terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O Adeus À Brilhante Eva Todor

Eva Todor
A atriz morreu no domingo, 10, no Rio, deixando inúmeros fãs e amigos queridos, como as atrizes Nicette Bruno e Nathalia Timberg, que foram à despedida final.
As atrizes Nathalia Timberg e Nicette Bruno no último adeus à amiga.
Beth Goulart prestou suas condolências aos familiares da ilustre artista.
O Brasil perdeu mais uma grande estrela. Aos 98 anos, Eva Todor saiu de cena no dia 10, em sua casa, na capital fluminense, em decorrência de uma pneumonia. A artista sofria de problemas cardíaco, Parkinson e Alzheimer. O velório aconteceu na tarde seguinte 11, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde amigos e familiares foram dar o último adeus a ela, como  Nathalia Timberg, Beth Goulart e Nicette Bruno. E deixou imensa saudade em colegas, que prestaram também homenagens em suas redes sociais. "Mais uma estrela enfeitando o céu. Obrigada, Eva Todor! escreveu Gloria Pires. "A família Leal e o Teatro Rival Petrobrás emocionados se despedem de uma das suas grandes estrelas. Eva Todor brilhou intensamente nos anos 1940 em seu palco. Descanse em paz", postou Ângela Leal. Murilio Rosa também deixou sua homenagem, "O que nos resta fazer? Sim, aplaudir esta grande estrela, esta grande atriz, 80 anos de carreira. Vamos aplaudir? Fiz com ela algumas novelas, O Cravo e a Rosa (2000), América (2005), Caminho das Índias (2009),Salve Jorge (2012). E ela sempre foi um amor, sorriso marcante, carinhosa, e uma grande atriz. Te amo, Eva, Descanse , você merece"."Ela não poderia estar vivendo, porque quando ela deixou de atuar, deixou de viver. Ela deve estar atuando em outro plano", declarou Nathalia Timberg no portal G1. "Ela era amada por todos, adorada. Espero que o público nunca a esqueça", completou Teresa Amayo.

Eva Todor
Nascida na Hungria e brasileira de coração, Eva era viúva e não teve filhos.Ícone de uma época e dona de um talento incomparável, passou os últimos anos de sua vida em sua própria residência.Nascida na Hungria e vinda ainda criança para o Brasil, Eva Todor começou sua carreira nos palcos ainda na década de 30 e logo ganhou as telonas e as telinhas, com participações em vários filmes e folhetins. Na Rede Globo, trabalhou em grandes sucessos como Locomotivas, O  Cravo e a Rosa, América e Caminho das Índias. Sua última novela na Vênus Platinada foi Salve Jorge, em 2012. No mesmo ano, ela ainda gravou uma participação em As Brasileiras.

A estreia na Globo aconteceu na novela Locomotivas (1977).

Trajetória


1961 -  As Confissões de Eva
1970 - E nós, onde vamos?
1975 -  Roque Santeiro
1977 - Locomotivas
1978 - Te Contei
1979 - Memória de amor
1980 - Coração Alado
1982 - Sétimo Sentido
1983 - Sabor de mel
1984 - Partido Alto
1985 - A gata comeu
1987 - O Outro
1989 - Top Model
1992 - De Corpo e Alma
1993 - Olho no Olho
1994 - Incidente em Antares
1996 - Quem é você
1998 - Hilda Furacão
1999 - Suave Veneno
2000 - O Cravo e a Rosa
2002 - Sítio do Picapau Amarelo
2002 - Malhação
2002 - Brava Gente
2004 - Sob nova direção
2004 - A Diarista
2005 - América
2006 - JK
2007 - Amazônia, de Galvez a Chico Mendes
2008 - Casos e Acasos
2009 - Caminho das Índias
2010 - TiTiTi
2012 - As Brasileiras
2012/2013 - Salve Jorge
e tantos outros sucessos. Seu último trabalho foi em Salve Jorge, de Gloria Perez, como a personagem Dália.

"Minha vida foi tranquila, limpa, muito transparente em todos os sentidos". "Avalio a minha carreira como brilhante: longa, sem tropeços, sem desastre, respeitada, com prestígio aqui e além-mar", destacou a veterana em entrevista ao site Memória Global. "Eu gosto do sucesso! Não saberia viver sem ele", declarou a atriz à Globo.

Texto de Luana Rodriguez 

Publicado na revista TV Brasil n/n 926
Saudade

Publicado na revista Tititi - n/n 1.005 de 15 de 12 2017
Luto

sábado, 13 de janeiro de 2018

Estevam Fernandes - Novos Olhares Para Um Novo Tempo!


No início de um novo ano é sempre bom parar um pouco para algumas reflexões. É salutar que façamos uma revisão de nossos posicionamentos, valores e atitudes. Eis aqui cinco sugestões que poderão facilitar a abertura de novos caminhos, através da perspectiva de novos olhares. Contemple a vida a partir de novos olhares. Eis aí, cinco olhares que poderão fazer uma grande diferença;

Primeiro
Olhar para trás com gratidão. Muitas pessoas têm uma péssima imagem do seu passado. Fazem um esforço enorme para negá-lo ou esquecê-lo. Muita coisa boa pode ser resgatada quando aprendemos a olhar para trás com gratidão. Quantas bênçãos Deus nos concedeu! Quantas pessoas especiais passaram por nosso caminho e, como flores, adornaram e perfumaram nossa vida!

Segundo
Olhar para os lados com amor. A vida requer um exercício contínuo de solidariedade.Quando aprendemos a olhar ao nosso redor de forma diferente, motivados pelo amor, descobrimos que não estamos sozinhos.

Terceiro
Olhar para cima com louvor. Quem olha apenas para o chão ou em volta tem uma visão mito limitada pelas circunstâncias que o pressionam e ameaçam-no. Quem aprende a olhar para cima, com louvor, liberta a sua alma das garras da murmuração e descobre o caminho da graça e da sabedoria de Deus.

Quarto
Olhar para si com arrependimento. Não somos perfeitos e todos nós cometemos falhas. É preciso reconhecer que precisa ser mudado primeiramente em nós.Se as mudanças não ocorrem dentro de nós, um ano a mais ou a menos, não fará muita diferença.

Quinto
Olhar para frente com esperança. O combustível da vida  é a esperança. Quando ela acaba, a vida perde os seus movimentos. Toda caminhada pressupõe a possibilidade de lutas, dificuldades e frustrações.É preciso olhar sempre para frente e com muita esperança.

Veja quanta felicidade está reservada para os que olham para seu passado com gratidão; ao seu redor, cheios de amor; para cima, com louvor; para dentro de si com arrependimento e vislumbram o seu futuro com as lentes da esperança. Certamente, esses vivem melhor!

Estevam Fernandes. Pastor da 1ª Igreja Batista.

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 31 de dezembro de 2017.
Opinião.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Dicas De Simpatias


A cor da roupa - essa é uma das mais clássicas na virada de ano. Ainda predomina o branco e é o destaque das vitrines das lojas. Ela pede paz, mas há quem escolha o amarelo (atrairá dinheiro, fartura), o vermelho (paixão, sorte no amor), o azul ou outra cor. 


Pular sete ondas - ajuda a eliminar os obstáculos materiais e espirituais  que surjam durante o ano. Isso tudo sobre as bênçãos de Iemanjá - a rainha das águas. A crença popular pede ainda que a pessoa faça um pedido diferente a cada onda que pular.


Chupar a uva e guardar as sementes - essa também é uma simpatia antiga.Após comer a uva se guarda 12 sementes, uma para cada mês do ano, na carteira para ter fartura e dinheiro o ano inteiro.No último dia do ano, se descarta e se renova os pedidos.

Segurar sementes de romã nos dentes - assim como a uva, a romã também é feita de sementes.Ela está relacionada à prosperidade , fatura e fertilidade. A simpatia diz que é preciso segurar três sementes nos dentes à meia-noite. Em seguida, deixe-as secar e depois envolta de um pano branco guarde-as  até o término do ano que se iniciou.

Dinheiro no sapato - colocar uma nota de dinheiro no sapato para passar a virada do ano também é uma das simpatias que algumas pessoas seguem . O objetivo é ter dinheiro.

Para emagrecer - a simpatia é fatiar uma cebola em quatro partes, de baixo para ciam.Pegue três partes e enterre . A quarta parte deve ser toda separada em anéis; cada um deles representa 1 kg. Separe o números de anéis correspondente á quantidade de quilos que você quer perder e ferva-os em 1/2 litro de água. Com esse caldo, você deve regar três vezes o local onde as demais partes foram enterradas.

Para ter sorte - diz a simpatia  que no dia 31 de dezembro ferva dois litros de água com folhinhas de arruda, alecrim e manjericão. Jogue no corpo antes de tomar banho para descarregar as energias negativas. 

Para ter dinheiro -   comer lentilha na ceia de Réveilon. A leguminosa, além de nutritiva é tradicionalmente tida como um imã de prosperidade.

Representatividade das cores

Branco - para pedir calma, paz e equilíbrio.

Azul -  pedir saúde, harmonia e tranquilidade.

Amarelo - prosperidade,dinheiro e abundância.

Laranja - vitalidade, alegria e bem estar.

Verde - esperança, sorte e serenidade.

Vermelho - sensualidade, paixão e liderança.

Rosa -  afetividade, amor e romantismo.

Tem funcionado. Mas tem que ter fé.

Aline Martins /  Priscila Mendonça

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 31 de dezembro de 2017
Cidades - B3.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Estevam Fernandes - Ansiedade E Confiança


Qual o significado último da palavra ansiedade? Significa estrangulamento, pois na prática, a ansiedade nos rouba o oxigênio emocional, corta o nosso fôlego e, pouco a pouco, mata-nos por asfixia. A ansiedade enfraquece nossas forças vitais, embaça os nosso olhos e priva-nos de uma esperança real, pois lentamente nos tira a perspectiva do futuro. A ansiedade é um mal generalizado. Ela não faz seleção de alvos específicos; atinge a todos.As tensões da vida moderna tornaram a ansiedade uma espécie de mal inerente. As pressões do dia-a-dia funcionam como um  combustível que alimenta nossa ansiedade. Além disso, o isolamento crescente das pessoas, a insegurança quanto ao futuro, a falta de uma experiência espiritual profunda com Deus - em termos de uma fé consistente e madura - as crises que afetam a família contemporânea e o crescente desmoronamento dos lares estão presentes nos mecanismos que aumentam a ansiedade. 

Jesus, o Senhor da vida, advertiu-nos para o fato de que não podemos administrar o nosso futuro, pois este não nos pertence. Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis, ensinou Cristo (Lucas 12.22). Não devemos sofrer por algo que nem sabemos se acontecerá ou não. 

Pela perspectiva espiritual, a ansiedade é uma expressão de incredulidade, pois é a negação da nossa confiança na providência divina. Na verdade, só ficamos ansiosos porque a duvidamos de que Deus esteja no controle de tudo que envolve nossa existência. Na prática, acreditamos que Ele não está cuidando de nós. Achamos que o Senhor pode falhar.

Confiança é uma questão de coragem. Esta, por sua vez, é que nos faz vencer o medo que alimenta nossa ansiedade. É preciso confiar em Deus, como o salmista, que disse: Entrega o teu caminho ao Senhor; confia Nele, e Ele tudo fará (Salmo 37.5). Confiar, esperar e descansar no Senhor - este é o caminho para quem quer vencer a ansiedade!

Estevam Fernandes - Pastor da 1ª Igreja Batista

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 26 de novembro de 2017
Opinião.

Carlos Romero - Ano Novo, Homem Novo

Chico Xavier

Nesta última semana do ano, eis aqui para os leitores e amigos, que tanto enriquecem a minha vida, alguns pensamentos do grande médium Chico Xavier. São pensamentos lúcidos que nos ajudam a caminhar na vida, sobretudo, no Ano Novo que se inicia.

A gente precisa entrar no Ano Novo com um único propósito: tentar não cometer os mesmos erros. Mas para isso é necessário humildade, a humildade de reconhecer nossos próprios erros. Eis aí uma coisa difícil. E vem a pergunta: será que vamos continuar sendo o que sempre fomos?

Vamos orar, meditar, refletir, fazer afinal, o que os nossos irmãos animais não fazem ainda. O homem é o seu pensamento. "Penso, logo existo", disse Descartes. E vamos às reflexões:

"Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as estrelas; e quem ouve uma sintonia sem abrir-lhes a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas".

"Agradeçamos a tempestade que renova, a luta que aperfeiçoa, o sofrimento que ilumina".

"O criminoso acusado por toda gente amanhã pode ser o enfermeiro que te estendo o copo d'água".

"Busquemos o lado melhor das situações, dos acontecimentos e das pessoas".

"Consagra-te ao bem, não só pelo bem de ti mesmo, mas acima de tudo por amar ao próprio bem".

"Jamais suponhas que a tua dor seja maior do que a do vizinho". 

"Realmente grande é aquele que reconhece a própria pequenez".

"O próximo é nossa ponte de ligação a Deus".

"Desapega-te de bens transitórios que te foram emprestados pelo poder divino, de acordo com a Lei de Uso, e lembra-te de que serás agora ou depois, reconduzido à Vida Maior, onde encontramos a própria consciência. Reflete, pois, sobre o que fazes, cada dia".

Mas, o importante nessa dança dos calendários, que nos traz mais um Ano Novo é o homem novo. E homem novo é o que reconhece seus defeitos, suas negatividades e procura superá-las.

Carlos Romero
Da Academia Paraibana de Letras.

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 26 de dezembro de 2017
Opinião.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Charles Chaplin - Adorável Vagabundo

Charles Chapin
Polivalente. Na manhã de Natal, há 40 anos, a arte perdia um de seus maiores gênios: o ator, diretor, escritor e músico Charles Chaplin.

"Eu permaneço apenas uma coisa, e só uma coisa: um palhaço. Isso me coloca em um plano muito mais alto do que qualquer político"-Chales Chaplin, ator e diretor. 

Ele foi ator, roteirista, diretor, músico e até dono de estúdio. Poucos artistas no cinema tiveram tantos controle sobre seu próprio trabalho e entregaram uma obra tão definitiva. Charles Chaplin hoje é um dos maiores gênios que usaram a sétima arte para se expressar. Sua carreira durou 75 anos, desde a infância pobre na Inglaterra até perto de sua morte, há 40 anos, em uma manhã de Natal, na sua casa na Suíça.

Através de seu personagem icônico Carlitos (Charllot na França; ou apenas "The Tramp" nos Estados Unidos), ele se tornou universalmente conhecido. Mas até encontrá-lo, ele viveu uma infância miserável na Inglaterra, trabalhando desde cedo no music hall enquanto sua mãe, cantora e atriz, ia ficando mais instável psicologicamente. Chaplin e seu irmão Sidney chegaram a morar em abrigos para órfãos.

Mas ele seguiu trabalhando no meio artístico. Com cerca de 20 anos, veio à América pela primeira vez, a bordo da companhia de Fred Karno. Acabou notado por Mack Sennett, que o convidou para trabalhar no cinema.

Rapidamente Chaplin desenvolveu Carlitos, que já aparece em seus primeiros curtas. Com o sucesso popular, também não demoraria a assumir a direção de seus filmes e ir trocando de estúdios, sempre com contratos mais vantajosos.

Estava na First Nacional quando dirigiu seu primeiro longa, O Garoto (1921). Mas foi quando se juntou a Mary Pickford, Douglas Fairbanks e David W.Griffith para criar a United Artists que chegou ao máximo do poder e talento.

Gastava o tempo e recursos necessários para criar obras-primas como Em Busca do Ouro (1925), Luzes da Cidade (1931) e Tempos Modernos (1936). Resistiu o quanto pode ao cinema falado. Quando aderiu, veio nova obra-prima: O Grande Ditador (1940), em que afrontou Hitler quando ninguém nos EUA queria fazê-lo.

A vida pessoal de Chaplin era cheia de controvérsias. Casou-se quatro vezes - três delas com adolescentes. Nos anos 1950, enquanto estava na Europa, foi impedido de voltar aos EUA pela perseguição macartista. O país demorou 20 anos para pedir-lhe desculpas, numa cerimônia do Oscar em 1972, Mas Chaplin não voltou a viver lá.

Grandes momentos de Chaplin

"O Imigrante"
Curta de 1917. Chaplin começa a botar o dedo da ferida do sonho americano ao mostrar que o país não era tão acolhedor assim.
"O Garoto"
Longa de 1921. Chaplins vai longe na sua mistura de comédia e melodrama ao mostrar Carlitos adotando um bebê abandonado.
"Em Busca do Ouro"
Longa de 1925. Várias cenas geniais, entre elas Carlitos fazendo o balé dos pãezinhos e comendo os cadarços do sapato como espaguetes.
"Luzes da Cidade"
Longa de 1931. Carlitos se apaixona por uma florista cega que pensa que ele é rico. Ele corta um dobrado para pagar a ela um tratamento.
"Tempos Modernos"
Curta de 1936. Com lirismo, Chaplin detona a industrialização desumana e o tratamento dispensado aos trabalhadores.
"O Grande Ditador"
Longa de 1940. Chapin faz de Hitler um ditador ridículo e denuncia a perseguição aos judeus quando os EUA ainda não queriam se meter.

Editor: Renato Félix.

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 24 de dezembro d 2017
Caderno 2 

sábado, 6 de janeiro de 2018

Estevam Fernandes - Já É Natal!


O Natal chegou! Apesar de todas as crises que se abatem sobre o país, e das expectativas frustradas de muitas pessoas, apesar de tudo isso, quando chega o Natal sentimos algo diferente no ar: é o espírito natalino que nos envolve, nos fascina e nos alegra o coração.

De todas as crises que estamos enfrentando, a pior delas é a crise da esperança.Há uma nuvem de pessimismo pairando sobre nós. As pessoas estão perdendo, pouco a pouco, a perspectiva de um amanhã melhor. Parece que tudo está sucumbindo ao caos. Isto é muito perigoso porque vai subtraindo das pessoas o direito de sonhar. Não há porque perdermos a esperança. Quem confia em Deus não se desespera jamais!

Você não precisa de muita coisa para ser feliz, e seguir vivendo. Na verdade, ninguém precisa. Às vezes morremos pelo que é secundário, e jogamos fora o que é essencial. Nossa maior riqueza não consiste nos bens que possuímos, nem nas coisas que acumulamos. Nesse Natal, reflita sobre o valor da família e um lar. Imagine também o quanto a paz é um presente precioso, bem como a benção da saúde. Esses tesouros representam o ouro, o incenso e a mirra em nossos dias. São verdadeiros presentes de Natal!

O brilho do Natal não deve estar nos limites daquele irradiado pelas luzes da cidade. Há uma luz cujos raios transcendem as circunstâncias e iluminam todos os nossos caminhos - Jesus Cristo, a luz do mundo. Ele deve ser o nosso Natal. Quando a sua luz brilha em nossas vidas, todo dia é dia de Natal, pois essa luz jamais se apagará e ainda fará com que nossos olhos brilhem mais intensamente, apesar de todas as crises. 

Desde o primeiro Natal, na pequena Belém da Judeia, o mundo nunca mais foi o mesmo. O menino Jesus mudou a história pelo impacto de sua presença. Sua vida e sua mensagem transformaram os rumos da humanidade. Pessoas tiveram suas vidas transformadas, milagres aconteceram, estruturas de poder foram abaladas, o amor prevaleceu sobre o ódio, a liberdade prevaleceu sobre a escravidão, e para todos foi anunciada a possibilidade da vida abundante, da alma feliz.

Estevam Fernandes.Pastor da 1ª Igreja Batista.

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 24 de dezembro de 2017
Opinião A4  

domingo, 24 de dezembro de 2017

Dia De Celebrar Jesus - Para Celebrar A Data - Símbolos Da época

Os Principais Símbolos da época

Guirlândia
Chegada - Ela é usada como enfeite nas portas de entrada das residências, na época do Natal.
Árvore de Natal
Luzes - O costume de enfeitar a árvore de Natal remonta ao século XVI. Na tradição cristã a árvore de Natal simboliza a vida, a paz e esperança.
Sinos
Anúncio - Um dos mais importantes símbolos natalinos, o sino representa o anúncio para a humanidade do nascimento de Jesus Cristo, o Salvador.
Reis Magos
Adoração -  Melchior, Gaspar e Baltazar saíram do Oriente para adorar o Rei dos Judeus e anunciaram ao povo o nascimento de Jesus.
Estrela Dalva
Caminho - Um dos mais importantes símbolos do Natal, a estrela guiou os três reis magos até o local do nascimento de Jesus.
Papai Noel
No mundo - Conhecido como o bom velhinho que dá presentes para as crianças no dia de Natal em vários países do mundo. O Papai Noel é amado por todas as pessoas.

Katiana Ramos

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 24 de dezembro de 2017
Suplemento Especial 
A13

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Brígida Brito-Luis Carlos Mazzini-Pense Nisso!

Seja otimista, sempre! Aproveite mais o aqui e agora! Pare de se aborrecer com as picuinhas da vida! Parece tão simples,né? E é! Seja esperto e elimine toda tristeza e toda negatividade do seu viver. Viva o presente! Permaneça no momento presente, sempre! Quem é ansioso nunca está no presente, está no futuro. E quem é rancoroso raramente está no aqui e no agora.Prefere ficar lá no passado, onde nenhuma virgula pode ser mudada se o perdão não for praticado! Sabia que o ódio pode ser uma forma estranha de amar? E viver no aqui e agora é aproveitar a vida, é fazer valer a pena à passagem por esse mundo.Nunca mais perca seu precioso tempo se perdendo com preocupações desnecessárias. Se tiver que ser  como um imã, prefira atrair para si somente coisas boas. Xô pra lá com toda carga de energia negativa que algumas pessoas querem compartilhar, tá?

Se tiver que ter problemas, tenha tenha-os pra valer! E que seja seus e não dos outros. Que sejam problemas de verdade e não de imaginários,ok? Livre-se das fofocas!Pare de se deixar envenenar e viva mais na serenidade, na paz, no amor.

Sintonize a sua vida com pessoas positivas! Nunca exploda! Nunca ! Mas para que isso ocorra você precisa tomar algumas atitudes e até já sabe, né? Tomar bastante água, ter uma alimentação  saudável, praticar atividade física, andar descalço pisando na terra, estar mais perto da natureza...Sabia que o simples e gostoso hábito de cuidar de um vaso de flores ou de um animal de estimação acalma a sua alma e abra o seu canal de alegria? 

Pois hoje, você procure ir a lugares onde nunca foi e a fazer novas amizades,ok?

Tenha uma atitude com você mesmo!Esteja mais as coisas que possam atrair o melhor pra você! Fique mais centrado com a sua vida! Decida-se pelo melhor! Você é um ser abençoado e tem o privilégio de estar vivo e de está, fazendo o que faz!Perceba quanta gente boa está na sua vida! A alegria e a felicidade estão bem pertinho de você, viu? 

Luis Carlos Mazzini

Brígida Brito
Médica e terapeuta de regressão

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 03 de dezembro de 2017.
Espaço de Ser
Lazer
C5
Editor: Renato Felix

Onélia Queiroga - A Tristeza

A tristeza é um estado psíquico que leva à alma vontade de chorar, por lembrar fatos repletos de mágoas e de desalento.

A tristeza provoca em quem a sente um desânimo da vida, carregado de nostalgia, de sentido de abandono, de desencanto, de perda nunca mais recuperada.

A tristeza, muitas vezes, leva ao isolamento, nos momentos mais sofridos e nas horas mais dolentes propiciadas pela natureza. Estima-se que esta compreende o por que da solidão de alguém, por isso,também, ela própria se estremece em solidariedade àquela que sofre.

Sofrer com resignação talvez represente um pouco de esperança na reconquista do bem perdido. Esperar com calma é preciso; é a magia de quem põe à prova as forças guardadas para esses instantes de transes de cruz.  

Tristeza vem, tristeza vai. A tristeza às vezes, fica por longo tempo de prova de resistência de cada um. A tristeza que vai, para nunca mais voltar, é aquela que já sabe que a dor do outro está completamente curada, pronta para acolher um novo dia, uma nova oportunidade de viver, uma nova era marcada por planos diferentes dos existentes outrora.

A tristeza não mora para sempre no coração do sofredor, porque há dias de chuva e dias de sol; há dias de escassez e dias de prosperidade; há dias de pessimismo e dias de esperança. Há dias para o fracasso e há dias para todas as vitórias.

Os que trazem no rosto a marca de ferro da tristeza, a dor, deve apagá-la. Deve ir em busca da felicidade que é alegria, que é luz e bondade. A sua conquista relacionada está à sabedoria de cada um. Os que a alcança, terão sempre um sorriso no semblante. São chamados de venturosos. 


Onélia Queiroga
Escritora e Professora de Ciências Jurídicas da Faculdade de Direito da UFPB

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 03 de dezembro de 2017
Aos Domingos
Caderno 2

Fátima Araújo - Na Terra Do Mestre

Visitar a Terra Santa e ver de perto os lugares por onde Jesus passou e construiu o mais belo Código Moral de que se tem notícia-as Bem-Aventuranças, é uma das maiores bênçãos. Não só por se tratar de uma região ímpar, plena de recantos históricos e religiosos, mas acima de tudo porque, em meio àquela mistura fascinante do antigo com o atual, ali repousa a história bíblica, no charme dos séculos.

Posso dizer que dava para abri o livro e "ler" Abraão vagando pelas colinas, há quatro mil anos atrás o Rei Davi,  há três mil anos, e o Divino Mestre Jesus, há poucos mais de dois mil anos, apascentando as "ovelhas" que o Pai lhe confiara, ensinado, curando, amando! Dava para sentirmos a emoção, em Nazaré, terra natal de Maria Santíssima, na igreja da Anunciação, mesmo no lugar onde o Anjo Gabriel lhe informou que ela iria ser mãe. E o que dizermos da Casa de São José, hoje uma capela, onde o Menino Jesus aprendeu carpintaria e foi muito amado por seus pais? 

Quando chegamos a Tabgha, ao noroeste do Mar da Galileia, haja emoção no local onde se deu o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes. Tanto quanto ao subirmos 585 metros, rumo à igreja da Transfiguração, no Monte Tabot.

Era assim com essa aura de bênção, que conectávamos nossa mente e nosso coração, enquanto caminhávamos pelas pegadas de Jesus. Era assim que agradecíamos a receptividade em Cafarnau, o lago de Genesaré, o batismo  no rio Jordão, o caminhar, tais quase personagens bíblicos, pelas belas paisagens da Judeia e da Galileia, pelas ruas de Belém, pelos mistérios de Jerusalém, onde Jesus orou, a Via Dolorosa, ao peso da cruz, e ainda ora, porque ainda vive!

Fátima Araújo
Jornalista

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 21 de novembro de 2017
Acalanto
Caderno 2 C3.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

40 Anos De Novelas



1- Ilusões Perdidas - 1965

Reginaldo Faria e Leila Diniz 
Primeira novela feita pela Globo. Com a estreia de Reginaldo Farias, Leila Diniz, e Marcos Granado no elenco.A trama trazia Leila Diniz e Reginaldo Faria como par romântico principal da trama. A atriz interpretava a vilã da história. Osmar Prado, que também fazia parte do elenco, era o irmão da personagem de Leila Diniz. A trama de Enia Petri estreou junto com a emissora, que entrou no ar há exatamente 50 anos, às 11h, do dia 26 de abril. Portanto, o reencontro de Osmar Prado, Norma Blum e Emiliano Queiróz, que integraram o elenco da trama, é uma oportunidade de homenagear a história viva da nossa teledramaturgia.
2 - A Moreninha - 1965




Cláudio Marzo e Marília Pêra
Primeira a ter gravações externas. Com Marília Pêra e Cláudio Marzo. Ganhou nova versão em 1975..Adaptação do livro homônimo de Joaquim Manuel de Macedo, a novela narra o romance entre Carolina (Marília Pêra) e Augusto (Cláudio Marzo), no Rio de Janeiro do século XIX.Quando criança, Augusto jurou amar eternamente uma menina, sem saber seu nome. Passam-se alguns anos, mas o rapaz não consegue se envolver com nenhuma outra mulher, o que lhe garante a fama de grande conquistador entre seus colegas da faculdade de medicina. Durante um fim de semana em Paquetá, no entanto, Augusto conhece Carolina e se apaixona por ela, sem saber que a moça é seu amor de infância.

3- Eu Compro Essa Mulher - 1966


Carlos Alberto e Yoná Magalhães
Primeira a liderar a audiência. Lançou o casal Yoná Magalhães e Carlos Alberto. Yoná foi uma das primeiras mocinhas da Rede Globo, quando estreou na emissora a convite de Walther Clack, estrelando a novela Eu Compro Essa Mulher (1966), ao lado de Carlos Alberto, com quem formaria o primeiro par romântico da casa e que depois viraria seu marido.Inspirada no romance O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, a trama é ambientada na Espanha, em 1850. Francisco Aldama (Carlos Alberto) se apaixona pela aristocrata Maria Teresa (Yoná Magalhães) sem desconfiar que a jovem é filha do homem que jurou destruir. O casal enfrenta a perversidade de Úrsula (Leila Diniz).


4 - O Sheik de Agadir - 1966


Henrique Martins e Yoná Magalhães
Glória Magadan, exilada cubana, tirou Sebastião Vasconcelos.Achou-o a cara de Fidel.Um conturbado triângulo amoroso  entre o sheik Omar Ben Nazir (Henrique Martins), a jovem Janette Legrand (Yoná Magalhães) e Maurice Dumont (Amilton Fernandes), um oficial do Exército Francês. Em meio ao romance, estranhos assassinatos vão acontecendo.


5 - O Rei dos Ciganos - 1967

Sônia Clara e Carlos Alberto

A primeira das oito. Horário criado para competir com o Repórter Esso, da Tupi.O romance entre o cigano Wladimir (Carlos Alberto) e a nobre Wanda (Sônia Clara) é atrapalhado pelas intrigas do conde Fernando Racozy (André Villon). Um triângulo amoroso movimenta a trama entre ciganos e nobres.O cigano Wladimir ama e é amado por Wanda, que pertence à nobreza local. Entre os dois está o vilão, Conde Fernando Racozy.

6 - A Rainha Louca - 1967
Nathalia Timberg e Rubens de Falco
 Inspirada em Memórias de um Médico, de Alexandre Dumas, a trama se desenrola no México, no século XIX, durante o período em que Napoleão III interveio no país, e conta o drama de Carlota (Nathalia Timberg), mulher do imperador Maximiliano (Rubens de Falco).A primeira a gravar externas em outro país, no México. E a primeira dirigida por Daniel Filho.

7 - Anastácia, A Mulher Sem Destino - 1967

Henrique Martins e Leila Diniz

Em Paris, Henri Monfort (Henrique Martins) é um dos que lutam contra a monarquia vigente na época. Casado com Anastácia (Leila Diniz), ele planeja a fuga de sua família para o Castelo de Monfort, propriedade que acabara de herdar. Mas, na hora da partida, é preso, fazendo com que Anastácia e a filha recém-nascida do casal, Henriette, sigam sozinhas.Vítimas de uma emboscada, as duas são separadas: Anastácia acaba prisioneira em um navio corsário; e Henriette passa a ser criada pelos camponeses Pierre (Ênio Santos) e Gaby (Míriam Pires), que desconhecem sua origem. A falta de notícias da filha faz com que Anastácia, aos poucos, enlouqueça. Janete Clair criou o terremoto que matou a maioria dos personagens.


8 - Sangue e Areia - 1968




Tarcísio Meira e Glória Menezes

Juan Gallardo, filho de um toureiro morto em arena, decide seguir os passos do pai, apesar da oposição da família, e, à medida que sobe na carreira, abandona os amigos e divide-se entre o amor de duas mulheres: Pilar,(Theresa Amaro) a moça simples que sempre o amou, e Doña Sol, (Glória Menezes)aristocrata que representa um estágio mais elevado na sua vida.Primeira protagonizada pelo casal Tarcísio Meira e Glória Menezes na TV Globo.Sangue e Areia (TV Globo, 1968), novela de Janete Clair, marcou a estreia do casal Tarcísio Meira e Glória Menezes na emissora carioca, onde permanecem até  hoje. 

9 - A Ponte dos Suspiros - 1969

Carlos Alberto e Yoná Magalhães
Rolando Candiano (Carlos Alberto), filho do doge de Veneza, de casamento marcado com Leonor Dandolo (Yoná Magalhães). Altieri (Jardel Filho),que era apaixonado por Leonor denunciou à Inquisição como traidor da República. Por isso ele é condenado e preso na Ponte dos Suspiros.E por imposição do seu pai, Leonor casa com Altieri, mesmo esperando um filho de Rolando, que depois que nasce é mantido na torre com uma ama de companhia.Primeira novela escrita por Dias Gomes, mas com o pseudônimo de Stela Calderon.

10 - Véu de Noiva - 1969


Claudio Marzo e Regina Duarte 

A novela tem como cenário o Rio de Janeiro e traz Regina Duarte no papel de Andréa, moça de família humilde que está de casamento marcado com o pianista Luciano (Geraldo Del Rey). Ele, porém, tem um caso com sua irmã, Flor (Myriam Pérsia). No dia do casamento, após descobrir o envolvimento dos dois, Andréa sofre um acidente de carro com o noivo e o piloto de corridas Marcelo Montserrat (Claudio Marzo). O carro de Marcelo vem em direção contrária ao de Luciano, e os dois se chocam num grave acidente. Luciano se fere nas mãos, e Andréa ganha uma cicatriz no rosto.Andréa apaixona-se Marcelo. Eles se casam em se segredo, numa cerimônia íntima.Estréia de Regina Duarte na Globo. De Janete Clair, marcou o fim dos textos de Glória Magadan.



11- Pigmalião - 1970


Susana Vieira e Sergio Cardoso 
Fernando Dalba,( Sergio Cardoso ) conhecido como Nando, um rapaz simples e bonachão noivo da doce Candinha (Susana Vieira),trabalha numa feira vendendo frutas com sua mãe. Sua vida de transforma quando ele bate no carro da milionário Cristina Guimarães (Tônia Carreiro)que acaba se apaixonando por ele.Vicente Sesso lançou no horário um estilo leve, próximo à comédia. Estréia de Susana Vieira.

12 - Irmãos Coragem - 1970

Tarcísio Meira, Cláudio Cavalcanti, Macedo Neto e Cláudio Marzo
1ª versão, 1970,conquistou a audiência masculina e teve a primeira cidade cenográfica construída.A luta pela liberdade e contra a opressão são o tema central deste folhetim que narra a história dos irmãos Coragem: João(Tarcisio Meira), Jerônimo(Claudio Cavalcanti) e Duda(Claudio Marzo), na fictícia cidade de Coroado, no interior mineiro, cuja principal atividade econômica é o garimpo. João Coragem, um homem rude, simples e generoso, que trabalha honestamente como garimpeiro, encontra um valioso diamante, que é roubado pelo Coronel Pedro Barros, que comanda o comércio de garimpo de Coroado e é o homem mais poderoso da cidade.Ele João se apaixona por Lara(Gloria Menezes), a filha doente do Coronel. Lara tem outras duas personalidades: a selvagem Diana(Gloria Menezes),e Márcia(Gloria Menezes). E isto acaba por confundir e enlouquecer João.


13 - Assim na Terra como no Céu - 1971


 Francisco Cuoco e Renata Sorrah

O público pediu e a personagem de Renata Sorrah, morta, reaparecia em flashbaks. Em Ipanema, 1970, o padre Vitor Mariano(Francisco Cuoco) abandona a batina para se casar com a jovem Nívea(Renata Sorrah), mas ela é misteriosamente assassinada. Ele volta a usar a batina mas ao tentar desvendar o mistério conhece Helô(Dina Sfat), filha de um milionário, e se apaixona por ela. Mais uma vez ele abandona a batina em nome da felicidade.



14 - O Cafona - 1971

Renata Sorrah e Francisco Cuoco 

Pela primeira vez, foi usada a frase "Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência".A trama principal gira em torno de Gilberto Athayde( Francisco Cuoco), conhecido como Gigi, um viúvo simples e novo-rico dono de uma rede de supermercados.Ele 

decide se casar com uma grã-fina, Malu (Renata Sorrah), para ser aceito pela sociedade.



15 -Minha Doce Namorada - 1971



Claudio Marzo e Regina Duarte
Extremamente romântica, deu a Regina Duarte o título de Namoradinha do Brasil.
Num parque de diversão na cidade de Ouro Preto,Minas Gerais,  a jovem e alegre Patrícia(Regina Duarte),  garota, pobre e órfã, consulta todos os dias  a astróloga Dona Carmem, para saber se os astros lhe dizem sobre a sua felicidade.Patrícia conhece Renato(Claudio Marzo), um  estudante rico que está de viagem em ouro Preto e ela se  apaixona perdidamente por ele.

16 - Carinhoso - 1972



Marcos Paulo e Regina Duarte

Primeira novela de Lauro César Muniz. O fim foi antecipado por causa da gravidez de Regina Duarte.Cecília(Regina Duarte) é uma linda jovem que se apaixona por Eduardo(Marcos Paulo) um playboy inconsequente e incapaz de levar a sério o romance com Cecília.Então ela decide ser aeromoça e vai para Nova Iorque.

17 - O Primeiro Amor - 1972

Sergio Cardoso e Rosamaria Murtinho

O ator Sérgio Cardoso morreu no meio da trama. Ali surgiu a dupla Shazan e Xerife.O professor Luciano Lima (Sergio Cardoso/Leonardo Villar)chega em  Nova Esperança,Santa Catarina, para assumir a direção de um colégio.Viúvo, ele contrata Paula (Rosamaria Murtinho) para ser governanta de seus quatro filhos  Rui (Marco Nanini), Babi (Suzana Gonçalves), Júnior (Herivelto Martins Filho)e Zizi (Rosana Garcia). Luciano se apaixona por Paula e o romance enfrenta forte resistência de Babi, a mais a rebelde dos quatro filhos.No ambiente do colégio tem a psicóloga Giovana (Aracy Balabanian), contratada para lidar com os alunos rebeldes. E a psicóloga também se apaixona por Luciano formando um triângulo amoroso com Paula e Luciano. 


 18 - Selva de Pedra - 1972


 Tony Ramos e Fernanda Torres
Exibiu um capítulo que deu 100% de share. Primeira a ser reprisada em horário nobre, em 1986.Na cidade fictícia de Duas Barras, no interior fluminense, Cristiano Vilhena(Tony Ramos), filho de um pobre evangélico, Sebastião Vilhena(Sebastião Vasconcelos), se envolve numa briga com Gastão Neves, que acaba morto no ocorrido. Simone Marques(Fernanda Torres) é testemunha do crime  o acoberta e acaba se envolvendo amorosamente com ele.Se casam e vão morar na Pensão Palácio, que é administrada pela divertida Fanny(Nicette Bruno).

19 - O Bem-Amado - 1973
 Paulo Gracindo,Ida Gomes,Dorinha Durval e Dirce Migliaccio
 Primeira novela em cores no horário das 22hs.O prefeito Odorico Paraguaçu(Paulo Gracindo), político corrupto e cheio de artimanhas, tem como meta em sua administração na cidade fictícia de Sucupira, litoral baiano, a inauguração do cemitério local. De um lado, é bajulado pelo secretário gago, Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz), e as irmãs Cajazeiras : Doroteia (Ida Gomes), Dulcineia (Dorinha Durval) e Judiceia (Dirce Migliaccio).Doroteia é a mais velha, líder na Câmara de Vereadores da cidade. Dulcineia, a do meio, é seduzida pelo prefeito. E Judiceia é a mais nova - e mais espevitada. São três solteironas avessas a imoralidades - pelo menos em público, já que Odorico sempre aparece de noite para tomar um licor de jenipapo.Para inaugurar o cemitério Odorico traz a Sucupira Zeca Diabo (Lima Duarte) para matar alguém.Mas Zeca Diabo mata Odorico que inaugura o cemitério.

20 - O Rebu - 1975
Sophie  Charlotte,Patricia Pillar e Daniel de Oliveira

O corpo de Bruno Ferraz(Daniel de Oliveira) é encontrado na piscina da mansão de uma das empresárias mais ricas do país,Angela(Patricia Pillar). Bruno se envolve com Duda(Sophie Charlotte), que se apaixona perdidamente pelo rapaz. No final , o delegado Pedroso(Marcos Palmeira) descobre que Duda(Sophie Charlotte) quebrou um troféu na cabeça de Bruno, colocando-o vivo no freezer.Duda é presa no lugar de Angela. A novela termina com a cena de Angela(Patricia Pillar) morta.Nova linguagem, toda a trama se passou em um só dia. As dúvidas: quem matou? e quem morreu?

21 - Gabriela - 1975

Sônia Braga e Armando Bógus

A novela gira em torno de Gabriela da Silva (Sônia Braga), simples moça do sertão baiano que fora para Ilhéus fugindo da seca nordestina.Moça sofrida, porém muito alegre, seduzia os homens sem querer.Ela era uma morena brigona e ousada, que andava descalça e com vestidos extremamente curtos, e muito trabalhadora.Nacib (Armando Bogus) lhe dá emprego e se apaixona por ela.A primeira novela vendida para Portugal. Momento marcante da atriz Sonia Braga.

22 - Helena - 1975

Lúcia Alves e Osmar Prado 
Adaptação do romance de Machado de Assis,Helena(Lúcia Alves) e Estácio (Osmar Prado) apaixonam-se, mas ele acreditava ser irmão dela. Helena, sabia que não é filha do Conselheiro Vale(Durval Pereira). O conselheiro teve um romance secreto com sua mãe e prometeu perfilar a menina e tratá-la com carinho. A atitude esquiva de Helena (Lúcia Alves), que se encontra às ocultas com seu pai legítimo, Salvador (Gilberto Sávio) faz com que se desconfie que ela tem um amante.No final, embora perdoada por Estácio(Osmar Prado ), que descobre a verdade, Helena (Lúcia Alves) morre em consequência de uma febre nervosa.Primeira novela de Gilberto Braga. Com ela, inaugurou-se o horário das 18hs, dedicado á literatura.


23 - Pecado Capital - 1975

Betty Faria e Francisco Cuoco
A novela conta a história de um motorista de táxi(Francisco Cuoco) que passa a viver um dilema após assaltantes de banco em fuga esquecerem em seu táxi uma mala com o dinheiro roubado, 800 mil cruzeiros, uma fortuna na época, ficando na dúvida se a entrega à polícia, correndo o risco de ser acusado de cúmplice do assalto, ou se usa o dinheiro para resolver seus problemas. No final,Carlão, que agira de má fé, morre assassinado entre as obras do metrô Estação Carioca. Betty Faria, viveu a Lucinha ..As cores chegavam ao horário das 20hs. Considerada a melhor de Janete Clair.

24 - Estúpido Cupido 1976

 
 

Françoise Forton
Ambientada na década de 60. Em preto e branco, teve o último capítulo exibido em cores.A estudante normalista Maria Tereza (Françoise Forton), conhecida como Tetê, é uma moça sonhadora que deseja sair da pequena Albuquerque para ser eleita Miss Brasil, mas o namorado João(Ricardo Blat) , aspirante a jornalista, morre de ciúmes e pretende se casar com ela, colocando-se como empecilho nos seus planos.

25 - Escrava Isaura - 1976


 
 Lucélia Santos

Órfã desde o nascimento, a escrava branca Isaura (Lucélia Santos) , filha de  uma mulata, mucama da fazenda onde agora reside. Isaura sempre foi amparada por Ester (Beatriz Lyra), sua senhora, que a educou como moça da Corte. Sua protetora morre logo no início da trama, e o filho, Leôncio (Rubens de Falco), se torna o administrador dos bens da família que apaixonado por Isaura e furioso por não ser correspondido, ele se apodera de sua carta de alforria, e aplica castigos cruéis à moça.Um marcante sucesso. Durante 23 anos foi o maior produto de exportação da emissora.

26 - O Casarão 1976

Paulo Gracindo e Yara Cortes 

No ano de 1976, Carolina (Yara Cortes) , acompanha o sucesso de João Maciel (Paulo Gracindo), recortando os jornais que informam sobre as andanças do artista.Sua volta a Sapucaí significa o reencontro com um passado mal resolvido. Depois de muitos desacertos Carolina e João Maciel realizam o sonho de ficar juntos.Foi uma revolução na linguagem: ambientada simultaneamente em três épocas diferentes.

27 -Anjo Mau - 1976

Susana Vieira

O Anjo Mau, da história é Nice (Susana Vieira) uma moça pobre, bonita e ambiciosa que não se conforma com profissões mais humildes como operária e balconista, sendo sempre despedida por displicência, mas vai ser uma simples babá. Por isso, ela fez de tudo para agradar a família e conquistar o coração de Rodrigo (José Wilker). E conseguiu.A primeira trama de Cassiano Gabus Mendes, criando um modelo ideal para o horário das 19hs.

28 - Espelho Mágico - 1977
 Tarcisio Meira e Gloria Menezes
Mostrava uma novela dentro da novela. Contava como astros e estrelas são no dia-a-dia.Diogo Maia(Tarcísio Meira) e Leila Lombardi (Glória Menezes)formam o casal principal da história.O amor de Ciro (Diogo Maia /Tarcísio Meira) e Rosana (Leila Lombardi/Glória Menezes) é ameaçado pela presença de Débora (Diana Queiroz /Vera Fischer).Ciro é um compositor que já fora famoso e  numa viagem, o iate de Ciro, é sabotado, explode em alto-mar e ele é dado como morto,porém sobreviveu.A telenovela fala sobre o cotidiano, o sucesso e os conflitos de profissionais de meios de comunicação:atores, diretores, autores e jornalistas. As histórias são contadas através dos bastidores de Coquetel de Amor, uma novela inserida na trama.As cenas de Coquetel de Amor são intercaladas com as de Espelho Mágico, e as tramas das duas novelas se misturam.No final, Diogo e Leila se reconciliam, mas ele embarca sozinho para a Europa, onde participará de um filme. A atriz prefere ficar ao lado de Beatriz,(Lídia Brondi) mas diz que vai esperar a sua volta. Ciro e Rosana também têm um final feliz em Coquetel de Amor.


29 - Pecado Rasgado 1978

Aracy Balabanian e Juca de Oliveira
Primeira trama de Silvio de Abreu na Globo. Prejudicada pelo elenco numeroso.A trama tem como protagonista Teca (Aracy Balabanian), batalhadora e independente, mas emocionalmente instável. Vive com sua mãe, Aída, que é viúva e se preocupa pelo futuro da filha.Psicóloga, Teca trabalha com jovens. Renato é viúvo e quarentão, executivo de sucesso, vice-presidente de uma joalheria, inteligente e sedutor, apaixona-se por Teca ao se conhecerem em Paris. 


30 - Maria, Maria - 1978

 Nívea Maria
Primeira de Manoel Carlos, adaptada da obra de Lindolfo Rocha. Teve requinte de produção.Nívea Maria interpretou dois personagens distintas: a Maria Alves, pobre, com olhar singelo e gestos simples; e a Dusá, uma aristocrata. O tropeiro Ricardo Valeriano Brandão (Claudio Cavalcanti) encontra a família de Maria, gente miserável que aceita qualquer coisa por um pedaço de carne seca ou um punhado de sal.e seu pai oferece Maria, em troca de mantimentos.Ricardo aceita a oferta mas libera Maria de seu compromisso, e parte rumo ao seu destino, deixando a imagem da bela sertaneja esfomeada que não lhe sairá da cabeça. Maria também não consegue esquecer o seu bem-feitor e nutre a esperança de que algum dia ele retorne para tirar-lhe daquela vida miserável. Já Maria Dusá, é uma mulher deslumbrante, de fino trato,  Dusá é uma criatura expansiva e de grande influência entre os poderosos das redondezas e desejada pelos homens e invejada pelas mulheres. Ambas apaixonam-se por Ricardo, que as confundiu. 

31 - Eu Prometo - 1983

 
Renée de Vielmond e Francisco Cuoco

A última novela de Janete Clair, que faleceu sem concluí-la. Não conseguiu reativar o horário das 22hs. Lucas Cantomaia (Francisco Cuoco) político honesto ,deputado federal e concorrendo ao Senado Federal. Casado com Darlene (Dina Sfat) se apaixona por a fotógrafa Kelly Romani (Renée de Vielmond )comprometendo a imagem do bom marido e do casamento feliz.

32 - Sol de Verão - 1983

 Irene Ravache e Jardel Filho

A telenovela conta a história do dilema de Rachel (Irene Ravache), uma mulher que saiu de um casamento infeliz com Virgílio (Cecil Thiré), e acaba se envolvendo com Heitor(Jardel Filho), mecânico boêmio e bonachão que nunca havia vivido um compromisso sério. A morte do ator Jardel Filho fez com que o autor Lauro César Muniz precipitasse seu final.

33 - Guerra dos Sexos - 1983

 
 Fernanda Montenegro e Paulo Autran

O clima de comédia inspirado no cinema americano resultou numa comédia inesquecível.É uma comédia que gira em uma disputa entre homens e mulheres. Cada grupo tentando provar ao outro sua superioridade. Oos primos Charlô( Fernanda Montenegro) e Otávio ( Paulo Autran)conhecidos  pelos apelidos jocosos de Cumbuca e Bimbo, tiveram um tumultuado namoro na adolescência e  recebem como herança de seu tio Enrico a cadeia de lojas Charlô's e a mansão onde moram.Os atritos entre os primos, tanto em casa como no escritório, tornam essa convivência impossível.


34 - Partido Alto - 1984 

 Elizabeth Savalla e Claudio Marzo

Escrita por Aguinaldo Silva e Glória Perez. A dupla desentendeu e ela conduziu a trama até o final.A história mostrava dois mundos opostos: Isadora (Elizabeth Savalla), filha do rico industrial Arnaldo Amoedo (Rubens Correa), sai de um casamento problemático com Sérgio (Herson Capri), um mau-caráter,  e se envolve com o professor universitário de história, Maurício Vilela (Claudio Marzo), que tem uma amante, a manicure Jussara (Betty Faria) e porta-bandeira da escola de samba Acadêmicos do Encantado.Do outro lado a história está Amoedo, que esconde o segredo da   verdadeira mãe de sua filha, Isadora. 

35 - Roque Santeiro - 1985

Lima Duarte ,Regina Duarte e José Wilker
Censurada em 1975, foi um fenômeno de audiência ao ser exibida dez anos depois. O todo poderoso fazendeiro Sinhozinho Malta(Lima Duarte), que mantém uma relação com a fogosa e extravagante Porcina(Regina Duarte), a suposta viúva de Roque Santeiro(José Wilker), vê seu relacionamento ameaçado com a presença dele,Roque Santeiro(José Wilker) em Asa Branca.

36 - Vale Tudo - 1988
 
 Gloria Pires e Regina Duarte
Corrupção e falta de ética conduziam Vale Tudo, que denunciava a inversão de valores no Brasil do final dos anos 1980.A trama passa então a mostrar a dualidade: Maria de Fátima( Gloria Pires)buscando ficar rica com o casamento arranjado, enquanto Raquel(Regina Duarte), vendendo sanduíches na praia, acaba subindo na vida e, de maneira honesta, vira dona de uma rede de restaurantes industriais.Simpática, e comunicativa, é a heroína da novela.Seu bordão é: “Sangue de Jesus tem poder”.A melhor novela de Gilberto Braga. O Brasil parou para saber Quem matou Odete Roithman?

37 - Por Amor - 1997

Regina Duarte e Gabriela Duarte 
Helena(Regina Duarte) é a verdadeira amiga da filha Maria Eduarda(Gabriela Duarte),que só tem olhos para  Marcelo(Fabio Assunção), e se torna possessiva unindo-u-se a ele .Mãe e filha engravidam na mesma época e dão à luz no mesmo dia. O filho de Helena nasce grande e saudável, e o filho  de Eduarda morre horas depois de uma morte súbita. Helena decide trocar os bebês.Eduarda cria o meio-irmão pensando ser seu próprio filho.A melhor novela de Manoel Carlos. A troca de bebês entre mãe e filha mobilizou a opinião pública.

38 - Terra Nostra - 1999

 
Ana Paula Arósio e Thiago Lacerda 
A história se passa nas fazendas de café no interior de Sã oPaulo com a imigração italiana no Brasil e o romance de Giuliana (Ana Paula Arósio) e Matteo (Thiago Lacerda), imigrantes italianos que foram tentar uma vida melhor em terras brasileiras e os dois fazem planos de se casar. Na hora do desembarque, Giuliana e Matteo se perdem e seguem rumos diferentes.A melhor novela de Benedito Ruy Barbosa. A belíssima fotografia foi um dos pontos altos da novela.

39 - O Clone - 2001
 
 Giovanna Antonelli e Murilo Benício

Leônidas Ferraz (Reginaldo Faria) é pai de gêmeos idênticos: Diogo Ferraz e Lucas Ferraz, interpretados por Murilo Benício.Lucas conhece e se apaixona perdidamente por Jade Rachid (Giovanna Antonelli), a  romântica muçulmana marroquina sendo correspondido, mas são impedidos de ficarem juntos devido aos costumes muçulmanos.  Eles passam a viver uma história de amor encontrando-se às escondidas, em uma relação verdadeira e perigosa, onde o amor prevalece.A melhor novela de Glória Perez. Foi esticada em um mês devido à excelente audiência.

40 - Senhora do Destino - 2004

 
Susana Vieira, Carolina Dieckmann e Renata Sorrah
Maria do Carmo(Susana Vieira), é uma mulher forte e bem-sucedida, dona da loja de material de construções denominada "Do Carmo", querida e respeitada em Vila São Miguel por sua ética e generosidade. Sofre muito pois nunca mais teve notícias de Lindalva o seu bebê sequestrado , e ninguém achou o paradeiro da sequestradora que pensa se chamar Lourdes (Adriana Esteves)mas na verdade é  Maria de Nazaré Esteves Tedesco (Renata Sorrah). A melhor novela de Aguinaldo Silva. O maior sucesso de audiência dos últimos tempos.

Ficaram faltando aqui muitos outros títulos que marcaram estes 40 anos . Como, "Dancin Days" "Que Rei sou eu?", "Laços de Família". Mas, por enquanto, estas ficarão para um próximo capítulo.

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de Domingo, 24 de abril de 2005
Revista da TV.
Fotos: Yoná Magalhães-blogger-BOL Noticias-Uol-Astros em Revista-blogger.com-Cinema na Panela-WordPress.com- Rede Globo-Patrícia Kogut-Veja São Paulo-Pinterest-Ricardo Orlandini Cedoc/TV-Atualize-blogger-Memória Globo-https:pt.wokipedia.org.-Viva-Globo.com-OFuxico-Gewnte iG-História Grupo Globo-Observatório da Televisão-TV Foco-Alt Astral.