quarta-feira, 29 de junho de 2016

A Novela Sinhá Moça


Nos tempos da escravidão
Filha de um malvado barão sonhava com o fim das maldades contra os negros e ainda com um grande amor.
Encontros e desencontros
Antes do final feliz, a luta pela abolição da escravatura fez muita gente sofrer

Larissa Biondo e Lucas Rocha
Sinhá Moça e Rafael quando crianças
Na infância, Sinhá Moça (Débora Falabella) era a melhor amiga de Rafael (Lucas Rocha), um escravo mestiço ligado a um mistério na trama.Os dois viviam brincando, mas a inocência das crianças foi perdida quando viram Pai José (Milton Gonçalves) ser chicoteado até a morte.
Milton Gonçalves
Antes de falecer, o velho negro contou a Rafael (Lucas Rocha) que ele era filho do barão Ferreira de Araruna (Osmar Prado). A revelação deixou o garoto abalado, já que, apesar da pouca idade, ele era apaixonado por Sinhá Moça. Por sorte, a menina não ouviu o segredo e nem desconfiava que ele era seu meio-irmão.


Cris Viana e Lucas Rocha
Maldoso e vingativo, o barão não aceitava vender Rafael e sua mãe, Maria das Dores (Cris Viana), e só depois de muito sofrimento é que os dois foram vendidos a um homem bom, que os levou para longe de Araruna.

Osmar Prado e Patrícia Pillar
O malvado Barão de Araruna e a baronesa Cândida
Débora Falabella
A doce e engajada Sinhá  Moça

Eriberto Leão
Dimas/Rafael (Eriberto Leão) , filho do Barão (Osmar Prado)e  Maria das Dores (Cris Vianna), herdou a pele branca do pai. Quando criança, Rafael viu o avô, Pai José (Milton Gonçalves), morrer no tronco, e foi vendido com a mãe a um mercador de escravos. Retorna à cidade anos depois, alforriado, apresentando-se como Dimas e cheio de ódio, querendo vingança contra o Barão. Ele é reconhecido por Sinhá Moça (Débora Falabella) que, sem saber que são irmãos, confunde os sentimentos que afloram em seu coração.

Uma jovem abolicionista

Debora Falabella e Dalton Mello

Os anos passaram e Sinhá Moça transformou-se em uma bela e culta donzela, cheia de ideias próprias. Após se formar em São Paulo, ela voltou à sua cidade e, na viagem de trem, conheceu Rodolfo (Danton Mello), um rapaz interessante, mas que a aborreceu quando conversaram sobre abolicionismo. Rodolfo disfarçou suas convicções por acreditar que a jovem filha de barão, era uma escravocrata. Mas o rapaz estava enganado, pois a garota também era abolicionista e contra as atitudes do pai.

O homem misterioso

Dalton Mello e Debora Falabella

Apaixonado pela mocinha da história, Rodolfo continuou fingindo ser monarquista para conquistar a confiança do barão e, assim, se aproximar da amada. O plano deixou Sinhá Moça decepcionada, já que ela pensava ter se apaixonado por um homem com valores contrários aos seus. Mas o que ela e ninguém sabia era que o rapaz, sob a identidade do mascarado Irmão do Quilombo, invadia senzalas para libertar os negros. E mais! Rodolfo integrava uma associação clandestina que comprava escravos para alforriá-los.Posando de escravocrata para o sogro, Rodolfo (Danton Mello) conseguiu permissão para namorar Sinhá Moça (Débora Falabella) oficialmente.


Eriberto Leão como Dimas
Só que, nesse meio tempo, ela conheceu Dimas (Eriberto Leão). Sem saber que o rapaz na verdade era Rafael, seu grande amigo de infância, a jovem passou a ter uma grande admiração por ele e por suas ideias sobre o abolicionismo, e pensou estar apaixonada pelo rapaz. Mas ele voltou à Araruna cheio de ódio e queria se vingar de seu verdadeiro pai, o Barão.
Carlos Vereza
Na cidade, Dimas escondeu seu passado e se tornou o braço direito do jornalista Augusto (Carlos Vereza), abolicionista convicto que lutava para difundir seus ideais através do jornal A Voz de Araruna, publicação que tinha como principal opositor o pai de Sinhá Moça. Augusto era um apaixonado pelo seu trabalho e também pela neta, a linda Juliana (Vanessa Giácomo), de quem cuidava desde menina. 
Vanessa Giácomo
A doce Juliana era apaixonada por Dimas
Ela era uma moça recatada, muito inteligente e cheia de vida. Convivendo diariamente, não demorou muito e Juliana acabou se apaixonando pelo misterioso Dimas.

O mesmo ideal


Dalton Mello
Enquanto isso, Rodolfo (Danton Mello)fazia de tudo para conquistar o coração de Sinhá Moça. Mas, por um longo período, a professorinha só queria mesmo era saber de Dimas e do mascarado Irmão do Quilombo, sem nem imaginar que se tratava do advogado. Com muito custo, e após um bom tempo, a bela acabou percebendo que Dimas era o amor da vida de Juliana e que ela realmente estava apaixonada por Rodolfo. Aos poucos, Sinhá Moça descobriu as ideias revolucionárias do amado e o processo em que ele estava envolvido para acabar com a escravidão.

Dimas volta a ser escravo


Eriberto Leão
A história se complica quando Fulgêncio (Sérgio Menezes), preso no tronco, deixou escapar que o filho de Das Dores (Cris Viana) estava de volta à cidade. Com a ajuda de Bruno (Humberto Martins), logo o Barão deduziu que o escravo branco alforriado que chegara recentemente e se apresentava como Dimas, na verdade, era Rafael. O Barão afirmou que sua carta de alforria era falsa e mandou o Capitão do Mato (Maurício Gonçalves) levá-lo para a senzala da fazenda. Apesar do espanto de Augusto (Carlos Vereza), Dimas em nenhum momento protestou ao ser amarrado na frente de todos e levado para trabalhar com os escravos.

Final feliz
Dalton Mello e Débora Falabella
A trama se passou num período de dois anos e terminou quando a abolição da escravatura finalmente foi assinada, no marcante dia 13 de maio de 1888. Após muitos desencontros, Sinhá Moça e Rodolfo finalmente se entenderam. Eles casaram, tiveram um filho e, juntos, passaram a lutar pela libertação dos escravos.


Osmar Prado e Eriberto Leão
 No último capítulo da novela, à beira da morte, o Barão de Araruna reconheceu a paternidade de Dimas,( que se casou com Juliana), e pediu perdão ao filho. Os dois se abraçaram pouco antes da morte do Barão.

Um eterno apaixonado

Além de Rodolfo, o casal Fontes (Reginaldo Faria)e Inez (Lu Grimaldi) tinham mais um filho, Ricardo (Bruno Gagliasso). 

Reginaldo Faria e Bruno Gagliasso
Dr. Fontes e se filho mais novo, o tímido Ricardo
Ao longo da trama, ele se envolveu com Ana do Véu (Ísis Valverde), que só saia às ruas com o rosto coberto.  

 Ísis Valverde fez sucesso como Ana do Véu
A jovem foi prometida a Rodolfo (Dalton Mello) quando menina e, assim que os dois se casassem, ficaria livre do véu.Ao chegar em Araruna, no entanto, ele rompeu com o compromisso.
 Bruno Gagliasso e Ísis Valverde
Ana entrou em desespero e Ricardo (Bruno Gagliasso) foi consolá-la, despertando os sentimentos da jovem, e apaixona-se por ela sem jamais ter visto seu rosto, prova de sua pureza e bondade. Finalmente eles se casaram.

Derrubando preconceitos


Lucy Ramos e Eduardo Pires
A complicada história de amor entre José Coutinho e Adelaide
Outro romance bastante polêmico da atração, foi o enlace entre o jovem José Coutinho (Eduardo Pires), filho de um dos mais malvados fazendeiros da região, e a escrava Adelaide (Lucy Ramos). Apaixonados, os dois tiveram que lutar muito para ficarem juntos, inclusive com a oposição do pai dele, que, além de não aceitar uma nora negra, queria que seu filho se casasse com a filha do Barão de Araruna. Adelaide vivia na casa grande e trabalhava como dama de companhia de Sinhá moça. José Coutinho, passou então, a se encontrar às escondidas com a amada, mas seu pai descobriu o romance e acabou expulsando o jovem de casa. No decorrer da trama, o rapaz conseguiu convencer Frei José (Elias Gleizer) a realizar seu casamento com Adelaide.

A dor de uma escrava

Zezé Motta
Bá (Zezé Motta) foi outra personagem fundamental na história. Ela teve um 'herdeiro' tirado à força de seus braços pelo Barão de Araruna. A escrava foi trabalhar na Casa Grande, amamentou Sinhá Moça e apegou-se à menina como se fosse sua filha. Bá ainda tinha esperança de reencontrar seu menino, fruto de seu único amor. Pai José.

Ficha técnica

Emissora: Rede Globo
Capítulos: 185
Exibição: 13 de março a 14 de outubro de 2006
Horário: 19h
Autores: Edmara Barbosa e Edilene Barbosa

Curiosidades

Ísis Valverde, na época com 19 anos, estreou na telinha em Sinhá Moça. Os diretores da trama fizeram questão de escalar uma atriz desconhecida do grande público para manter o mistério sobre o rosto da personagem Ana do Véu que, na primeira versão, foi interpretada por Patrícia Pillar.

Chico Anysio integrou o elenco de Sinhá Moça como um fazendeiro abolicionista que, apesar de defender a liberdade dos escravos, não colocava nada além das palavras na luta. Já seu filho, Mário (Caio Blat), sonhava em criar a fundação da Associação dos Abolicionistas de Araruna.

Texto: Núcia Ferreira

Publicado na revista TV Brasil n/n 847 e 848
Vale a Pena Ler de Novo
Fotos: Divulgação/Globo - reeglobo.globod.com-www.abn.com.br-redeglobo.com.www.hosdatedwho.com-momoriaglobo.com-wwww.folha uol.com.br-televisaouol.com.www.latin.com.br-gente.ig.com.br-salvesalveoficial.wordpress.com-www.youtube.com-diversao.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário