sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A Novela Um Só Coração

A São Paulo do início do século 20. Um Só Coração levou para a TV personagens reais de fatos que marcaram a vida cultural.
Yolanda Penteado
A série foi feita para marcar as comemorações dos 450 anos da cidade de São Paulo, em 2004. A trama se passou entre os anos de 1922 e 1954, época em que a capital paulista se transformou radicalmente e virou o grande centro econômico e cultural do Brasil. A produção teve como pano de fundo importantes acontecimentos históricos daquela época, como a Semana de Arte Moderna, a crise de 1929, as revoluções de 1924 e 1932, além de nuances do primeiro governo do estadista Getúlio Vargas.

Mulher de coragem
Herson Capri  e Ana Paula Arósio
Yolanda Penteado se casou com o primo, o malandro Fernão, mas era apaixonada por Martim.
A personagem central era Yolanda Penteado (Ana Paula Arósio) figura real da história. De uma tradicional família da sociedade paulista, era admiradora das artes, forte, corajosa, linda e sempre chamava a atenção por onde passava. A moça se encantou pelo jovem estudante de medicina Martim (Erik Marmo), adepto do movimento anarquista, para desespero de sua família, pois a mãe da jovem queria que ela se casasse com o primo Fernão (Herson Capri). Mas destemida, Yolanda iniciou um romance com Martim.

Desencontro

Erik Marmo
Martim era estudante de medicina e apoiava a causa anarquista
Ao retornar de uma viagem à Europa Fernão pediu Yolanda em casamento. Apaixonada por Martim, a moça nem queria saber desse compromisso e planejou uma fuga com o amado. Só que após um desencontro, o estudante partiu sozinho para o Rio de Janeiro, desolado e com a certeza de que a moça havia desistido do romance. Yolanda também ficou decepcionada com a atitude do amado e resolveu se casar com Fernão. Mesmo ainda amando Martim, ela fez de tudo para ser feliz ao lado do primo, mas só até descobrir que o empresário era mau caráter e a traía com sua melhor amiga, Elisa (Fernanda Paes Leme). Inconformada com a situação, Yolanda Penteado não teve dúvidas e pediu o divórcio, deixando a sociedade 'quatrocentona' da época totalmente chocada com sua grande ousadia. 

Encontro do bem


Edson Celulari e Ana Paula Arósio
Ciccillo Matarazzo era um mecenas das artes.
Yolanda, no entanto, começou a enfrentar dificuldades financeiras após a quebra da bolsa de Nova York, em 1929, e pediu ajuda a um mecenas das artes, Francisco Matarazzo Sobrinho (Edson Celulari), conhecido como Ciccillo. Culto e poderoso, o empresário pertencia à família proprietária do maior parque industrial de São Paulo e se encantou por Yolanda. Os dois se envolveram e tiveram um relacionamento baseado na lealdade, companheirismo e cumplicidade, além de inúmeros pontos em comum, inclusive o amor pelas artes. No final da trama, eles resolveram se separar (mas tudo de comum acordo) e fizeram uma grande festa para anunciar a decisão . O último capítulo mostrou a festa dos 400 anos de São Paulo e Yolanda e Ciccillo apareceram emocionados, em frente ao clássico quadro Guernica, de Pablo Picasso, que, graças às influências do casal, veio para o Brasil para uma lendária exposição.

Erik Marmo e Ana Paula Arósio
Após a festa, Yolanda finalmente saiu em busca do grande amor de sua   vida, Maritn, e aconselhou Ciccillo a procurar a bailarina espanhola por quem ele era muito apaixonado.

A trupe dos modernistas

A série rodou muito em torno da vida cultural de São Paulo no início do século passado. Os vários movimentos artísticos tiveram papel fundamental no desenvolvimento da metrópole e a produção retratou momentos importantes de artistas 'Modernistas', como Anitta Malfatti (Betty Goffman), Oswaldo de Andrade (José Rubens Chachá), Mário de Andrade (Pascoal da Conceição),Menotti Del Picchia (Ranieri Giardini). Já no primeiro capítulo, Mario e Oswaldo de Andrade apareceram planejando a marcante Semana de Arte Moderna de 22. Durante toda a trama foram mostrados aspectos e dramas pessoais desses artistas.

Outros personagens essenciais foram Santos Dumont (Cássio Scapin) e Assis Chateaubriand (Antonio Calloni), que se tornou grande amigo de Yolanda e foi um dos incentivadores da criação da Bienal de artes plásticas de São Paulo e do Masp.

Cenas de conflito foram gravadas no centro de Santos

Curiosidade

A equipe de produção de Um Só Coração teve muito trabalho para remontar a São Paulo dos anos 20 até os anos 50. A série teve sequências rodadas na capital paulista, em Santos, Campinas e no interior do Rio de Janeiro. O centro de Santos, por exemplo, ganhou anúncios daquela época e construções atuais foram 'disfarçadas' com características do século passado.

Ficha técnica

Emissora: Rede Globo
Capítulos: 55
Exibição: 06 de abril de 2004 a 08 de abril de 2004
Horário: 23h
Autor: Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira.

Texto de Flavia Serra

Pulbicado na revista TV Brasil n/n 879
Vale a Pena Ler de Novo
Fotos: Divulgação/Globo
Memória Globo/João Miguel Junior
ISTOÉ Gente-likli2.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário