sexta-feira, 8 de abril de 2016

Só Na Ficção!

Confira as situações abordadas de forma errada pela dramaturgia

Coma e confusão mental ( Totalmente Demais)

 Samantha Schmutz
Recentemente, a novela Totalmente Demais mostrou a personagem Dorinha (  Samantha Schmutz) se submetendo às pressas a uma cirurgia plástica. E uma série de erros médicos fez com que a personagem entrasse em coma e depois apresentasse uma confusão mental. Mas, de acordo com especialistas, se fosse na vida real, o caso teria sequelas muito mais graves. O primeiro erro da novela se refere ao fato de que, no Brasil, devido a alta complexidade do procedimento, o mais recomendável é que a operação para colocar próteses de silicone seja realizada em hospitais e Dorinha optou por uma clínica para poder pagar mais barato. Mas isso até que passa despercebido, se levarmos outro caso em consideração: desenvolver uma reação alérgica a anestesia (como aconteceu no folhetim da Globo) é raro e causaria danos irrecuperáveis.

 No caso de Dorinha, a troca de personalidade seria impossível

De acordo com a Sociedade Brasileira de Anestesiologia a incidência desse tipo de alergia é de um caso a cada 10 mil pessoas que se submetem ao processo e, ainda assim, várias medidas podem ser tomadas para evitar o agravamento do quadro. Além disso, quando o paciente entra em coma e tem um dano cerebral, a situação é irreversível. Ou seja, Dorinha não teria recuperado sua personalidade.Karina Gillio, médica cirurgiã plástica, explicou que a confusão mental não se daria dessa forma. "Essa troca de personalidade não é compatível com a vida real. A pessoa pode chegar a ter uma amnésia, mas esse quadro não se reverte mais. Pode ter uma pequena melhora, mas não retorna ao que era antes", disse a especialista, em entrevista ao site Notícias da TV.

E essa não foi a primeira vez que a dramaturgia 'ignorou' a realidade. Relembre outros casos marcantes!

Bipolaridade de Nelita ( A Regra do Jogo)

Bárbara Paz em A Regra do Jogo reforçava estereótipos e confundiu doenças
Interpretada por Bárbara Paz, a personagem da novela A regra do Jogo sofria de bipolaridade, no entanto, segundo os especialistas da Associação de Psiquiatria, as cenas da trama não eram fiéis ao que acontece na vida real. De acordo com eles, o folhetim reforçava o estereótipo sobre a doença e não apresentava nenhuma relação com o Transtorno de Humor Bipolar. Além da internação do paciente só ser necessária quando ele apresenta sintomas psicóticos, a atração ainda confundiu transtorno de múltiplas personalidades (ou transtorno dissociativo de identidade) com bipolaridade.

Lúpus de Paulinha ( Amor à Vida)

KIara Castanho - transplante desnecessário em Amor à Vida
 Em Amor à Vida, a personagem da jovem KIara Castanho tinha a doença que ataca a pele, articulação, rins e outros órgãos do corpo. Assim que a enfermidade foi descoberta, a menina teve que se submeter a um transplante de fígado. O problema realmente acomete o fígado, porém, apenas as enzimas produzidas pelo órgão são afetadas e o paciente não apresenta sintomas. Além disso, não existem casos em que o doente precisou ser submetido a um transplante por ter somente lúpus. 

Linfoma de Hodking  (Amor à Vida)

Marina Ruy Barbosa não sofreria tanto na vida real
Também na novela Amor à Vida, Nicole (Marina Ruy Barbosa) foi diagnosticada assim que percebeu uma mancha estranha na pele. O normal é que se descubra a doença mais precocemente, pois antes o paciente apresenta sintomas como perda de peso e inchaço nos gânglios linfáticos. As manchas na pele só aparecem quando o problema já está bem desenvolvido. O erro mais grave, contudo, foi o prognóstico de que a menina teria apenas seis meses de vida, quando, na verdade, esse tipo de câncer é considerado um dos mais curáveis, mesmo em estágio já avançado.

Doação de Sêmem ( Sete Vidas)

Domingos Montagner - situação de Miguel ignorou a Lei
Na trama de Sete Vidas, o personagem Felipe (Michel Noher) era fruto de inseminação artificial, ficou doente e precisou de um transplante de fígado. Por não conhecer seus parentes consanguíneos, o rapaz precisaria encontrar um doador compatível. Porém, Miguel (Domingos Montagner) já havia sido localizado, antes mesmo de assumir a paternidade de Felipe. O que seria impossível, pois, segundo a lei brasileira, a doação de sêmem e óvulo é feita de forma totalmente anônima, para torná-la mais segura aos envolvidos e evitar que se torne uma transação comercial. Caso alguma situação como essa acontecesse, os médicos envolvidos no procedimento teriam que intermediar o caso.

Barriga de Aluguel (Barriga de Aluguel)

Cláudia Abreu - sem respaldo da Lei
A novela de 1990 abordou a polêmica do 'últero de substituição'.Na trama, Ana (Cássia Kiss) sonhava em ser mãe e alugava a barriga de Clara (Cláudia Abreu). Mas. de acordo com a legislação brasileira, isso também não aconteceria. A 'barriga de aluguel' só é permitida se não houver nenhum fim lucrativo e se a doadora temporária pertencer à família. Caso contrário, seria necessário uma autorização do Conselho Federal de Medicina. Ou seja, se fosse na realidade, a situação denotaria em uma conduta antiética dos profissionais e da clínica responsável pelo procedimento, e nenhuma das duas teria o respaldo da lei.

Texto: Luana Rodriguez

Publicado na revista TV Brasil n/n 835
Duro de Acreditar

Nenhum comentário:

Postar um comentário