segunda-feira, 13 de junho de 2016

Roberto Carlos - Uma Homenagem À Maior Estrela Da Música Brasileira

Roberto Carlos
75 anos de emoções Roberto Carlos comemora mais um ano 
História, amores ,família: tudo sobre o rei
A fé que ajuda o ídolo a vencer os desafios
Uma vida dedicada ao sucesso.

A trajetória do Rei

Dos primeiros anos até o sucesso em todo o mundo!

Caçula do casal Robertino Braga e Laura Moreira Braga, Roberto Carlos Braga nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, no interior do Espírito Santo, em 19 de abril de 1941.Seu dom para a música se manifestou quando Roberto ainda era muito pequeno. Diferente das outras crianças, ele gostava de ficar horas ouvindo rádio, tanto que, ainda pequeno, entrou para o Conservatório de Música de Cachoeiro de Itapemirim.Não demorou muito para aprender a tocar piano. 
Ao perceber o talento do filho, Dona Laura o presenteou com um violão e o ensinou os primeiros acordes. Dali em diante, ela tinha certeza: o pequeno nasceu para ser artista.Dona Laura continuou incentivando o filho e, quando Roberto tinha nove anos, o levou para cantar, pela primeira vez, em um programa infantil, que ia ao ar em uma rádio de sua cidade natal.
Roberto cantou o bolero Amor Y Mas Amor, de Fernando Borel. Com apenas uma música, conquistou radialistas e ouventes. Como pagamento, ele ganhou um punhado de balas. Foi um valor singelo perto do convite que viria em seguida. Roberto passou a cantar no programa todos os domingos.

Os primeiros passos

Bastante ligado em sua família, Roberto tomou uma decisão importante ainda na adolescência. Mesmo com receio do futuro, o cantor quis investir em seu sonho. Ele se mudou para Niterói, no Rio de Janeiro, e trabalhou como datilógrafo até começar a cantar com a sua primeira banda. Os Sputnicks, que tinha Tim Maia e Jorge Ben como integrantes.
Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Certo de que estava seguindo seu sonho, Roberto continuou investindo na carreira e, como não poderia deixar de ser, crescendo muito. Nessa época, conheceu Erasmo Carlos, seu grande parceiro na composição de inúmeras canções e amigo fiel até hoje. Mas Roberto queria mais e decidiu deixar Os Sputnicks e seguir carreira solo.
Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Carreira solo

Já cantando sozinho, Roberto gravou e lançou o seu primeiro compacto no final da década de 50. O disco foi sucesso e o Rei passou a se apresentar com frequência em clubes e festas. A crítica era cada vez melhor e os fãs já se aglomeravam para ver e ouvir o Rei. Era a certeza de que Roberto precisava e o sucesso era questão de tempo.

O estrelato

 No comecinho de 1960 Roberto não tinha um estilo musical definido. Ainda tentando se firmar na carreira, cantava bolero, bossa nova e até o chachachá. Seu álbum com canções nesse estilo chegou a ter alguns sucessos, porém, meses depois, quando lançou mais um LP, o Louco Por Você, em agosto de 1961, vendeu apenas 500 cópias. O que na época foi um fracasso, hoje se tornou item de colecionador. Quem não tem, compraria por uma pequena fortuna. Foi então que Roberto decidiu seguir seu coração. O ritmo que comandava os jovens da época era o rock. O cantor apostou nesse estilo e se deu muito bem. Foi com Splih Splash que Roberto Carlos se consagrou como um grande artista.

Jovem Guarda

A banda, Wanderléa, Roberto Carlos e Erasmo Carlos
Lançando um LP a cada ano, Roberto Carlos começou a ganhar o país. Em 1965, com Erasmo Carlos e Wanderléa, o Rei se apresentou no programa Jovem Guarda, que ia ao ar na Rede Record. Os fãs enlouqueceram e o trio de amigos passou a ser idolatrado. Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa se tornaram ícones daquela geração e de muitas outras. Cinquenta anos depois, o  movimento musical ainda é referência musical.
Roberto Carlos Wanderléa e Erasmo Carlos

O título de Rei!

Quem apelidou Roberto Carlos de Rei foi Chacrinha. Em 1966, durante uma apresentação no Programa do Chacrinha, o apresentador ganhou o titulo de Rei da Jovem Guarda, tamanho o sucesso do momento.

Foi sua mãe, Lady Laura, que o coroou nesse dia. O triunfo na carreira fez com que Roberto não fosse apenas Rei da Juventude. Ele foi, é e sempre será Rei dos fãs da boa música. 

Especial na Globo

Em 1974, a Rede Globo convidou Roberto para fazer um especial para comemorar a chegada do final do ano e do Natal. A primeira edição do programa, que foi ao ar em 24 de dezembro daquele ano, alcançou o maior índice de audiência da emissora. Desde então, Roberto é uma tradição no Natal brasileiro.

As mulheres que conquistaram Roberto

O Rei viveu amores inesquecíveis, que fizeram sua vida mais feliz!

Nice Rossi 
Primeira mulher de Roberto Carlos, Cleonice Rossi ficou com o Rei por dez anos. Eles se casaram em 1968, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, já que Nice era desquitada e, naquela época, no Brasil, ainda não era permitido o segundo casamento. Ela já era mãe de Ana Paula, falecida em abril de 2011. Roberto Carlos se afeiçoou a menina e a reconheceu como sua filha. Com Nice, Roberto teve mais dois filhos - Roberto Carlos II, conhecido como Duda Braga ou Segundinho, nascido em 14 de dezembro de 1969, e Luciana Braga, que veio ao mundo dois anos depois. O casamento chegou ao fim em 1979 de forma amigável. Nice morreu em maio de 1990, vítima de câncer de mama. Ela contou com o apoio do ex-marido durante todo o tratamento.

Myrian Rios

 Roberto e Myrian se conheceram em 1979 durante um voo entre Rio e São Paulo. O cantor havia se separado fazia pouco tempo de Nice e a sintonia com Myrian foi imediata, mas mantiveram a relação em segredo. Cerca de oito meses depois Myrian, com 22 anos, se mudou para a casa de Roberto, que tinha 38 anos. Para acompanhar a carreira do marido, ela largou a carreira de atriz, deixando de fazer novelas na Rede Globo e peças de teatro por todo o Brasil. A união durou 11 anos. Apaixonado, Roberto compôs a música A Atriz, em parceria com Erasmo Carlos. O dois seguem amigos até hoje.
Myrian Rios e Roberto Carlos

Maria Rita

 A história de amor com Maria Rita começou em 1977, quando a filha do Rei Ana Paula, os apresentou .Ana e Maria eram colegas no colégio em que estudavam em São Paulo. Na época com 16 anos, Maria Rita se encantou com o artista, porém, o pai dela não gostou da aproximação da fila com um homem 36 anos mais velho. O tempo passou, e em 1991, em um show na cidade de Serra Negra, no interior de São Paulo, Roberto e Maria Rita se reencontraram. Ela estava solteira e ele recém-separado de Myrian Rios. Era a chance de Roberto enfim, ficar com a mulher que desejou quatorze anos antes. Eles se casaram em 1996, e dois anos depois, Maria Rita recebeu o diagnóstico de um raro tipo de câncer. Em dezembro de 1999, ela faleceu aos 38 anos, levando o Rei a ficar recluso por 11 meses, tanto que ele cancelou, pela primeira vez em 25 anos, o seu especial de fim de ano da Rede Globo. Em sua homenagem, o cantor fez a musica A Mulher Que Eu Amo.
Maria Rita e Roberto Carlos
Especulações

Desde que ficou sozinho, Roberto viu seu nome envolvido com o de inúmeras mulheres. Ele, porém, nunca assumiu um novo relacionamento.A última vez que a imprensa afirmou que Roberto tinha um novo amor foi em setembro de 2015.
Vivianne Miranda
Vivianne Miranda, vizinha de Roberto, foi vista como a nova musa do Rei, porém, ele negou, afirmando que tudo não passava de uma loucura. "Aquela vizinha não existe, nenhuma condição. Não sei por que aconteceu essa história. Nunca aconteceu aquilo que foi contado. Nunca mandei flores na mureta ali da Urca. E nunca fiquei andando de carro à toa ali, procurando por alguém. Então, eu não sei de onde conseguiram inventar tanta história sem fundamento, veem maldade simplesmente porque quando eu passo em frente a um bar, quando eu saio do estúdio, eu cumprimento toda a rapaziada que está ali e alguns vêm até o carro. As meninas vêm até o carro e me cumprimentam. Eu não sei como se abriu espaço para uma história assim e isso sem nenhum tipo de provas".

Os herdeiros

Roberto Carlos, Ana Paula, Duda Braga, Luciana Braga e Rafael Carlos Braga
Roberto tem quatro filhos. Ana Paula era filha de Nice e foi assumida por Roberto Carlos durante o casamento de o Rei com a primeira esposa. Em seguida, nasceram Duda Braga e Luciana Braga. Rafael Carlos Braga foi assumido por Roberto na década de 90. Ele é fruto de um rápido relacionamento do cantor com uma fã, Maria Lucila. Ana Paula faleceu em 2011, ao 45 anos, vítima de morte súbita. Os exames revelaram problemas cardíacos. O publicitário Duda Braga sofre com glaucoma congênito, descoberto ainda na maternidade. Apesar dos esforços de Roberto e Nice, ele perdeu 95% de sua visão.

A alegria de ser quem é!


Sempre alegre e disposto, Roberto Carlos conversou com a Guia da TV sobre projetos, amores e a emoção de completar 75 anos com um show em sua cidade natal. 

Roberto Carlos sabe que é ídolo no Brasil e no mundo, mas isso não muda sua essência. Aos 75 anos, o cantor continua com seu jeito carismático e encantador, fazendo com que seus fãs, de todas as idades, suspirem a cada novo verso. Apaixonado pela vida, ele não deixa de sonhar e colocar o amor em tudo o que faz.

Uma história de fé e superação

Saiba como a religião influenciou a carreira de Roberto Carlos e conheça a fé de um artista que passou por muitas dificuldades.

O Rei Roberto Carlos é um dos maiores representantes do catolicismo no mundo dos famosos. O cantor é devoto de nossa Senhora e já gravou inúmeras canções que divulgam sua fé. Quem nunca se emocionou ouvindo Jesus Cristo. A Montanha ou Oração de um Triste? "A força da fé nos ajuda a prosseguir pelos caminhos que temos que ir", afirma o Rei.
Em 2011, ele esteve em Jerusalém e realizou um show emocionante para uma plateia lotada de fãs e devotos. !Que emoção estar em Jerusalém, nessa Terra Santa", disse o cantor durante as apresentações.

Origem da fé

Nem sempre o cantor foi um católico fervoroso. Roberto aproximou-se primeiro do Espiritismo e já chegou até a recorrer a médiuns para tentar curar o glaucoma de seu filho, Duda Braga. Porém, nos anos 1980, tornou-se católico, fato que transformou sua carreira e deu origem a canções inesquecíveis como Nossa Senhora e A Guerra dos Meninos.

Encontro com o Papa


O Papa João Paulo II e Roberto Carlos
Em 1997, Roberto Carlos teve o prazer de cantar para o Papa João Paulo II durante uma apresentação no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Quando cantou a música Jesus Cristo o Papa se levantou e abençoou a multidão que se emocionava.

Superação


Maria Rita e Roberto Carlos

Um dos momentos mais marcantes na vida do Rei foi a luta de sua mulher Maria Rita contra o câncer, em 1998. Maria Rita era tão religiosa quanto Roberto e nunca perdeu a fé, mesmo nos momentos mais difíceis. Ela pedia proteção a Nossa Senhora toda semana, quando se reunia com um grupo de oração na casa de uma amiga para rezar o terço. Em dezembro de 1999, após se submeter a diversas cirurgias e à quimioterapia, Maria Rita faleceu. No mesmo ano, foi lançado o álbum Mensagens, que contava somente com canções religiosas gravadas por Roberto, como Luz Divina, Nossa Senhora, Aleluia, O Terço e Jesus Cristo.

A religião hoje
Atualmente, o Rei ainda persiste na fé, mas com um olhar diferente do que tinha há vinte anos. "Sou religioso. Talvez não seja tão praticante. Continuo católico. Só que hoje, sem culpas, consigo questionar certas coisas de minha religião e de todas as religiões", contou em entrevista.

Em busca de mudanças


Roberto assume que precisa de terapia para vencer algumas manias. Sempre admitiu ser cheios de manias. Certa vez, seu filho Duda lhe falou a respeito de pessoas que sofrem de TOC, sigla para Transtorno Obsessivo Compulsivo, e, desde então, o cantor passou a encarar suas superstições como uma doença e buscou ajuda médica.

Desabafo

"Para quem vê uma pessoa sair de uma porta, voltar e voltar de novo, pode ser muito engraçado, mas é um sofrimento para quem faz", relatou o cantor. "Depois que a ciência descobriu o TOC, cheguei à conclusão de que não sou supersticioso, eu tenho essa doença". Decidido a se tratar, iniciou a terapia. Mas o Rei garante que usar marrom ainda é algo complicado, assim como evitar o azul. "Na terapia trato das coisas que me incomodam, azul não me incomoda, me dá prazer".

Tratamento

"Não posso dizer que estou curado, mas tenho tido resultados muito bons", afirmou. Atualmente, o cantor não fala mais em superstições ou manias. "Mania não tenho, quase nenhuma, meu negócio é TOC mesmo".

O TOC e a carreira

Apesar de suas dificuldades com o TOC, o Rei tem poucas dificuldades no dia a dia relacionado a carreira. "A interferência do TOC na minha criação não é grande, mas às vezes eu driblo algumas palavras. Tento usar outras no lugar. Mas às vezes, o resultado é até melhor", conta. Para o cantor isso foi visto como um tipo de superstição e durante muito tempo passou a evitar palavras que não lhe agradavam e até canções cuja letra não concordava.

A melhora


Roberto tem plena consciência de que está melhor agora que assumiu o problema. "Com o tratamento, comecei a não me censurar tanto nas coisas que tenho vontade de falar".Ele garante que vive mais feliz com os progressos.

Especial de Roberto Calos
Roberto Carlos
O palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro se transformou em um verdadeiro baile funk na noite de sábado, 7. Tudo por conta de Roberto Carlos, que recebeu a cantora Ludmilla para um inusitado dueto ao som do batidão durante a gravação de seu tradicional especial de fim de ano.
"Adoro funk. O ritmo é excitante", disparou o Rei antes do dueto com Ludmilla.
O Rei não se fez de rogado e se jogou de cabeça ao cantar Hoje, um dos maiores sucessos da funkeira. Os dois ainda embalaram a plateia ao som de Proposta e Café da Manhã. "São tantas emoções", brincou ela, citando uma das músicas de seu ídolo. Ludmilla, aliás, tirou a maior casquinha do Rei e tascou um beijão na bochecha dele.Nos bastidores, o vestido vermelho da cantora causou o maior burburinho. Afinal, Ludmilla quebrou o protocolo e deixou de lado as cores favoritas de Roberto - azul e branco. O ídolo, claro, não se importou e tratou a artista como uma verdadeira diva, lhe entregando em mãos uma das suas rosas.Ao fim do espetáculo, Ludmilla voltou ao palco para cantar Jesus Cristo ao lado de todos os convidados da noite. 

Por lá ainda passaram Carlinhos Brown, Paulo Ricardo, Thiaguinho, Rogério Flausino, além dos amigos de longa data Wanderléa e Erasmo Carlos.O especial vai ao ar no dia 23 de dezembro, na telinha da Globo. 
Erasmo Carlos, Roberto Carlos e Wanderléa
"A amizade é uma coisa valiosa", disse Erasmo Carlos, ao lado de Roberto e Wanderléa

  Carlinhos Brown Roberto Carlos
Carlinhos Brown e o Rei cantaram Negro Gato em homenagem à jovem guarda.
Thiaguinho e Roberto Carlos
Thiaguinho embalou o público ao som de Além do Horizonte.
Rogério Flausino e Roberto Carlos
Rogério Flausino, do Jota Quest, fez parceria com o ídolo em O Calhambeque 

Por Daniel Vilela

Publicado na revista Tititi n/n 896 13/11/2015
Fotos: TV Glogo/Divulgação/Photo Rio News



Publicado na revista Guia da TV
Ídolos
Ano 4 nº 9 - 2016
Fotos: Anderson Borde, Felipe Assumpção,Fhilipe Lima Agnews,Divulgação /SBT,João Cota, Globo e Reprodução.www,flogao.com.br http://gshow.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário