segunda-feira, 18 de julho de 2016

Os Grandes Filmes de Hector Babenco

Hector Babenco

O Rei da Noite (1975)

O primeiro filme brasileiro de Hector Babenco conta a história de vida do Tertuliano, um homem que viu a sua tradicional família paulistana ser arruinada pela doença mental do pai, desde a infância do personagem até a velhice. O elenco conta com Paulo José no papel de Tertuliano, Marília Pêra e Vic Militello.

Lúcio Flávio -O Passageiro da Agonia (1977)

Terceiro filme de Hector Babenco, grande sucesso de bilheteria, adapta livo de José Louzeiro sobre um assaltante de banco que ficou internacionalmente famoso. Mas o tom é político. Uma das grandes atuações de Reginaldo Faria. 

Pixote - A Lei do mais Fraco (1981)

Babenco conta a trajetória cruel de um menino de rua (Fernando Ramos da Silva, que não emplacou carreira artística e acabou assassinado anos depois). Marília Pêra tem grande desempenho e foi premiada nos EUA. O filme abriu carreira internacional para o diretor.

O Beijo da Mulher Aranha (1985)

 Raul Julia e William Hurt são dois presos - um político; o outro, por ser gay. Hurt deixa a rotina mais leve ao contar seu filme favorito, cenas onde Sônia Braga aparece arrebatadora. Hurt ganhou o Oscar de ator (e a produção, com quatro indicações, concorreu a melhor filme).

Ironweed (1987)
 Babenco filmou nos EUA, mas mantendo sua pegada social. Meryl Streep e Jack Nicholson são dois alcoólatras na miséria, vivendo na fantasia para suportar o peso do passado. Um filme tristíssimo que deu a Meryl e Nicholson indicações ao Oscar.

Carandiru (2003)

Adaptação do livro de Dráuzio Varela, um painel de histórias de presos do Carandiru, que contam suas histórias ao médico, vivido por Luiz Carlos Vasconcelos. Até chegar o massacre promovido pela polícia. Babenco foi o melhor diretor no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Meu Amigo Hindu (2015)

Último trabalho de Hector Babenco. O longa narra a história de Diego (Willem Dafoe), famoso diretor de cinema que, ao ser diagnosticado com câncer terminal, decide se casar e se despedir dos amigos. Durante sua recuperação, ele conhece um menino hindu de oito anos que também está internado. Juntos, eles vivenciam aventuras fantasiosas, inspiradas no cinema, e que ajudam a superar a difícil realidade da doença. Um dia, o menino não aparece mais. A história é autobiográfica e Hector Babenco fala sobre a proximidade da morte.O filme tem como astro principal o ator norte-americano Willem Dafoe e grandes artistas brasileiros, como Barbara Paz, Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianechini, Selton Melo, Maitê Proença e Dalton Vigh.

Meu Amigo Hindu retrata, mesmo que de maneira fictícia, a luta de Hector Babenco contra um linfoma durante oito anos. O que não foi o suficiente para fazê-lo esquecer do seu amor pelo cinema.

Publicado no jornal Correio da Paraíba
Edição de 15 de julho de 2016 
Caderno 2 C1

Fotos:https://pt.wikipedia.org/wiki/H%C3%A9ctor_Babenco
Pesquisa: http://minhanovela.uol.com.br/noticias/vida-de-artista/relembre-os-filmes-de-hector-babenco.phtml#.V4y-9PkrKUl

Nenhum comentário:

Postar um comentário