quinta-feira, 7 de abril de 2016

Eva Todor


Eva Todor
Uma das grandes damas da TV e do teatro estreava na Globo há 40 anos.
Com mais de 80 anos de carreira e aquele jeito de 'vovozinha' que todo mundo adora, Eva Todor é um dos grandes nomes do teatro e da televisão do Brasil. Aos 97 anos, a atriz merece todas as homenagens e fez da arte de interpretar o grande sentido de sua vida. E neste ano completam-se 40 anos de sua estreia na Rede Globo!De lá pra cá, foram mais de 20 novelas, além de séries e especiais.Devido à idade já avançada, atualmente a atriz está com a saúde um pouco debilitada e esteve internada no mês passado para tratar de ma pneumonia. Mesmo assim, ela continua com a corda toda e, segundo nota do hospital, estava lúcida, recebendo o carinho de amigos e familiares e acompanhando seus programas preferidos na telinha.

No palco desde criança

Eva Todor quando criança em 1930
Há alguns anos, Eva foi diagnosticada com Mal de Parkinson, doença que acabou a afastando da televisão. Seu último trabalho foi e Salve Jorge (2012) como a divertida Dália. No ano passado, em entrevista ao site Ego, a atriz falou sobre sua vontade de viver e de voltar ao 'batente'. "Eu quero uma festa de 100 anos e, se possível, voltar a trabalhar. Hoje em dia tenho que ficar por conta dessa doença, mas quero trabalhar sim", disse Eva, entusiasmada. Toda essa vontade de continuar em cena tem uma explicação: Eva está acostumada com os palcos desde criança. Ela nasceu na Hungria, em 1919 e seus pais sempre foram ligados ao mundo artístico. Com apenas quatro anos, a atriz iniciou os estudos de balé clássico na Ópera Real da Hungria. Os problemas na Europa após a Primeira Guerra Mundial, fizeram com que a família viesse ao Brasil, para o Rio de Janeiro, e por aqui ela seguiu seus estudos na dança. "Não decidi ser atriz. Decidiram por mim. Meus pais, como bons húngaros, tinham a 'mania' da arte e achavam que toda pessoa deveria ter uma educação ligada à arte", comentou Eva ao site da Globo.

A atriz e o Presidente
O Presidente Getúlio Vargas e  Eva Todor

Ainda adolescente, Eva Todor foi convidada para fazer teatro de revista e fez um grande sucesso, ficando em cartaz por cinco anos. "Foi onde conheci meu primeiro marido, que era o diretor da companhia (Luis Iglesias). Eu me casei aos 14 anos! Depois, ele achou que aquilo não tinha futuro e montou uma companhia de comédia para mim. Achavam que ele era louco. Eu era uma menina, sem experiência e falava muito mal o português, mas tudo deu certo e a companhia durou 23 anos", relembrou a atriz.Um fato curioso aconteceu na década de 40, quando o então presidente Getúlio Vargas assistiu uma peça de Eva Todor no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Encantado com a arte e sua interpretação, ele foi ao camarim cumprimentá-la e lhe ofereceu a naturalização brasileira.  

Gênero Eva
Eva Todor no"gênero Eva" na novela Locomotivas
Na década de 60, Eva estreou no cinema, mas foi mesmo na TV que se tornou conhecida do grande público. O início na telinha foi em 1961, na Tupi. E em 1977, chegou à Globo, de onde nunca mais saiu. "Atuei em uma peça chamada Rendez-Vous, em que fazia sete papéis. Era muito engraçado. A emissora precisava de uma mulher tipo vedete, para Locomotivas. Cismaram que eu tinha sido vedete, então me chamaram para fazer. Eu entrei, agradei e nunca mais saí", explicou . Ela passou a ser escalada para vários folhetins, sempre aplicando o que chama de 'gênero Eva', com personagens que tinham um humor refinado, o que se tornou a marca registrada da atriz. 

Sem herdeiros


Eva Todor se casou duas vezes. m 1958, ficou viúva do primeiro marido, o que a deixou abalada por muito tempo. Seis anos depois, ela se uniu a Paulo Nolding, de quem ficou viúva em 1989. O fato de ter enviuvado duas vezes mexeu profundamente com a atriz, que nunca mais se casou. Eva não teve filhos e hoje vive sob os cuidados de enfermeiras e de um motorista que trabalha com ela há mais de 25 anos. "Ela costuma sair para ir a médicos e ao cabeleireiro. É muito vaidosa e faz a própria maquiagem diariamente", disse o Marcos Ota, a quem Eva trata como um filho, em entrevista ao UOL. "Posso ser vaidosa? Pretensiosa? Avalio minha carreira brilhante:longa, sem tropeços, sem desastre. continua, respeitada, com prestígio aqui e além-mar"!, pontuou a atriz ao portal Memória Globo. Aos 94 anos, Eva Todor, diagnosticada com Mal de Parkinson, ganhou uma bela prova de reconhecimento: um contrato vitalício com a Globo, para ter mais tranquilidade para tratar a doença. A atriz, que não tem parentes próximos e mora com uma empregada e três enfermeiras, está fora das telinhas desde a novela Salve Jorge (2002). Apesar da doença, a veterana está empolgada com a proximidade dos 120 anos de carreira: e já são 40 na Globo e 80 no teatro!


Trajetória

1977 - Locomotivas

Eva Todor,Aracy Balabanian,Lucélia Santos,João Carlos Barroso,Thaís de Andrade e Gisela Rocha
Eva Todor como Kiki na novela Locomotivas


Kiki Blanche ,ex-vedete do teatro de revista, que vivia para  à família e ao seu salão de beleza, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Mãe de Milena (Aracy Balabanian), sua única filha legítima, mas também criava Fernanda (Lucélia Santos), Paulo (João Carlos Barroso), Renata ( Thaís de Andrade ) e Regina (Gisela Rocha). Uma mulher de grande coração, alegre e comunicativa, que coloca em primeiro lugar a felicidade de seus filhos.


1922 - Sétimo Sentido
Eva Todor,Carlos Alberto Riccelli,Natália do Vale e Paulo Guarnieri
Eva Todor como Santinha Rivoredo na novela Sétimo Sentido

Santinha Rivoredo matriarca da família, viúva de Antônio Rivoredo (Carlos Kroeber) , mulher fútil e sofisticada que fez muitas plásticas e tem horror de envelhecer. Sente verdadeira adoração pelos filhos, Rudi (Carlos Alberto Riccelli), Sandra (Natália do Vale) e Tony (Paulo Guarnieri).

1981 - Coração Alado


Eva Todor como  Hortência na novela  Coração Alado
Hortência Alencar é a melhor amiga de Alberto (Walmor Chagas). Dona de uma importante butique, envolve-se com Von Strauss (Jardel Filho), que vê nela sua chance de ascensão social.


1984 - Partido Alto

Cecília, irmã de Amoedo (Rubens Corrêa) e mãe de criação de Isadora (Elizabeth Savalla) é uma mulher alegre, extrovertida e cheia de amor pela família. Aparenta ser louquinha, mas se comporta dessa maneira apenas para se defender das maldades do mundo e da passagem do tempo.

1989 - Top Model

Mogana é mãe de Alex (Cecil Thiré) e Gaspar (Nuno Leal Maia). E empreendedora e aventureira vive metida em golpes e pequenos vícios, como a mesa de jogo. É uma mãe-problema.
2001 - Sítio do Picapau Amarelo

A divertida Mazé, em 2001, no Sítio do Picapau Amarelo


2005 -América

Com Francisco Cuoco, como Miss Jane na novela América 
Eva Todor participou da novela América, como Miss Jane, de Gloria Perez, ao lado de Francisco Cuoco


1992 - De Corpo e Alma

Eva Todor como Calu na novela De Corpo e Alma

A atriz interpretou a personagem Calu em 'De Corpo e Alma', última novela de Daniella Perez em 1992, aos 22 anos quando Daniella foi assassinada com 18 golpes de tesoura. Ela estava no ar na novela com autoria de sua mãe, "De Corpo e Alma", interpretando a personagem Yasmin. Os autores do crime foram Guilherme de Pádua , companheiro de cena, e sua mulher na época, Paula Thomaz . 

2000 - O Cravo e a Rosa

Ney Latorraca e Eva Todor 

Como Josefina na novela O Cravo e a Rosa

Josefina mãe de Dinorá (Maria Padilha) e Heitor (Rodrigo Faro). Rabugenta, faz o tipo da sogra malvada, que vive denunciando à filha as pequenas falhas do genro, Cornélio (Ney Latorraca), sempre contra o genro mas tem um passado duvidoso.


2009 - Caminho das Índias

Elias Gleizer e  Eva Todor
Como Dona Cidinha na novela Caminho das Índias
Na novela da autora Glória Perez, Eva forma um dos pares românticos mais carismáticos da trama, ao lado de Elias Gleizer, que interpreta o personagem Cadore. 

2012 - Salve Jorge

Como Dália na novela Salve Jorge
Este foi o último trabalho de Eva Todor na televisão, dos mais de 30 que participou.  Salve Jorge, em 2012, na qual interpretou a personagem Dália, quando foi afastada do trabalho por conta do Mal de Parkinson. 

Nas telinha

1977 - Locomotivas
Kiki Blanche
1922 - Sétimo Sentido
Santinha
1984 - Partido Alto
Cecília
1989- Topo Model
Morgana
1992 - De Corpo e Alma
Calu
2000 - O Cravo e a Rosa
Josefina
2009 - Caminho das Índias
Dona Cidinha
2012 - Salve Jorge
Dália

Texto: Flavia Serra

Publicado na revista TV Brasil n/n 835/892
Fotos: Gente - IG  -Memória  Globo  Wikipedia - TV Globo - Astros em Revista - Bazilio Calazand/Globo -Pinteres

Nenhum comentário:

Postar um comentário