terça-feira, 30 de maio de 2017

Natália do Vale

Natália do Vale
Das salas de aula à telinha - Natália do Vale usou seu talento de atriz para lecionar Geografia e relutou para aceitar seu primeiro papel em novelas.Ela já é uma veterana da TV, mas há três anos estava longe da dramaturgia. Agora, Natália do Vale está de volta como a submissa dona de casa Kiki, em Os Dias Eram Assim, uma mulher que se submete às pressões do marido tirano. Fora das telas, Natália é bem diferente . A atriz que nasceu no Rio de Janeiro, é filha de imigrantes portugueses e, desde nova, tomou as rédeas de sua própria vida. Já na época do colégio começou a fazer teatro e se apaixonou.

Sozinha em São Paulo
Natália do Vale
No início dos anos 70 Natália se mudou para a capital paulista para cursar Filosofia na USP. "Queria ter a experiência de morar fora do Rio. Em casa me sentia presa", disse à revista Marie Claire. Morando sozinha em outra metrópole, ela precisava ganhar dinheiro para o seu sustento e, então, usou seu lado 'atriz' para dar aulas de Geografia em um curso pré-vestibular'. "Minha vocação ajudou. Preparava as aulas e fingia ser grande conhecedora", lembra.   

Estreia na Globo
Natália do Vale
Natália iniciou na TV apresentando um telecurso na TV Cultura, quando passou a conhecer atores e diretores.
Na mesma década, trabalhando na TV Cultura, a atriz conheceu o diretor Walter George Durst. "Ele perguntou se eu queria fazer um teste na Globo para a novela Gabriela", contou Natália, que depois de relutar um pouco aceitou, passou no teste e estreou em novelas como a Aurora, uma das meninas do Bataclan. Em 1980, ganhou seu primeiro papel de destaque, a Márcia Mesquita, em Água Viva. A partir daí fez uma linda trajetória, com papeis marcantes. Mas,"O reconhecimento veio só com Água Viva. Fui para as capas das revistas, apareci no Fantástico...Já no teatro, o divisor de águas foi A Partilha, que ficou seis anos em cartaz".

A carreira

1975 - Gabriela
Fulvio Stefanini e Natália do Vale 
Natália do Vale fez Aurora uma das raparigas do Bataclan, cabaré animado pelas “raparigas” de Maria Machadão (Heloísa Mafalda).

1980 - Água Viva
Natália do Vale 
Ela fez Márcia, filha de Lourdes (Beatriz Segal), casada com Edir (Cláudio Cavalcanti), jovem e bonita, trabalhava com a mãe.

1981 - Baila Comigo
Natália do Vale
Como Lúcia Toledo, na novela Baila Comigo, exibida em 1981.

Ela fez Lúcia Fernandes, filha de Caio (Carlos Zara) e Sílvia (Fernanda Montenegro), jovem independente, médica pediatra, tem um consultório e faz plantões em hospitais.

1982 - Final Feliz

Natália do Vale e José Wi1ker

Ela protagonizou Débora, moça rebelde, caprichosa, prepotente e mimada pela família. Acaba se apaixonando por Rodrigo (José Wi1ker), com quem vive uma relação cheia de desentendimentos.

1982 - Sétimo Sentido

Natália do Vale e Carlos Alberto Ricceli
Sandra Rivoredo é a filha mais velha de Santinha (Eva Todor) e Antônio (Carlos Kroeber), irmã de Rudi (Carlos Alberto Riccelli) e Tony (Paulo Guarnieri),e foi criada para substituir o pai. É presidente das Indústrias de Gêneros Alimentícios Catarinas, executiva, dinâmica e extremamente responsável, cuida dos problemas da família, chegando a abdicar de sua vida pessoal em função dos negócios.

1984 - Transas e Caretas


Natália do Vale

Marília era uma moça solteira de origem simples, mas com muita garra. Formou-se em Administração de Empresas e luta para conseguir um emprego. Marília mantém uma relação duradoura com Dirceu (Paulo Betti).

1986 - Cambalacho


Natália do Vale

Andréia Souza e Silva, é a grande vilã da história. Ambiciosa ao extremo, não tem o menor escrúpulo quando se trata de conseguir o que deseja. É uma mulher que só tem um objetivo na vida: vencer. E, para isso, é capaz de tudo. Não se arrepende do que faz, sempre de caso pensado, e se diverte muito humilhando e espezinhando as pessoas.

1998 - Torre de Babel

Natália do Vale

Lúcia Prado é uma advogada famosa, inteligente, respeitada, bonita, típica mulher de sucesso que, nos anos 1970, colocou a carreira na frente do amor.

1989 - Que Rei Sou Eu?


Natália do Vale

Suzanne Webert é filha única de Roger Webert (Fabio Sabag) que para salvar o pai da falência, concorda em se casar com Vanoli (Jorge Dória), e faz sucesso na corte.


2009 - Viver a Vida
Natália do Vale

Sua personagem Ingrid, é uma pessoa amarga, e se torna uma das grandes vilãs da história, e se tranforma na maior inimiga de Luciana (Alinne Moraes) e sua vilania será mais evidente após o casamento da modelo com Miguel (Mateus Solano).

2014 - Em Família


Natália do Vale

Helena Ribeiro (Chica)é uma mulher rica, elegante e meio neurótica. Ex-hippie, transformou-se numa típica mulher da alta burguesia que, durante muito tempo, não se dedicou a nada mais do que analisar os seus próprios problemas, sem ter chegado a nenhuma conclusão. Helena vai evoluindo e se modificando em pequenas atitudes durante a trama, como se estivesse realmente começando a viver.

2017 -  Os Dias Eram Assim

Antonio Calloni e Natália do Vale 
Natália do Vale incorpora Kiki,  matriarca que se submete à pressão do marido, Arnaldo (Antonio Calloni), em prol do amor pela família, na confortável cobertura de Ipanema da família Sampaio Pereira.

Na telinha

1975 - Gabriela
Aurora
1980 - Água Viva
Márcia
1981 - Baila Comigo
Lúcia Fernandes
1982 - Final Feliz
Débora
1982 - Sétimo Sentido
Sandra Rivoredo
1984 - Transas e Caretas
Marília
1986 - Cambalacho
Andréia
1998 - Torre de Babel
Lúcia
1989 - Que Rei Sou Eu?
Suzanne Webert 
2009 - Viver a Vida
Ingrid
2014 - Em Família
Chica
2017 -  Os Dias Eram Assim
Kiki

Texto: Flavia Serra

Publicado na revista TV Brasil n/n 895
Trajetória
Fotos: Globo/Divulgação-www.mundonovelas.com.br-Revista Quem-Viva -Nelson di Rago/Globo 

Geraldo Modesto/TV Globo-World News-Memória Globo-CEDOC/TV-Gshow - Globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário