terça-feira, 13 de junho de 2017

Cássia Kis

Uma carreira batalhada - A veterana Cássia Kis passou por muitos 'perrengues' antes de se filmar como a talentosa e reconhecida artista querida do público.Livre de vaidades, a atriz trilhou uma carreira repleta de personagens marcantes

 Cássia Kis
Problemas da vida

A vida demorou a sorrir para Cássia Kis, a Djanira de A Regra do Jogo. O difícil relacionamento com os pais fez com que a atriz fosse expulsa de casa aos 15 anos. De peito aberto, a então adolescente de origem humilde não fugiu à luta. Deixou sua cidade natal, São Caetano do Sul (SP), e foi para a capital onde trabalhou como vendedora de loja e secretária. Quando se mudou para o Rio de Janeiro, em 1981, aos 32 anos e passou por muitas dificuldades, já apaixonada pela arte de representar, chegou a morar na rua,chegando a dormir em banco de praça e limpar banheiros para conseguir se sustentar. Mas um poeta lhe deu abrigo e, aos poucos, a jovem que vendeu sanduíche natural nas praias cariocas para sobreviver foi transformando o seu destino. Começou a cursar teatro.Cássia chegou a prestar vestibular para História e Matemática, mas foi o teatro que a conquistou.Ainda jovem, fez cursos de interpretação e participou de um grupo amador. A situação começou a mudar quando um amigo indicou Cássia para a série Tio Maneco, na TV Educativa. 

Agarrou a chance

1984 - Livre para Voar

Na novela Livre para Voar
Em 1984, fez o seu trabalho de estreia na TV em Livre para Voar. Apesar do papel de coadjuvante – Verona (Cássia Kis) mora em uma república sustentada pela fábrica de cristais. Foi a primeira a ser acolhida no espaço e, por isso, sente-se com mais direitos do que as outras garotas. É a que toma conta, dita ordens e estabelece horários. Cássia brilhou. "Lembro do meu entusiasmo, pulei de felicidade. Agarrei a personagem numa entrega absoluta", confessou ao site da Globo. Depois os trabalhos não pararam mais... Cássia  fez papeis marcantes, como Lulu das Medalhas, em Roque Santeiro.
A veterana esteve ainda em outro sucesso da TV, Pantanal, na Manchete, quando viveu a mãe de Juma Marruá. A partir daí, os dias difíceis ficaram definitivamente para trás.

1985 - Roque Santeiro
 Na novela Roque Santeiro
A primeira novela a dar maior projeção à atriz foi Roque Santeiro (1985). Na trama antológica, interpretou Lulu, mulher de Zé das Medalhas (Armando Bogus) e conhecida em Asa Branca como a menina que, supostamente, ficou curada de uma doença grave graças a um milagre de Roque Santeiro (José Wilker). Reprimida pelo marido, Lulu vivia praticamente como uma prisioneira dentro da sua própria casa.

1987 - Brega e Chique
Na novela Brega e Chique
 Se em Roque Santeiro, Cássia fez uma mulher submissa, em Brega e Chique (1987) ela 'viveu' a situação oposta. Na pele da ousada Silvana morava sozinha, era independente financeiramente e ainda tinha um romance com João Antônio (Jayme Periard), um homem casado.

1988 - Vale Tudo
Como Leila em Vale Tudo
Estudou psicologia, mas nunca conseguiu se enquadrar de maneira sólida no terreno profissional. Depende financeiramente do marido. Casa-se com Marco Aurélio (Reginaldo Faria) e vira dona de casa de marido rico, uma “profissão” em desuso, mas que será vista sem preconceitos.

Drama e ambição 

1990 - Pantanal

Como Maria Marruá em Pantanal
A veterana esteve ainda em outro sucesso da TV, Pantanal, na Manchete, quando interpretou Maria Marruá.a, mãe de Juma Marruá. A partir daí, os dias difíceis ficaram definitivamente para trás.

1990 - Barriga de Aluguel

Como Ana em Barriga de Aluguel
Na novela Barriga de Aluguel par romântico com Victor Fasano,
Cássia também fez parte de um dos maiores sucessos do horário das 18h, Barriga de Aluguel (1990). Na pele da ex-jogadora de vôlei  Ana, a atriz levou ao público a dor da mulher que não podia gerar um filho biológico e que, para realizar o sonho de ser mãe, apelou para uma barriga de aluguel, Clara (Claudia Abreu). Essa decisão fez com que Ana vivesse um drama sem tamanho, já que Clara se recusou a entregar o bebê depois do parto. Até o casamento com Zeca (Victor Fasano) ficou abalado diante de tantos problemas. Cássia e Claudia dividiram e emocionaram o país, que se viu diante da questão: mãe é a dona do óvulo ou aquela que gerou o bebê?


1993/1994 - Fera Ferida

Como Ilka Tibiriçá em Fera Ferida
Engraçada e fogosa dona Ilka Tibiriçá, de Fera Ferida Ilka Tibiriçá trabalha como secretária na prefeitura e vive de mexericos. É virgem e completamente histérica. Vive pedindo desculpas, exagerando nas gentilezas, mas isso é apenas um cacoete e não há muita sinceridade nos seus gestos. Lá pelas tantas, descobrem que é ela quem escreve, publica e financia um jornaleco que, de vez em quando, circula pela cidade revelando os podres de alguém.


1997 - Por Amor

Como Isabel em Por Amor 
Outro grande momento da atriz na TV foi em Por Amor (1997), de Manoel Carlos. Executiva dedicada, Isabel amava Atílio (Antonio Fagundes), com quem teve um caso no passado, e era amante de Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella). Ambiciosa, passava por cima de quem cruzasse o seu caminho para se tornar ainda mais rica e poderosa. 

Vilania e comoção

2001 - Porto dos Milagres

Como Adma em  Porto dos Milgres
Em Porto dos Milagres (2001), Cássia deu vida a uma vilã para ninguém botar defeito. Cruel ao extremo, Adma matava sem dó nem piedade, usando o veneno que guardava em seu anel.Assassina fria, calculista e pragmática chegava a dar calafrios, era capaz de qualquer coisa para manter Félix (Antonio Fagundes) ao seu lado. 

2007 - Eterna Magia

Como Zilda em Eterna Magia
Na novela Eterna Magia, com um visual diferente, Cássia viveu a malvada e ambiciosa Zilda.
É uma mulher orgulhosa e vaidosa, sendo muito frustrada por ter passado a vida em Serranias. Possui poderes de feiticeira, mas esconde de todos que os usa para o mal. É curadora do Museu das Bruxas, dona da loja “Um Toque de Magia”, onde estão à venda lembrancinhas da cidade e pedras da região, e se diz cética quanto à existência de magias.

2009 - Paraíso

Como Mariana em Paraíso
Cássia Kiss foi o destaque em Paraíso (Globo), quando deu vida à Mariana, a mãe possessiva de Maria Rita (Nathália Dill).

2010 - Escrito nas Estrelas

Como Francisca em Escrito nas Estrelas
Em Escrito nas Estrelas (Globo), de 2010, a atriz era Francisca, o espírito da mãe de Daniel (Jayme Matarazzo), que o auxiliava e lhe dava conselhos após morrer e virar um espírito também.

2011 - Morde e Assopra 
Como Dulce em  Morde e Assopra
Já em Morde e Assopra (2011)a estrela interpretou uma mulher que era a bondade em forma de gente. A humilde Dulce era faxineira de um hotel e ainda vendia cocadas na praça para complementar a renda. E, em vez de ser vista com orgulho pelo filho, era constantemente humilhada pro Guilherme (Klebber Toledo), que tinha vergonha da mãe. O olhar puro de Dulce comoveu os telespectadores do folhetim, exibido às 19h.

2012 - Amor Eterno Amor

Como Melissa em Amor Eterno Amor
Em Amor Eterno Amor (Globo), Cássia Kiss é a perversa vilã Melissa, que foi capaz de separar o sobrinho ainda criança de sua irmã Verbena (Ana Lucia Torre). A personagem é super perua!

2014 -  O Rebu

Como Gilda na série  O Rebu
Em O Rebu, a mãe de Valentina (Olivia Torres) e Michel(Michel Noher), a austera milionária Gilda é a diretora jurídica da Mahler Engenharia. Passou a ser o braço direito de Angela (Patricia Pillar) quando esta assumiu a presidência depois da morte do marido. Antes, quem ocupava o cargo era Bernardo (José de Abreu), com quem ela mantém um casamento de aparência. Por conta disso, ela e o marido passaram a viver às turras. Ambos têm amantes. No caso dela, a traição se dá com Bruno (Daniel de Oliveira).

2015 - A Regra do Jogo

Como  Djanira em A Regra do Jogo 
Em A Regra do Jogo, Cássia é Djanira, uma mulher do povo, mas que tem um passado obscuro e que, certamente, guarda muitos segredos. E claro, para variar, está roubando a cena!

2017 - Os Dias Eram Assim
Como Vera Reis em Os Dias Eram Assim
Cássia Kiss e Gabriel Leone
Vera Reis é uma viúva dona da loja de discos e livros Egalitè. Muito religiosa amarga o fato de ter perdido o marido no ano do Golpe de 64 e ficará com a saúde fragilizada.

Na telinha

1984  - Livre para Voar
Verona
1985 - Roque Santeiro
Lugolina de Aragão (Lulu)
1987 - Brega e Chique
Silvana
1990 - Pantanal
Maria Marruá.
1990 - Barriga de Aluguel
Ana Lúcia
1993/1994 - Fera Ferida
Ilka Tibiriçá
1997 - Por Amor
Isabel Lafayete

2001 - Porto dos Milagres
Adma
2007 - Eterna Magia
Zilda
2009 - Paraíso
Mariana
2010 - Escrito nas Estrelas
Francisca
2011 - Morde e Assopra
Dulce de Lima
2012 - Amor Eterno Amor
Melissa
2014 - O Rebu
Gilda Rezendo
2015 - A Regra do Jogo
Djanira
2017 - Os Dias Eram Assim
Vera

Por Cristina Souza

Publicado na revista TV Brasil n/n 815
Fotos: Globo/Divulgação - ay.by-www.ligeirinhodoradio.com-Patrícia Kogut

Nenhum comentário:

Postar um comentário