terça-feira, 22 de março de 2016

Fato Novela

Bambolê...(1988)

Maurício Mattar e Cláudio Marzo
 A trama fez os telespectadores viajarem para o romântico e musical Rio de Janeiro do final da década de 50, com o surgimento da Bossa Nova, o glamour dos bailes e as gangues de motoqueiros inspiradas nos astros do rock americano. Bambolê veio na cola do sucesso da minissérie Anos Dourados (exibida um ano antes) com produção pra lá de primorosa, desde cenários, carros até figurinos. 
Susana Vieira
Um dos maiores cuidados foi recriar as embalagens de cosméticos da época, já que a protagonista Marta (Susana Vieira) era vendedora de produtos de beleza. O título da trama, Bambolê, foi inspirado no brinquedo que fez sucesso naqueles anos e voltou a ser vendido devido ao êxito do folhetim. A produção marcou ainda a estreia de Guilherme Leme, Denise Fraga e Cláudia Lira em telenovelas. A inesquecível e saudosa Sandra Bréa interpretou a charmosa vedete Glória Muelle, personagem que deu um ar sedutor e sexy à história. Esta foi a última novela escrita pelo autor Daniel Más, que faleceu um ano depois.

Uga-Uga...(2001)

Cláudio Heinrich
 O autor da trama, Carlos Lombardi, definiu desde a concepção da história que o protagonista Tatuapu seria loiro, para que não fosse confundido de maneira alguma com um índio legítimo. Cláudio Heintich foi o escolhido para o papel depois de participar de Malhação. Para viver o personagem, o ator passou uma semana numa tribo indígena no Xingu.

Suave Veneno...(1999)

Letícia Speller 
Depois de uma sequência de novelas passadas no agreste, Aguinaldo Silva resolveu fazer uma trama urbana e usou como referência passagens de Rei Lear, de Shakespeare;

Letícia Spiller inspirou-se em Lady Macbeth (de outro clássico de Shakespeare, Macbeth) para interpretar a terrível vilã Maria Regina;

Diogo Vilela viveu o hilário guru Ualber e contou com a ajuda de um pai-de-santo e de um especialista em cristais;

Já Rodrigo Santoro fez o pintor atormentado Eliseo. Para tanto, o ator fez laboratório no ateliê de um artista plástico.

Direito de Amar...(1987)

Carlos Vereza
 A trama foi baseada na radionovela Noiva das Trevas. O destaque foi o vilão, Francisco Monserrat (Carlos Vereza). Mas, apesar das maldades, o personagem era sedutor e caiu nas graças do público. O autor, então, exagerou nas perversidades de Francisco, mas não adiantou e Vereza continuou recebendo cartas de fãs apaixonadas.

A Usurpadora (1999)

Gabriela Spanic e Mario Cimarro
A produção não é uma obra original. Na verdade, A Usurpadora é o remake de um sucesso da Venezuela, exibido no começo da década de 70. O papel principal da trama foi oferecido, a princípio, para Thalia, que já havia feito a 'trilogia das Marias'. Mas a cantora recusou o convite alegando falte de espaço em sua agenda. A escolhida, então, foi Gabriela Spanic, na época desconhecida, que havia participado do concurso Miss Venezuela de 1992, graça a indicação do também ator Carlos Romero. Com o sucesso mundial da novela, a atriz se transformou em um verdadeiro fenômeno e ícone da teledramaturgia. Você sabia que Gabriela tem uma irmã gêmea, chamada Daniela? A moça participou de algumas cenas fazendo a dublê da irmã em  sequência em que Paulina e Paola apareciam juntas. A Usurpadora foi exibida em 120 países e dublada em 25 idiomas. No Brasil, a atração foi reprisada seis vezes pelo SBT e até hoje é a novela mexicana mais exibida pela emissora de Silvio Santos.



A Feia Mais Bela...(2006)


 Angélica Vale e Jaime Camil
 Inspirada na trama colombiana Betty, a Feia, a novela foi uma das apostas do SBT entre 2006 e 2007, mas não teve grande êxito por aqui. Já no México, a transmissão do último capítulo superou a audiência do Oscar, em 2007. O final da trama por lá inovou. Além de ter sido exibido no domingo, o último capítulo teve 3 horas de duração!

Marimar..."1996)


 
 Thalia
A trama é a segunda da 'trilogia das Marias', que tem Maria Mercedes e Maria do Bairro. Thalia mais uma vez viveu a protagonista. A atriz conta que precisava se pintar todos os dias com uma grossa camada de maquiagem da cabeça aos pés. Todo esse esforço para ficar com a cor da pele dourada. "Era um tom café, em creme", relembra Thalia.

Camaleões...(2010)


Alfonso Herrera e Belinda 
Exibida pelo SBT em 2010, a trama contava a história de Valentina e Sebastian, que cometiam roubos de joias e obras de arte a mando de um personagem misterioso.

A protagonista da novela, Belinda, além de atriz é tambem cantora e interpretou o tema de abertura, a romântica Sal de Mi Piel;

O nome da trama, Camaleões, vem justamente devido aos disfarces que os protagonistas usavam para cometer os roubos;

Na exibição no Brasil, algumas cenas tiveram que ser cortadas por serem consideradas violentas para o horário da tarde.

Publicado na revista TV Brasil n/n 832 e 833

Nenhum comentário:

Postar um comentário