terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Recordistas Do Ibope

Conheça as novelas que mais deram audiência na história da TV brasileira
Quando se fala em novela de sucesso, automaticamente se fala em índice de audiência. É através deles que um canal de TV  mede o nível de aceitação de um programa junto ao público de massa, como também avalia o potencial mercadológico da atração perante os anunciantes.

Guilherme Winter 
Moisés abriu o Mar Vermelho e 'afogou' a Rede Globo.
Os Dez Mandamentos é um caso recente de como os avanços nos números do Ibope podem ser motivo de comemoração para uma emissora. A novela bíblica de Viviam de Oliveira tem rompido recordes e, em episódios mais recentes, chegou a picos incríveis de 32 pontos - contra apenas 18 da Rede Globo, que estava exibindo o Jornal Nacional e a claudicante novela das 21, A Regra do Jogo.Os números são tão inusitados que já há quem se refira a Os Dez Mandamentos como a nova Pantanal' - trama da extinta Rede Manchete que também venceu a 'vênus platinada' no Ibope no ano de 1990, com médias realmente inacreditáveis. Mas será que 30 pontos é tanto assim? A história prova que não. Diversos outros folhetins, em especial, os das décadas de 1980 e 1990, chegaram a patamares muito superiores aos atingidos por estas duas exceções clássicas fora da Globo.
Abaixo você confere um levantamento feito pela TV Brasil sobre as novelas que mais tiveram audiência - em números absolutos - na história da TV nacional, como também as condições sociais e culturais de público entre os dias atuais e as décadas passadas. Confira!

Roque Santeiro
95 a 100 pontos

Lima Duarte e Regina Duarte
Nenhum título global teve mais sucesso nos números do que Roque Santeiro. A história da viúva Porcina (Regina Duarte) e do sinhozinho Malta (Lima Duarte) chegou a 95 pontos de média - e a 100 de pico! Um verdadeiro fenômeno.

Tieta
63 pontos

Betty Faria
Poucas novelas bombaram tanto no Ibope como Tieta. Adaptada do livro de Jorge Amado e com Betty Faria no papel principal, a história recriada por Aguinaldo Silva trouxe uma trama ousada e pitoresca - e a audiência correspondeu à altura.

O Salvador da Pátria
62 pontos


Lima Duarte
O Salvador da Pátria rompeu recordes no Ibope no final do ano de 1989, quando ainda era absoluta a hegemonia da TV aberta, na qualidade de principal meio de entretenimento do brasileiro. O lucro com publicidade era enorme, já que, nessa época, anunciar um produto no intervalo do folhetim das 20h era garantia de altíssimas vendas.

Renascer
60 pontos

Antonio Fagundes
De Benedito Ruy Barbosa, Renascer foi outro folhetim que superou expectativas no horário nobre da Globo. A trama rural é um dos grandes clássicos de Benedito Ruy Barbosa e narrava o triângulo amoroso entre o fazendeiro José Inocêncio (Antonio Fagundes), seu próprio filho, João Pedro (Marcos Palmeira) e a jovem Mariana (Adriana Esteves).

Rainha da Sucata
59 pontos

Regina Duarte
Nem mesmo o fenômeno Pantanal, da Rede Manchete, pôde ofuscar o brilho de Rainha da Sucata, que atingiu no começo dos anos 90 índices praticamente impossíveis hoje em dia. 25 anos depois, a novela ainda é lembrada como um caso raro de audiência e de repercussão.

Pedra Sobre Pedra
57 pontos

Luisa Tomé e Paulo Betti
Também no início da década de 1990, Pedra Sobre Pedra conseguiu beirar os 60 pontos! Além dos protagonistas, vividos por Lima Duarte e Renata Sorrah, personagens como Jorge Tadeu (Fábio Jr.), Sérgio Cabeleira (Osmar Prado) e Dona Quirina (Miriam Pires) fizeram o êxito desse folhetim de Aguinaldo Silva, que aliás foi recentemente reprisado pelo canal Viva.

Vale Tudo
56 pontos

Glória Pires e Regina Duarte
Uma das novelas brasileiras mais emblemáticas de todos os tempos, Vale Tudo logrou  essa façanha no Ibope no ano de 1988. É bem verdade que o contexto social era outro. Nessa época, o público ainda nem sonhava em dispor da TV a cabo e da internet - consideradas hoje as principais concorrentes da televisão aberta, e um dos fatores responsáveis pela queda de audiência de canais como Globo, SBT e Record.O recorde seria repetido anos depois, em 1995, por Fera Ferida, também do horário nobre.

De Corpo e Alma
52 pontos


Tarcísio Meira e Cristiana Oliveira
A primeira a atingir esse expressivo recorde foi De Corpo e Alma, folhetim escrito por Glória Perez em 1994 e bastante recordado pelo caso de assassinato da filha da autora, a atriz Daniela Perez, pelo colega de elenco Guilherme de Pádua. A trama girava em torno da história de amor entre Diogo (Tarcísio Meira) e Paloma (Cristiana Oliveira), depois que o coração da amada dele, Betina (Bruna Lombardi), é transplantado à heroína, e fez muito sucesso no horário nobre da Globo. O mesmo índice foi registrado por O Rei do Gado em sua primeira exibição, em 1995.

Texto: Núcia Ferreira

Publicado na revista TV Brasil n/n 820
Ibope


Nenhum comentário:

Postar um comentário