segunda-feira, 28 de março de 2016

Estranho É Pouco - Assim Como Eta Mundo Bom!, Relembre Outros Nomes Bem Inusitados

Eta Mundo Bom!
 Sérgio Guizé
O título de uma novela é a porta de entrada para que o público possa se identificar com o enredo. por isso é tão importante acertar o nome de uma trama. Segundo a Rede Globo, essa escolha é uma decisão artística, que envolve também registro de marcas. A história da teledramaturgia é recheada por títulos inusitados. Um deles é a da atual trama das 6, Eta Mundo Bom!, que sintetiza a filosofia de Candinho (Sérgio Guizé) de olhar para todos seus problemas de forma otimista. 


Confira outras produções que tiveram denominações, no mínimo, curiosas. 

Kubanacan (Globo-2000) e Kananga do Japão (Manchete - 1989))


Marcos Pasquim e Adriana Esteves
Christiane Torloni e Raul Gazzola
São as únicas novelas brasileiras que se iniciam com a letra K. Kbanacan era a fictícia ilha do Caribe, onde se desenrolava a trama de Esteban (Marcos Pasquim) e Lola (Adriana Esteves). Já Kananga do Japão era a casa noturna, onde Dora (Christiane Torloni) se apaixonava por Alex (Raul Gazzola).

Uma Rosa com Amor (Globo - 1972)

Marília Pêra, Paulo Goulart e Yoná Magalhães.
Confirmando que uma novela deve contar uma história romântica, a palavra 'amor' é a que mais aparece em títulos.Em meio a 35 tramas com o termo está Uma Rosa com Amor, com Marília Pêra, Paulo Goulart e Yoná Magalhães.

Feijão Maravilha (Globo - 1979)

Marcos Nanini e Lucélia Santos
 Na voz das Frenéticas, o Preto que Satisfaz, marcou a abertura da novela. A boate Feijão Maravilha era um dos cenários da trama com Marcos Nanini e Lucélia Santos. 

I Love Paraisópolis (Globo - 2015)

Bruna Masquezine) e Caio Castro
A brincadeira com a expressão I Love New York, criada nos anos 1970, pela agência de publicidade Wells Rich Greenbe, casou com a trama . Paraisópolis foi amada por muitos personagens, com Mari (Bruna Masquezine) e Grego (Caio Castro) que foram capazes de tudo para defender a movimentada comunidade deles.

Café com Aroma de Mulher (SBT - 2001)
_
Guy Ecker e Margarita Rosa de Francisco
 Como um café pode ter aroma de mulher? Na novela colombiana, Gaivota (Margarita Rosa de Francisco) trabalhava na colheita de grão e se apaixonou pelo ricaço Sebastião (Guy Ecker), mas o rapaz viajava para estudar.

Pícara Sonhadora (SBT - 2001)

Bianca Rinaldi e Petrônio Gontijo
 Silvio Santos ordenou que o título fosse esse, pelo fato de que a primeira palavra não era usada em português. A tradição real do termo seria astuta, moleca, característica da Mila (Bianca Rinaldi).

A Incrível Batalha das Filhas da Mãe no Jardim do Éden (Globo - 2001)
Bete Coelho, Andréa Beltrão e Cláudia Raia

Esse é considerado o maior título que já apareceu na TV e foi abreviado para As Filhas da Mãe. Isso foi um elemento a mais que o autor Silvio de Abreu propôs para inovar na trama, com Alessandra, Tatiana e Ramona como As Filhas da Mãe interpretadas por Bete Coelho, Andréa Beltrão e Cláudia Raia.

Por Tomaz Rocha

Publicado na revista Minha Novela
Edição de 18/03/2016 n/n 863
Eta Mundo Bom! Memória

Fotos: www.folhadaregiao.com.br-Divulgação/Rede Globo/SBT

Nenhum comentário:

Postar um comentário