quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Brígida Brito - A Fábula Do Porco Espinho







Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.

Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados.

Então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.

Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.

O filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) escreveu a “Fábula do porco-espinho”, que pode ser aplicada à convivência social.

Brígida Brito
Médica e terapeuta de regressão

Publicada no jornal Correio da Paraíba
Edição de 5 de janeiro de 2016
Espaço do Ser

Nenhum comentário:

Postar um comentário