segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Onaldo Queiroga - Inveja




um conto - uma crônica



Segundo Uindson Sousa: "A felicidade alheia é de difícil digestão para os invejosos."

Realmente, esse sentimento de desejar o mal, o ruim, cobiçar a felicidade do semelhante, é algo que empobrece muito o ser humano. Quem carrega a inveja, pode até ser belo fisicamente, no entanto, esse detalhe termina por transformá-lo numa pessoa feia, indecorosa, vil e desprezível.

A inveja nos leva a constatação de que esse sentimento está afeto aos seres que não possuem sonhos próprios, haja vista que nutrem a existência na vida alheia. São pessoas desprovidas de sensibilidade, afastadas do amor e, com isso, se revestem do manto da inveja. Conviver com um invejoso é deveras difícil, pois como sua caminhada tem como foco a vida do vizinho, então, logo se percebe que ele não tem como prosperar. Consequentemente, por buscar sonhos que não são seus, começa a espalhar olho gordo e criar situações que embaraçam a vida de semelhantes, tornando o ambiente carregado, denso e repleto de energias negativas.

Eles, os invejosos, agem como agressores que sempre se colocam com uma postura de vítima. São raríssimos os casos em que eles confessam a inveja. Aliás, quando demonstrada, ela ataca, sem dúvida, o merecimento de alguém que sonhou e conseguiu ultrapassar os obstáculos e transformar sonho em glória. Se a inveja apresenta-se leve, obviamente sua força danosa é tênue. Contudo, se esse pecado emerge com intensidade, então, promove danos profundos. Como afirmara Miguel de Cervantes: “A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas”.

Olhando bem, é possível que encontremos muitos invejosos que nos circundam no caminhar da vida. Por isso, sem medo de errar, concordo com o pensamento de que: “Há poucos homens capazes de prestar homenagem ao sucesso de um amigo, sem qualquer inveja” - Ésquilo.

Se somos seres invejosos, então, é bom que comecemos a entender que: “A nossa inveja dura sempre mais tempo que a felicidade daqueles que invejamos” - François La Rochefoucauld.

Recebido por e-mail do autor Onaldo Queiroga - Escritor e Juiz de Direito

Nenhum comentário:

Postar um comentário