana (Lidi Lisboa) e Olavo. Fugindo da polícia, Olavo se escondeu na casa da mãe. Armado, ele ameaçou matar Daniel quando Antenor chegou, revelando ter descoberto que Ivan era seu filho. Acuado, atingido por um tiro no braço e muito perturbado, Olavo confessou a inveja que sempre sentiu do irmão, por ele ser herdeiro da fortuna do tio. Atordoado com as revelações feitas, Ivan pegou a arma de Daniel e atirou em Olavo, que também atirou. Os dois morreram na hora!

Bebel termina em Brasília

Camila Pitanga
Separada de Ana Luísa (Reneé de Vielmond), Antenor se envolveu com Lúcia (Glória Pires). Enquanto isso, Olavo e Bebel (Camila Pitanga) planejaram um golpe contra o empresário. A prostituta engravidou de Olavo, mas seduziu Antenor e mentiu que esperava um filho dele. Pressionado, Antenor se casou com Bebel. Porém, antes de morrer, Olavo revelou ao tio toda a verdade. Bebel perdeu o bebê e foi presa. Depois de cumprir pena, a malandra conquistou um poderoso político e foi morar em Brasília. Lá terminou a história depondo em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), graças a um escândalo de corrupção que seu marido se envolveu.

Ficha técnica

Emissora: Rede Globo
Exibição: 05/03/07 a 28/09/07
Capítulos: 179
Exibição: 05 de março a 28 de setembro de 2007
Horário: 21 h
Autor: Gilberto Braga e Ricardo Linhares.


 Curiosidades


O grande destaque de Paraíso Tropical foi o casal Bebel e Olavo, vivido por Camila Pitanga e Wagner Moura. Mas os atores não foram a primeira opção para dar vida a esses personagens.A princípio os autores da trama pensaram em Mariana Ximenes e Selton Mello para fazer a dupla de vigaristas carismáticos. Outra curiosidade é que o papel das gêmeas Paula e Taís foi escrito, na verdade, para Cláudia Abreu. Mas a atriz descobriu que estava grávida antes do início das gravações e foi substituída por Alessandra Negrini.

Bebel e Olavo foram a grande sensação da novela, com cenas quentes e hilárias.

Ivan era maltratado pela mãe e pelo irmão. Acabou tendo um desvio de caráter e se uniu à Taís em seus crimes.

Daniel era o mocinho da história. Bom caráter e romântico, queria viver um grande amor com Paula.

Antenor Cavalcante era um poderoso empresário, dono de um império, cobiçado pelo ambicioso e mau caráter Olavo.

O autor Gilberto Braga considera Paraíso Tropical sua novela mais autoral e uma das melhores de sua carreira. Ele foi criado em Copacabana, justamente onde ocorria boa parte das ações da trama.

Por Núcia Ferreira e Texto de Flávia Serra

Publicado na revista TV Brasil n/n 832/ 833/899
Vale a Pena ler de Novo
Memória

Fotos: Divulgação/Globo - Memoriaglobo.com - gshow.globo.com  - redeglobo.globo.com.gshow.globo.com.Paraíso Tropical-Globo.com-O Fuxico-Internacional

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Viagem



A Viagem que havia sido exibida em 1975 pela TV Tupi, ganhou uma nova versão em 1994, pelas mãos da mesma autora, Ivani Ribeiro. A trama estreou em 11/04 e, em poucos tempo,  e em pouco tempo, já tinha virado um dos grandes sucessos da TV Globo.
Christiane Torloni e Antonio Fagundes
 A história gira em torno  do casal Diná (Christiane Torloni) e Otávio (Antonio Fagundes). Ela morre de ciúmes do marido, Téo (Maurício Mattar) e superprotege o irmão mais novo,Alexandre (Guilherme Fontes), delinquente que comete um assassinato e vai preso.A única alternativa de Diná para tirar Alexandre da cadeia é contar com a defesa do renomado advogado Otávio Jordão (Antonio Fagundes). Mas o poderoso criminalista decide se opor a Alexandre no tribunal, já que a vítima do crime era seu amigo pessoal, Valdomiro (Nilson Parente). Otávio se esforça para que Alexandre seja considerado culpado, travando uma guerra contra Diná. Condenado, Alexandre não suporta a ideia de viver atrás das grades e se mata.

Espírito Obsessor

Guilherme Fontes
Com o passar do tempo, Diná e Otávio sentem uma energia forte entre eles e começam a se interessar um pelo outro. Diná, então, se separa de Téo para viver um relacionamento com Otávio. Mas o advogado vive o pesadelo de ser portador de uma doença grave. 
Milhel Falabella e Maurício Mattar
Enquanto isso, Alexandre caminha pelo vale dos suicidas pensando numa forma de prejudicar seu irmão ,Raul (Miguel Falabella) e Téo (Maurício Mattar), responsáveis pela denúncia de seu paradeiro para a polícia. O vilão também assombra Otávio.
Andrea Beltrão
Influenciado por Alexandre, Téo se aproxima de Lisa( Andrea Beltrão) a ex-namorada do bandido. Mas a relação do casal vira um inferno por cauda de Téo, que se torna um homem agressivo.
Laura Cardoso
 Além do ex-cunhado, Alexandre manipula Guiomar (Laura Cardoso), a sogra de Raul, que passa a atormentar a vida do genro. 
Daniel Ávila e  Felipe Martins
Já Otávio tem conflitos constantes com o filho mais velho, Tato ( Felipe Martins), que fica possuído pelo vilão. Dudu (Daniel Ávila) é o filho mais novo de Otávio Jordão (Antonio Fagundes), irmão de Junior (Felipe Martins). Tem uns 12 anos e está na fase de colecionar tudo o que gosta.

Cláudio Cavalcanti
O médico Alberto (Cláudio Cavalcanti), que é médium, percebe que o espírito de Alexandre é o responsável pela desgraça na vida das pessoas.

Ele decide ajudar o rapaz a encontrar o caminho da luz, por meio de sessões espíritas.

Nosso Lar.
Enquanto isso, Otávio morre e vai para outro plano, chamado Nosso Lar. Diná tenta fazer contato com o amado e vai ficando cada vez mais angustiada até morrer do coração.

Um amor eterno



 Antonio Fagundes e Christiane Torloni (Otávio e Diná) se unem por meio de uma energia transcendental.
Diná e Otávio,finalmente, se encontram no Nosso Lar e, juntos, têm uma difícil missão : convencer Alexandre a sair das trevas e parar de prejudicar seus inimigos., Aos pouco, o vilão se arrepende pelo mal que fez e desiste de sua vingança. Assim, Téo volta a ser do bem e Raul e Guiomar fazem as pazes. Tato também recupera sua alegria de viver. Alexandre comemora a felicidade de seus antigos rivais com suas famílias. Ele pede para reencarnar no filho que Lisa espera de Téo, porque só assim poderá se regenerar por completo.
Yara Cortes
 Após receber sua mãe, Maroca (Yara Cortes), no Nosso Lar, Diná se une a Otávio para sempre.

 


O leitor Guilherme Souza da Silva
"A Viagem. Incríveis personagens e uma super trilha sonora. Eu me apavorava quando o Alexandre aparecia".

Curiosidades

Foi a última novela de Ivani Ribeiro, que morreu em 1985.

Foi reprisada duas vezes no Vale a Pena Ver de Novo, em 1997 e 2006.

Foi a novela de maior audiência do canal Viva, em sua exibição na emissora, em 2014.

As cenas do Nosso Lar foram gravadas em Petrópolis (RJ). Já as sequencias do Vale dos Suicidas foram rodadas em Niterói (RJ).


Por Thomaz Rocha

Publicado na revista TV Brasil n/n 902
Fotos:Divulgação/Rede Globo.Mundo novelas-Memória Globo 

Mais cenas da novela A Viagem
Cepal André Luiz

Nostalgia pura


A vida após a morte é tema de “A Viagem”, que chega ao VIVA no dia 14 de julho. A novela, de Ivani Ribeiro com direção-geral de Wolf Maya, será exibida de segunda a sábado, às 14h30, e à 1h45, ocupando o lugar de “A Próxima Vítima”. 


O elenco conta com Antonio Fagundes, Christiane Torloni, Maurício Mattar, Andréa Beltrão, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Laura Cardoso, Jonas Bloch, Thaís de Campos e Guilherme Fontes
Facebook

Sucesso nos anos 1990, a novela A Viagem reestreia em abril para a alegria dos fãs de um bom folhetim


 
Antônio Fagundes e Christiane Torloni
O casal Otávio e Diná viveram um lindo romance


Em 2014, o canal a cabo VIVA anuncia mais um sucesso da teledramaturgia brasileira para os assinantes. No dia 7 de abril, a novela A Viagem reestreia no canal, ocupando o horário de Água Viva, de segunda a sábado, à meia-noite. Remake da trama homônima apresentada pela TV Tupi em 1975, também escrita por Ivani Ribeiro, a produção foi sucesso de audiência na TV Globo em 1994, na faixa das 19h.

Dirigida por Wolf Maia, A Viagem aborda a vida após a morte, inspirada na doutrina de Allan Kardec, fundador de uma das correntes mais conhecidas do espiritismo, o Kardecismo. Estão no elenco atores como Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Maurício Mattar, Andréa Beltrão, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Laura Cardoso, Jonas Bloch Thais de Campos e Guilherme Fontes, que ganhou destaque ao interpretar o usuário de drogas e álcool Alexandre.

História
Guilherme Fontes
Guilherme Fontes foi a grande revelação na época 

Ao tentar roubar o cofre do escritório onde trabalha para quitar uma dívida, ele é flagrado pelo tesoureiro da empresa, se assusta e acaba matando o funcionário. Raul (Miguel Falabella), o irmão mais velho do vilão, e o cunhado Téo (Maurício Mattar), decidem entregá-lo à polícia. Diná, interpretada pela atriz Christiane Torloni, decide proteger Alexandre recorrendo aos melhores profissionais para a defesa do irmão. Ele também conta com o apoio da mãe, dona Maroca (Yara Cortes), que,apesar de sofrer com as atitudes do filho caçula, deixa o coração falar mais alto. E sua namorada Lisa, vivida por Andréa Beltrão, resolve abandoná-lo, cansada do conturbado relacionamento.

Disposta a fazer tudo pelo irmão, Diná contrata o renomado advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes). Mas o profissional está revoltado e disposto a fazer de tudo para que Alexandre fique preso, já que a vítima do homicídio era seu melhor amigo. Condenado a vinte anos de cadeia, Alexandre encontra o suicídio como saída, prometendo vingança, seja nessa vida ou na outra. O personagem é encaminhado ao Vale dos Suicidas, onde se dedica a prejudicar a vida de Raul, Téo e Otávio.

Obra consagrada

O sucesso da produção ultrapassou a tela da televisão: a venda de livros sobre espiritismo aumentou em 50%, de acordo com pesquisas realizadas por livrarias especializadas durante a exibição da obra. Em sua versão original, A Viagem teve 160 capítulos e repercussão em países como Bolívia, Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Rússia, Uruguai, Venezuela, entre outros.

Por Edgar Melo

Publicado na revista TV Novelas
Edição 15/01/2014
+Televisão
Fotos: TV Globo/Divulgação.

Antônio Fagundes - Guilherme Fontes e Christiane Torloni

OS ESPÍRITOS
RETORNAM POR
MUITOS MOTIVOS,
INCLUSIVE A PEDIDO DO PÚBLICO.

Após sua morte, Alexandre promete vingança contra todos que julga responsáveis por seu trágico destino.Apenas a força do amor entre Otávio e Diná poderá acabar com  ódio desse espírito atormentado. A trama de Ivani Ribeiro, com direção-geral de Wolf Maya, ultrapassa a barreira entre a vida e a morte. Está de volta a novela que mobilizou o Brasil. Com Guilherme Fontes, Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Cláudio Cavalcanti, Miguel Falabella, Maurício Mattar e grande elenco.

Segunda a sábado, às 14h30.  

Publicado na revista Minha Novela - 18/07/2014/776

Guilherme Fontes - Papel Marcante na Novela "A Viagem"

 
 Guilherme Fontes
 Guilherme Fontes fala do sucesso que fez ao interpretar Alexandre, da novela " A Viagem", há 20 anos.

"Virou um clássico na minha vida". Foi com essa frase que Guilherme Fontes descreveu como foi participar da novela "A Viagem" (Globo, 1994), um dos maiores sucessos da teledramaturgia, escrita por Ivani Ribeiro, e que será reprisada no Canal Viva

Em conversa exclusiva com a MINHA NOVELA, o ator diz se sentir lisonjeado por ter interpretado Alexandre, um jovem de classe média alta e usuário de drogas. "Foi um período maravilhoso, e continua sendo. Assistir a um trabalho que você fez há 20 anos e ainda é revisto tantas vezes... Foi uma época de muita alegria e festa na minha vida pessoal e profissional", diz Guilherme.

Alexandre é tão importante para o ator, que ele pretende propor aos cineastas um filme de terror com o personagem- na novela, ele se suicida após ser preso por matar um homem durante um assalto e vira um espírito vingativo atormentando aqueles que considera culpados por sua prisão.

Diversão fora da cena

Enquanto Alexandre assustava os telespectadores, Guilherme, na época com 27 anos, se divertia com a repercussão nas ruas. "O personagem causava medo nas crianças e nervoso nos adultos. Uma vez, em Goiânia, parei para abastecer em um posto sem luz, apenas uma lâmpada sobre a bomba de gasolina. Saltei do carro para pedir ao homem para calibrar os pneus e o cara se assustou tanto que gaguejou, foi saindo devagar e não voltou mais. Deixei a grana em cima da bomba e fui embora morrendo de rir",diverte-se.

De "A Viagem" para cá, foram muitos trabalhos e Guilherme adora revê-los pela internet. "Está tudo lá. Mesmo as novelas que fiz recentemente, como a última (Além do Horizonte, 2013). Agora que pagamos para ver TV, para ter internet, procuro preciosidades de outros países. Mas vejo muitos telejornais na madrugada. Filmes, gosto de ver nas salas de cinema. Programa trash... É disso que gosto!", finaliza.
Christiane Torloni   e Guilherme Fontes
O personagem-problema só era apoiado pela irmã Diná (Christiane Torloni).
Guilherme Fontes
O ator quer aproveitar a reprise da história de Ivani Ribeiro para levá-la ao cinema

Por Liane Rosa

Trama espírita

Christiane Torloni

A Viagem (Globo, 1994), de Ivani Ribeiro, ganha reprise na emissora. Na trama, Alexandre (Guilherme Fontes) rouba a empresa onde trabalha e é entregue à polícia pelo irmão, Raul (Miguel Falabella), e pelo cunhado, Téo (Maurício Mattar). Na cadeia, o rapaz se suicida e, depois de morto, passa a perseguir a todos que julga o terem traído. Com Christiane Torlone e Antônio Fagundes. De segunda a sábado, às 14h30. Reprise: às 1h45. Estreia: 14/07.
(página 28) 

Por Heloiza Gomes.

Publicado na revista Minha Novela
Edição de 11 de julho de 2014
X-Tudo
Memória
Fotos:
Divulgação/Rede Globo/Mirian Monteiro/Divulgação/Wagner Santos

Guilherme Fontes e Lucinha Lins

Guilherme Fontes viveu um de seus papéis de maior destaque na televisão na novela de Ivani Ribeiro, que volta a ser exibida pelo Viva amanhã, às 14h30.

Ele interpretou o jovem de classe média drogado Alexandre Toledo, que, logo no início da trama, é pego em flagrante num assalto, mata um homem e tenta fugir.

No entanto, seu irmão, Raul (Miguel Falabella), e seu cunhado, Téo (Maurício Mattar), o entregam a polícia. Sua irmã, Diná (Christiane Torloni), tenta convencer o advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes) a inocentá-lo, mas o criminalista não aceita, porque era amigo do morto.

Condenado e preso, Alexandre acaba se suicidando e promete vingança, "nesta vida ou na outa".

Amigo da família, o médico Alberto Resende (Cláudio Cavalcanti), se dispõe a ajudar a mãe do rapaz, dona Maroca (Yara Cortes), a se recompor. Apesar de apaixonado por Diná, ele acaba se envolvendo com Estela (Lucinha Lins), também irmã de Alexandre.

Num lugar chamado de "vale dos suicidas", o espírito do rapaz passa a atormentar as vidas de Otávio, Raul e Téo, conforme prometido.

Tendo como tema central a vida após a morte e filosofia do espiritismo, "A Viagem"  teve média de 52 pontos de audiência e foi reprisada no "Vale a pena ver de novo" por duas vezes, em 1997 e em 2006.

Por Natália Boere

Publicado na revista da TV 
Edição de 13/07/2014
do jornal Correio da Paraíba.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Onaldo Queiroga - Velho Vaqueiro

A evolução tecnológica vem ano a ano transformando tradições e aniquilando, perigosamente, culturas de nosso povo. Uma realidade que cada vez mais se apresenta nos dias atuais do Nordeste brasileiro, e, que dificilmente o tempo conseguirá detê-la.

Por exemplo, o vaqueiro, esse homem que trabalha com o boi, vive diuturnamente em função dele, que usa roupa do puro couro do boi, para resistir aos espinhos da caatinga, uma verdadeira couraça, armadura denominado de gibão, constitui um símbolo em extinção. Se no ontem, montado em seu cavalo, o vaqueiro se embrenhava no mato nas pegas de boi corria solto driblando os garranchos ressequidos em busca de recuperar as reses perdidas, quase sempre ariscas, hoje lhe sobrou o banco de uma motocicleta, pois é guiando uma moto que ele tange o gado.

Luiz Gonzaga numa entrevista desabafou, falando sobre o vaqueiro: "O vaqueiro caiu muito. Antigamente o vaqueiro andava em cavalo gordo, participava do lucro da fazenda. De quatro bezerros, um era do vaqueiro e, mesmo que ele não criasse, mas negociava com o patrão. Hoje ele não usa nem burro, ele anda de pé dando uma de tangerino ou mesmo montado em jegue. É o mais pobre dos nordestinos..."

A modernidade vem fulminando esse elemento humano que embrionariamente sempre foi semeado no sertão nordestino. São poucos os que ainda resistem. Para homenageá-lo, Gonzaga, gravou a música A Morte do Vaqueiro e criou a Missa do Vaqueiro, celebrada desde o terceiro domingo de 1971, em Serrita-Pe. E hoje, o que fazer? Devemos lutar para manter vivio esse símbolo , como também o nosso São João!

Onaldo Queiroga
Juiz de Direito

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 01 de julho de 2017
Opinião

Quem Foi Flavio Cavalcanti

Flavio Cavalcanti
Um dos mais polêmicos apresentadores de TV  do país, ficou conhecido principalmente por uma atitude muito peculiar em seu programa de auditório: quebrar vinis com músicas ou artistas que desprezava. Outro marco em sua carreira foi o programa de calouros A Grande Chance, que estreou em 1967, dando visibilidade a cantores em início de carreira, que vieram a se tornar grandes da música nacional, como Emílio Santiago, Alcione e Leci Brandão. Também foi o primeiro a instituir um júri artístico. Morreu em 1986, vítima de um ataque cardíaco que sofrera durante uma gravação.

Editor Renato Felix

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 01 de julho de 2017
Lazer C1

Foto:YouTube