quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Onaldo Queiroga - Adeus 2015

Estamos chegando ao fim do ano de 2015. Numa retrospectiva sobre esse período certamente muitos vão elencar inúmeras situações negativas que ocorreram no Brasil e no mundo. Basta lembrar que foi um ano marcado pela corrupção, a qual chegou a um patamar asqueroso, leproso e de contornos deprimentes. Foi o ano da lama que soterrou comunidades, culturas e vidas. Que transformou água límpida e cristalina de um Rio chamado "Doce" em um marrom apocalíptico. 2015 foi o ano em que o mosquito Aedes aegypti foi implacável espalhando dengue, chikungunya e a tal da Zika. Esta última trouxe consigo efeitos devastadores como a microcefalia.

O inverno em 2015 foi de pouca chuva para o Nordeste. Tivemos temperaturas altas, uma estiagem violenta que diminuiu as águas dos riachos, rios, açudes e grandes barragens. Perdemos grandes nomes como Marília Pêra, Antônio Abujamra, Jorge Loreto, Carlos Manga, Betty Lago, Inezita Barroso, B.B. King, Cláudio Marzo, Odete Lara, Elias Gleizer, Orlando Orfei, Miele, Olacir Moraes, José Rico, Christopner Lee, Jim Diamond, o comediante Tutuca e o ex-jogador Zito, dentre tantos outros.

Assistimos milhares de sírios, iraquianos e ucranianos despatriados vagando pelo mundo, ante a insanidade do poder pelo poder. De outro lado, assistimos indignados o ataque covarde de terroristas na cidade luz, Paris, espalhando mais uma vez o pânico, medo e dor. Contudo, jamais abalaram e abalarão os princípios de amor, liberdade e fraternidade que comandam aquele povo. No futebol, o meu Vasco da Gama, mais uma vez, fez desceu para a segunda divisão, mas para ele o amor não tem divisão, por isso, estaremos juntos em 2016.

Mas nem tudo foi desgraça. Devemos agradecer a Deus pela saúde e fortaleza de termos atravessado todas essas intempéries. Adeus 2015 e que venha o próximo ano repleto de paz e amor.

Onaldo Queiroga, Juiz de Direito. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário