terça-feira, 31 de maio de 2016

As Novelas De Paulo Figueiredo

Destaque em Os Dez Mandamentos, o ator coleciona muitos trabalhos na telinha

 Paulo Figueiredo
A arte sempre esteve presente na vida de Paulo Figueiredo, que é filho de um músico amador. Junto com o pai e um irmão, o artista se apresentava em shows e programas de rádios na década de 50. Paulo chegou até a gravar alguns discos, mas acabou mesmo abraçando a carreira de ator. Sua estreia foi na TV Excelsior, na novela A Outra, em 1965.Depois vieram tramas como Ninguém Crê em Mim, Almas de Pedra e Anjo Marcado. Ele ainda participou da adaptação para a TV de O Morro dos Ventos Uivantes, como o jovem Heathcliff.



Como Almeida na novela Éramos Seis, com Jussara Freire

Em 1968, Paulo fez seu primeiro papel na Tupi, na novela Antônio Maria, além de O Décimo Mandamento e O Rouxinol da Galiléia, no mesmo ano! Mas ele chamou mesmo a atenção como o Nino, em O Italianinho. No mesmo canal, brilhou em Simplesmente Maria, A Fábrica, Vitória Bonelli, Os Inocentes, entre outros trabalhos de sucesso e chamou a atenção em O Profeta e na primeira versão de Éramos Seis, em 1977.

E na Globo


Como Miguel na novela A Sucessora 
Já com carreira consolidada, Paulo Figueiredo estreou na Rede Globo em A Sucessora (1978) - a primeira trama escrita por Manoel Carlos na emissora -, como Miguel, um jornalista envolvido com política, muito inteligente e expressivo.

Como Otávio na novela Marrom Glacê 
No ano seguinte, fez o maior sucesso em Marrom Glacê, como o protagonista Otávio que, para vingar a morte do pai, planejou tomar posse da empresa que acreditava ser de sua família. Como garçom, ele começou a trabalhar no bufê, mas acabou se apaixonando por Vanessa (Sura Berditchevsky), uma das filhas da atual proprietária, Clotilde (Yara Cortes).

Entre uma emissora e outra

Como Almeida em na novela Éramos Seis , com Jussara Freire 
Depois de viver o médico de Paloma (Cristiana Oliveira) em De Corpo e Alma, Paulo fez alguns trabalhos fora da Globo. No SBT, foi o Almeira, que vivia uma paixão quase proibida com Clotilde (Jussara Freire) em Éramos Seis, por ser divorciado. Em seguida, interpretou o Tenente Paranhos, em Sangue do Meu Sangue, e Humberto, em Antônio Alves, o Taxista.

Como Afrânio na novela Mulheres Apaixonadas
Na sequência, o ator atuou na novela Perdidos de Amor na TV Bandeirantes. Em 2000, voltou para a Globo para dar vida a Rodrigo, apaixonado por Alma (Marieta Severo), em Laços de Família. Na emissora fez ainda Coração de Estudante e Mulheres Apaixonadas,pai zeloso de Marina (Paloma Duarte) antes de deixar de vez a casa.

Novos ares

Como o coronel Sebastião na novela A Escrava Isaura
Em 2000, após fazer Daniel, em Roda da Vida, Paulo caiu nas graças da Record, mas só em 2004 se firmou definitivamente na emissora em que atua até hoje. "Fazer televisão é, antes de mais nada, exercitar o trabalho em equipe e a humildade. É um emprego como outro qualquer, que exige dedicação e comprometimento em prol de algo maior", definiu Paulo, que esteve ainda em A Escrava Isaura, Prova de Amor (2005), como Dr.Vitor lopo, e Luz do Sol (2007), na pele do Rodolpho Vila Nova.

Como professor Cirilo na novela Promessas de Amor
Em 2009, Paulo fez parte do grande sucesso da emissora: Mutantes - Promessa de Amor, como Cirilo.   "Sempre prezei por ter uma boa relação com todas as emissoras em que trabalhei. Sinto-me extremamente realizado com os personagens que tive e tenho a oportunidade de interpretar", analisou o ator, satisfeito com sua trajetória.

Trabalho de sucesso

Como Jetro na novela Os Dez Mandamentos
Na novela Os Dez Mandamentos, ele viveu o hebreu Jetro, chefe de família que, no início da trama, acolheu e protegeu Moisés (Guilherme Winter). "Jetro era um homem sábio e religioso, que falava o tempo todo sobre Deus numa época em que a maioria das pessoas era politeísta, ou seja, acreditava em vários deuses", contou o ator, que ainda elogiou o personagem por lidar com tantas mulheres na casa. "Ser pai de sete filhas deve ser um problema. Lidar com sete personalidades, temperamentos, idades e pensamentos diferentes não é fácil. Porém, ele conseguiu exercer uma autoridade sobre as 'meninas' sem ser repressivo", ressaltou. Paulo encerrou recentemente sua participação na segunda temporada do folhetim bíblico da emissora de Edir Macedo.

Na telinha 

1966 - Almas de Pedra
Adriano
1978 - A Sucessora
Miguel Figueira
1979 - Marron Glacê
Otávio
1988 - Bebê a Bordo
Dino
1994 -  Éramos Seis
Almeida
2000 - Laços de Família
Rodrigo
2005 -  Prova de Amor
Dr. Vitor Lopo
2015/16 - Os Dez Mandamentos
Jetro

Texto: Núcia Ferreira

Publicado na revista TV Brasil n /n 841
Fotos: Reprodução/Divulgação-novelasrenan.blogspot.com-diversao.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário