segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Viagem



A Viagem que havia sido exibida em 1975 pela TV Tupi, ganhou uma nova versão em 1994, pelas mãos da mesma autora, Ivani Ribeiro. A trama estreou em 11/04 e, em poucos tempo,  e em pouco tempo, já tinha virado um dos grandes sucessos da TV Globo.
Christiane Torloni e Antonio Fagundes
 A história gira em torno  do casal Diná (Christiane Torloni) e Otávio (Antonio Fagundes). Ela morre de ciúmes do marido, Téo (Maurício Mattar) e superprotege o irmão mais novo,Alexandre (Guilherme Fontes), delinquente que comete um assassinato e vai preso.A única alternativa de Diná para tirar Alexandre da cadeia é contar com a defesa do renomado advogado Otávio Jordão (Antonio Fagundes). Mas o poderoso criminalista decide se opor a Alexandre no tribunal, já que a vítima do crime era seu amigo pessoal, Valdomiro (Nilson Parente). Otávio se esforça para que Alexandre seja considerado culpado, travando uma guerra contra Diná. Condenado, Alexandre não suporta a ideia de viver atrás das grades e se mata.

Espírito Obsessor

Guilherme Fontes
Com o passar do tempo, Diná e Otávio sentem uma energia forte entre eles e começam a se interessar um pelo outro. Diná, então, se separa de Téo para viver um relacionamento com Otávio. Mas o advogado vive o pesadelo de ser portador de uma doença grave. 
Milhel Falabella e Maurício Mattar
Enquanto isso, Alexandre caminha pelo vale dos suicidas pensando numa forma de prejudicar seu irmão ,Raul (Miguel Falabella) e Téo (Maurício Mattar), responsáveis pela denúncia de seu paradeiro para a polícia. O vilão também assombra Otávio.
Andrea Beltrão
Influenciado por Alexandre, Téo se aproxima de Lisa( Andrea Beltrão) a ex-namorada do bandido. Mas a relação do casal vira um inferno por cauda de Téo, que se torna um homem agressivo.
Laura Cardoso
 Além do ex-cunhado, Alexandre manipula Guiomar (Laura Cardoso), a sogra de Raul, que passa a atormentar a vida do genro. 
Daniel Ávila e  Felipe Martins
Já Otávio tem conflitos constantes com o filho mais velho, Tato ( Felipe Martins), que fica possuído pelo vilão. Dudu (Daniel Ávila) é o filho mais novo de Otávio Jordão (Antonio Fagundes), irmão de Junior (Felipe Martins). Tem uns 12 anos e está na fase de colecionar tudo o que gosta.

Cláudio Cavalcanti
O médico Alberto (Cláudio Cavalcanti), que é médium, percebe que o espírito de Alexandre é o responsável pela desgraça na vida das pessoas.


Ele decide ajudar o rapaz a encontrar o caminho da luz, por meio de sessões espíritas.


Nosso Lar.
Enquanto isso, Otávio morre e vai para outro plano, chamado Nosso Lar. Diná tenta fazer contato com o amado e vai ficando cada vez mais angustiada até morrer do coração.

Um amor eterno




 Antonio Fagundes e Christiane Torloni (Otávio e Diná) se unem por meio de uma energia transcendental.
Diná e Otávio,finalmente, se encontram no Nosso Lar e, juntos, têm uma difícil missão : convencer Alexandre a sair das trevas e parar de prejudicar seus inimigos., Aos pouco, o vilão se arrepende pelo mal que fez e desiste de sua vingança. Assim, Téo volta a ser do bem e Raul e Guiomar fazem as pazes. Tato também recupera sua alegria de viver. Alexandre comemora a felicidade de seus antigos rivais com suas famílias. Ele pede para reencarnar no filho que Lisa espera de Téo, porque só assim poderá se regenerar por completo.
Yara Cortes
 Após receber sua mãe, Maroca (Yara Cortes), no Nosso Lar, Diná se une a Otávio para sempre.

 


O leitor Guilherme Souza da Silva
"A Viagem. Incríveis personagens e uma super trilha sonora. Eu me apavorava quando o Alexandre aparecia".

Curiosidades

Foi a última novela de Ivani Ribeiro, que morreu em 1985.

Foi reprisada duas vezes no Vale a Pena Ver de Novo, em 1997 e 2006.

Foi a novela de maior audiência do canal Viva, em sua exibição na emissora, em 2014.

As cenas do Nosso Lar foram gravadas em Petrópolis (RJ). Já as sequencias do Vale dos Suicidas foram rodadas em Niterói (RJ).


Por Thomaz Rocha

Publicado na revista TV Brasil n/n 902
Fotos:Divulgação/Rede Globo.Mundo novelas-Memória Globo 

Mais cenas da novela A Viagem
Cepal André Luiz

Nostalgia pura


A vida após a morte é tema de “A Viagem”, que chega ao VIVA no dia 14 de julho. A novela, de Ivani Ribeiro com direção-geral de Wolf Maya, será exibida de segunda a sábado, às 14h30, e à 1h45, ocupando o lugar de “A Próxima Vítima”. 


O elenco conta com Antonio Fagundes, Christiane Torloni, Maurício Mattar, Andréa Beltrão, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Laura Cardoso, Jonas Bloch, Thaís de Campos e Guilherme Fontes
Facebook

Sucesso nos anos 1990, a novela A Viagem reestreia em abril para a alegria dos fãs de um bom folhetim


 
Antônio Fagundes e Christiane Torloni
O casal Otávio e Diná viveram um lindo romance


Em 2014, o canal a cabo VIVA anuncia mais um sucesso da teledramaturgia brasileira para os assinantes. No dia 7 de abril, a novela A Viagem reestreia no canal, ocupando o horário de Água Viva, de segunda a sábado, à meia-noite. Remake da trama homônima apresentada pela TV Tupi em 1975, também escrita por Ivani Ribeiro, a produção foi sucesso de audiência na TV Globo em 1994, na faixa das 19h.

Dirigida por Wolf Maia, A Viagem aborda a vida após a morte, inspirada na doutrina de Allan Kardec, fundador de uma das correntes mais conhecidas do espiritismo, o Kardecismo. Estão no elenco atores como Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Maurício Mattar, Andréa Beltrão, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Laura Cardoso, Jonas Bloch Thais de Campos e Guilherme Fontes, que ganhou destaque ao interpretar o usuário de drogas e álcool Alexandre.

História
Guilherme Fontes
Guilherme Fontes foi a grande revelação na época 

Ao tentar roubar o cofre do escritório onde trabalha para quitar uma dívida, ele é flagrado pelo tesoureiro da empresa, se assusta e acaba matando o funcionário. Raul (Miguel Falabella), o irmão mais velho do vilão, e o cunhado Téo (Maurício Mattar), decidem entregá-lo à polícia. Diná, interpretada pela atriz Christiane Torloni, decide proteger Alexandre recorrendo aos melhores profissionais para a defesa do irmão. Ele também conta com o apoio da mãe, dona Maroca (Yara Cortes), que,apesar de sofrer com as atitudes do filho caçula, deixa o coração falar mais alto. E sua namorada Lisa, vivida por Andréa Beltrão, resolve abandoná-lo, cansada do conturbado relacionamento.

Disposta a fazer tudo pelo irmão, Diná contrata o renomado advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes). Mas o profissional está revoltado e disposto a fazer de tudo para que Alexandre fique preso, já que a vítima do homicídio era seu melhor amigo. Condenado a vinte anos de cadeia, Alexandre encontra o suicídio como saída, prometendo vingança, seja nessa vida ou na outra. O personagem é encaminhado ao Vale dos Suicidas, onde se dedica a prejudicar a vida de Raul, Téo e Otávio.

Obra consagrada

O sucesso da produção ultrapassou a tela da televisão: a venda de livros sobre espiritismo aumentou em 50%, de acordo com pesquisas realizadas por livrarias especializadas durante a exibição da obra. Em sua versão original, A Viagem teve 160 capítulos e repercussão em países como Bolívia, Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Rússia, Uruguai, Venezuela, entre outros.

Por Edgar Melo

Publicado na revista TV Novelas
Edição 15/01/2014
+Televisão
Fotos: TV Globo/Divulgação.

Antônio Fagundes - Guilherme Fontes e Christiane Torloni

OS ESPÍRITOS
RETORNAM POR
MUITOS MOTIVOS,
INCLUSIVE A PEDIDO DO PÚBLICO.

Após sua morte, Alexandre promete vingança contra todos que julga responsáveis por seu trágico destino.Apenas a força do amor entre Otávio e Diná poderá acabar com  ódio desse espírito atormentado. A trama de Ivani Ribeiro, com direção-geral de Wolf Maya, ultrapassa a barreira entre a vida e a morte. Está de volta a novela que mobilizou o Brasil. Com Guilherme Fontes, Antônio Fagundes, Christiane Torloni, Cláudio Cavalcanti, Miguel Falabella, Maurício Mattar e grande elenco.

Segunda a sábado, às 14h30.  

Publicado na revista Minha Novela - 18/07/2014/776

Guilherme Fontes - Papel Marcante na Novela "A Viagem"

 
 Guilherme Fontes
 Guilherme Fontes fala do sucesso que fez ao interpretar Alexandre, da novela " A Viagem", há 20 anos.

"Virou um clássico na minha vida". Foi com essa frase que Guilherme Fontes descreveu como foi participar da novela "A Viagem" (Globo, 1994), um dos maiores sucessos da teledramaturgia, escrita por Ivani Ribeiro, e que será reprisada no Canal Viva

Em conversa exclusiva com a MINHA NOVELA, o ator diz se sentir lisonjeado por ter interpretado Alexandre, um jovem de classe média alta e usuário de drogas. "Foi um período maravilhoso, e continua sendo. Assistir a um trabalho que você fez há 20 anos e ainda é revisto tantas vezes... Foi uma época de muita alegria e festa na minha vida pessoal e profissional", diz Guilherme.

Alexandre é tão importante para o ator, que ele pretende propor aos cineastas um filme de terror com o personagem- na novela, ele se suicida após ser preso por matar um homem durante um assalto e vira um espírito vingativo atormentando aqueles que considera culpados por sua prisão.

Diversão fora da cena

Enquanto Alexandre assustava os telespectadores, Guilherme, na época com 27 anos, se divertia com a repercussão nas ruas. "O personagem causava medo nas crianças e nervoso nos adultos. Uma vez, em Goiânia, parei para abastecer em um posto sem luz, apenas uma lâmpada sobre a bomba de gasolina. Saltei do carro para pedir ao homem para calibrar os pneus e o cara se assustou tanto que gaguejou, foi saindo devagar e não voltou mais. Deixei a grana em cima da bomba e fui embora morrendo de rir",diverte-se.

De "A Viagem" para cá, foram muitos trabalhos e Guilherme adora revê-los pela internet. "Está tudo lá. Mesmo as novelas que fiz recentemente, como a última (Além do Horizonte, 2013). Agora que pagamos para ver TV, para ter internet, procuro preciosidades de outros países. Mas vejo muitos telejornais na madrugada. Filmes, gosto de ver nas salas de cinema. Programa trash... É disso que gosto!", finaliza.
Christiane Torloni   e Guilherme Fontes
O personagem-problema só era apoiado pela irmã Diná (Christiane Torloni).
Guilherme Fontes
O ator quer aproveitar a reprise da história de Ivani Ribeiro para levá-la ao cinema

Por Liane Rosa

Trama espírita

Christiane Torloni

A Viagem (Globo, 1994), de Ivani Ribeiro, ganha reprise na emissora. Na trama, Alexandre (Guilherme Fontes) rouba a empresa onde trabalha e é entregue à polícia pelo irmão, Raul (Miguel Falabella), e pelo cunhado, Téo (Maurício Mattar). Na cadeia, o rapaz se suicida e, depois de morto, passa a perseguir a todos que julga o terem traído. Com Christiane Torlone e Antônio Fagundes. De segunda a sábado, às 14h30. Reprise: às 1h45. Estreia: 14/07.
(página 28) 

Por Heloiza Gomes.

Publicado na revista Minha Novela
Edição de 11 de julho de 2014
X-Tudo
Memória
Fotos:
Divulgação/Rede Globo/Mirian Monteiro/Divulgação/Wagner Santos

Guilherme Fontes e Lucinha Lins

Guilherme Fontes viveu um de seus papéis de maior destaque na televisão na novela de Ivani Ribeiro, que volta a ser exibida pelo Viva amanhã, às 14h30.

Ele interpretou o jovem de classe média drogado Alexandre Toledo, que, logo no início da trama, é pego em flagrante num assalto, mata um homem e tenta fugir.

No entanto, seu irmão, Raul (Miguel Falabella), e seu cunhado, Téo (Maurício Mattar), o entregam a polícia. Sua irmã, Diná (Christiane Torloni), tenta convencer o advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes) a inocentá-lo, mas o criminalista não aceita, porque era amigo do morto.

Condenado e preso, Alexandre acaba se suicidando e promete vingança, "nesta vida ou na outa".

Amigo da família, o médico Alberto Resende (Cláudio Cavalcanti), se dispõe a ajudar a mãe do rapaz, dona Maroca (Yara Cortes), a se recompor. Apesar de apaixonado por Diná, ele acaba se envolvendo com Estela (Lucinha Lins), também irmã de Alexandre.

Num lugar chamado de "vale dos suicidas", o espírito do rapaz passa a atormentar as vidas de Otávio, Raul e Téo, conforme prometido.

Tendo como tema central a vida após a morte e filosofia do espiritismo, "A Viagem"  teve média de 52 pontos de audiência e foi reprisada no "Vale a pena ver de novo" por duas vezes, em 1997 e em 2006.

Há 24 anos, Globo estreava A Viagem, um dos maiores sucessos da emissora

Christiane Torloni e Antonio Fagundes

No dia 11 de abril de 1994, a Globo fazia uma estreia curiosa em seu horário das 19h, na ocasião já marcado havia mais de 20 anos por histórias românticas, marcadas por leveza, humor e alguma sofisticação de costumes e ambientes, especialmente com as muitas obras de Cassiano Gabus Mendes. Era A Viagem, novela que Ivani Ribeiro escreveu para a Rede Tupi em 1975/76 e que era revisitada, numa promoção de remakes das 18h para as 19h após o sucesso de Mulheres de Areia, da mesma autora, no ano anterior.

A história inspirada na filosofia do espírita Allan Kardec começa quando o inconsequente Alexandre (Guilherme Fontes) mata um homem que o flagra numa tentativa de roubo ao cofre da empresa onde trabalha e pede a ajuda de um dos irmãos, Raul (Miguel Falabella), e do cunhado Téo (Maurício Mattar), para fugir da polícia. Ele acaba preso, e rumina na cadeia um forte desejo de vingança contra os dois e o advogado Otávio Jordão (Antonio Fagundes), que se recusa a defendê-lo ao ser procurado pela mulher de Téo, Dinah (Christiane Torloni). Otávio tem motivos pessoais para a recusa: além de seu apreço pela real justiça, ele era amigo do assassinado, Waldomiro (Nildo Parente), e padrinho de seus filhos pequenos.

O casamento de Dinah e Téo vai mal, porque ela, mais velha do que ele, tem um ciúme doentio do marido e enxerga assédio de todas as mulheres que surgem no caminho dele. A insegurança de Dinah enfraqueceu a união, que rendeu a adorável Patrícia (Viviane Pinheiro) e sempre foi do desagrado da mãe do rapaz, Josefa (Tânia Scher). Apesar dos conselhos de toda a família, especialmente da mãe, Dona Maroca (Yara Cortes), e da irmã Estela (Lucinha Lins), Dinah acaba fazendo com que Téo se afaste dela. Ele se envolve com a ex-namorada de Alexandre, Lisa (Andréa Beltrão), e Dinah, quem diria, reencontra o amor justamente nos braços de Otávio, que é viúvo e tem dois filhos, Tato (Felipe Martins) e Dudu (Daniel Ávila). Eles iniciam um relacionamento que vai ficando cada vez mais forte com o passar do tempo, e encontram uma felicidade que não tiveram com Téo e Júlia (Rejane Goulart), a falecida esposa de Otávio – embora os tivessem amado muito também.

Alexandre acaba se suicidando na prisão e, após sua morte, seu espírito obsessor ainda apegado aos fatos e figuras do plano terrestre coloca em prática os planos declarados a todos, especialmente ao médico Alberto (Cláudio Cavalcanti), amigo da família: passa a se vingar de todos aqueles que julga responsáveis por ele ter ido parar na cadeia, ignorando o fato de que ele mesmo fez coisas que levaram a isso. Para atingir Otávio, influencia negativamente Tato, que de bom filho, estudioso, responsável, passa a ser rebelde, rude e se torna motivo de preocupação para todos. Téo também sofre a influência de Alexandre, e por isso cria muitos problemas para si mesmo, tanto no campo profissional quanto na vida privada, tumultuando seu romance com Lisa e prejudicando até a relação com Patrícia, que chega a maltratar e magoar. O irmão, Raul, passa de homem feliz e bem casado com Andrezza (Thaís de Campos) a infeliz, insatisfeito e alvo das críticas e aporrinhações da sogra Guiomar (Laura Cardoso), que antes o via e tratava como um filho. E é claro que as vidas de todos que se relacionam com eles acaba impactada.

Ao longo da novela, Otávio morre e, mais para o final, Dinah também. Mas eles passam a atuar no “Nosso Lar”, uma representação do Céu na qual a figura do Irmão André (Lafayette Galvão) é a de liderança, enquanto Alexandre estava no Vale dos Suicidas. O casal se reúne, e passa a neutralizar os atos do irmão dela sobre os vivos. Entre estes, o Dr. Alberto ajuda a todos, com orientações acerca do caráter obsessivo e maléfico do espírito de Alexandre.

Entre as tramas paralelas de destaque, havia a de Carmem (Suzy Rêgo), bela jovem que precisava se disfarçar para parecer feia a fim de que Dinah, sua patroa, não a demitisse da locadora onde trabalhava, já que poderia ser atraente aos olhos de Téo. Carmem havia sido noiva de um rapaz que desaparecera de sua vida, e que ela reencontra com o rosto marcado por cicatrizes decorrentes de um acidente e que ele cobre com uma máscara: é Adonai (Breno Moroni), o mascarado que alegra algumas pessoas e espanta outras nos arredores da vila onde mora Lisa. E também a história do casamento fracassado de Estela com o mau-caráter Ismael (Jonas Bloch), que havia abandonado a esposa e a filha, Bia (Fernanda Rodrigues), quando ainda criança. Já adolescente, a jovem agora sente muita falta do pai, o que a torna um prato cheio para o bandido, que reaparece e se reaproxima de Estela com a desculpa de recuperar o tempo perdido com a menina.

O núcleo de humor típico do horário – e não criado para o remake, já que constava da versão original – era liderado por Cininha (Nair Bello), a simpática dona de uma pensão que também ficava na vila e abrigava diversos personagens: o simpático Seu Tibério (Ary Fontoura), que conversava com seu guia espiritual que apenas ele via; a cabeleireira Fátima (Lolita Rodrigues); a jovem Naná (Keila Bueno); o empregado Padilha (Renato Rabello); e o bandido Geraldão (Cláudio Mamberti), entre outros. Também era possível rir das atitudes do boa-vida Agenor (John Herbert), pai de Lisa e do músico Zeca (Irving São Paulo), que não queria saber de trabalhar e desdenhava de ofertas de emprego feitas a homens de sua faixa etária, como porteiro, por exemplo.

No elenco ainda as presenças de Denise Del Vecchio, Eduardo Galvão, Ricardo Petraglia, Roberta Índio do Brasil, Myriam Pérsia, Leonardo José, Cibele Larrama, Maria Alves, Gésio Amadeu, Solange Couto, Léa Garcia, Antônio Pompeo, Mylla Christie, Kiko Mascarenhas, Danton Mello, Lúcio Mauro Filho, Jorge Pontual, Andréa Avancini, Walther Verve, Eduardo Felipe, Chris Pitsch e outros.



Na época da novela, a curiosidade em torno das questões ligadas ao espiritismo que eram abordadas no enredo fizeram com que a venda de livros relacionados aumentassem 50%. Os números de audiência foram bastante expressivos, e A Viagem acabou sendo a novela mais vista do horário das 19h em toda a década de 1990, com média geral de 52 pontos de audiência. É muito querida pelo público e já ganhou duas reprises no Vale a Pena Ver de Novo – uma em 1997 e outra em 2006 – e uma no Canal Viva, em 2014. Foi ainda lançada em DVD num box que resume seus 167 capítulos em 37 horas divididas em 14 discos, no ano passado. Uma nova reprise é muito solicitada por diversos telespectadores, e não é de espantar que de fato ocorra, num futuro próximo.


Nos 24 anos de “A Viagem”, 24 curiosidades sobre a novela que você, provavelmente, não sabia 


Christiane Torloni em “A Viagem”, como Dinah (Imagem: Divulgação / Globo)
– No início de 1994, a novela das 19h, “Olho no Olho”, já se aproximava do fim e a Globo ainda não havia definido sua substituta – após suspender a produção de “Vira Lata”, que só chegou ao vídeo em 1996. Cogitou-se então transferir “Tropicaliente”, prevista para às 18h, para a “segunda faixa” de teledramaturgia do canal. Desta forma, “A Viagem” seria exibida no mesmo horário em que “Mulheres de Areia”, também um remake de Ivani Ribeiro dirigido por Wolf Maya, conquistou índices recordes!


– A princípio, Wolf cogitou a fusão de várias histórias de Ivani – ‘Mulheres’, por exemplo, nasceu da união da trama homônima (Tupi, 1973) com “O Espantalho” (Record, 1977). Não havia tempo hábil para tal. Optou-se então por “A Viagem”, outro clássico da emissora pioneira, exibido em 1975.

O regresso de Antonio Fagundes à TV em “A Viagem”, na capa da Contigo! (Imagem: Reprodução)
– Antônio Fagundes, recém-saído de “Renascer” (1993), havia sido convidado para viver o Alexandre da primeira versão, entregue a Ewerton de Castro. O ator declinou do chamado, na época, por conta de sua transferência para a Globo. Em 1994, Guilherme Fontes se encarregou de Alexandre.

– O nome do personagem destinado a Fagundes, aliás, foi alterado. Em 1975, Otávio Jordão atendia por César Jordão (Altair Lima). Ivani Ribeiro e Solange Castro Neves, sua colaboradora, optaram pela troca ao constatarem que na novela anterior, “Olho no Olho”, havia um César, de muito destaque: o vilão interpretado por Reginaldo Faria. Antes de ser rebatizado como Otávio, porém, o César de “A Viagem” chegou a ser chamado de Renato. 

– Solange Castro Neves, aliás, foi fundamental para o folhetim. Ela lia as cenas do original para Ivani Ribeiro – naquela altura, com dificuldades para enxergar por complicações de diabetes. As duas então debatiam os rumos da trama. Seguindo as orientações da autora, a colaboradora redigia os capítulos. Depois, lia todos em voz alta para Ivani, que, por ventura, sugeria alterações (como trocas de palavras).
– Regina Duarte foi o primeiro nome cogitado para a protagonista, Dinah Toledo. Christiane Torloni assumiu o papel.
Miguel Falabella no comando do “Vídeo Show” (Imagem: Divulgação / Globo)
– No mesmo 11 de abril em que estreava em “A Viagem”, como Raul – irmão de Dinah e Alexandre –, Miguel Falabella passou a bater ponto todas as tardes, com a edição diária do “Vídeo Show”; até então, veiculado apenas aos sábados. Para dar conta do trabalho, Miguelito gravava o ‘VS’ logo cedo, por volta de 8h, seguindo posteriormente para os estúdios de “A Viagem”.

– A novela, aliás, certamente não consta entre os trabalhos preferidos de Falabella. Em entrevista à “Folha de S.Paulo”, de 2 de outubro de 1994, ele declarou: “É uma novela muito cansativa de fazer. Tem cenários demais. A ação não é concentrada […] É essa moça [Solange] que está adaptando. Ela coloca a gente em cena muitas vezes, em todos os cenários, não sei para quê”. 

– Se Miguel Falabella surgiu no vídeo em dose dupla, Andréa Beltrão se dividiu em três: batia ponto no “Vale a Pena Ver de Novo” como Ingrid, de “Rainha da Sucata” (1990), interpretava Lisa na trama das 19h e ainda surgia na pele de Marta, da minissérie “A Madona de Cedro”. 

– Lisa era a namorada de Alexandre, que, após a morte dele, se envolve com Téo (Maurício Mattar), então se separando de Dinah. Foi nos bastidores de “A Viagem” que Andréa Beltrão conheceu o marido, Maurício Farias, da equipe de direção. 

– A primeira semana de “A Viagem” registrou 54 pontos, cinco a mais do que os seis primeiros capítulos de “Olho no Olho” (49). Os índices se equiparavam aos de “Fera Ferida”, em cartaz às 20h.
Guilherme Fontes como o deliquente Alexandre Toledo (Imagem: Divulgação / Globo)

– As sequências de ação envolvendo Alexandre, de foragido a presidiário logo na estreia, foram apontadas como mola propulsora do bom (e imediato) resultado. O horário das 19h, naquela época, padecia com a concorrência do “Aqui Agora”, do SBT – apontado como a mais incômoda pedra no sapato de “Deus Nos Acuda” (1992), “O Mapa da Mina” (1993) e “Olho no Olho”, que já flertava com a narrativa policial (embora não tenha sido esta a grande atração de “A Viagem”).

– A figurinista Marília Carneiro encontrou dificuldades para fechar o figurino de Alexandre. O resultado – cabelos oxigenados e jaquetão de couro preta – foi obtido a partir de uma consulta a revistas sobre rock.

– Na primeira pesquisa de opinião realizada com telespectadores – o tão famoso “grupo de discussão” – a equipe constatou o apreço do público por Dinah. As mulheres entendiam que os barracos da empresária eram decorrentes da má conduta de Téo, arquiteto dado a flertes com clientes e colegas de escritório. O ciúme de Dinah, tão admirado, era entendido como defesa do matrimônio. Contudo, todo mundo também amava Lisa, especialmente por conta de seu perfil batalhador (ela sustentava o pai e o irmão com seu trabalho num salão de beleza). A unanimidade da rival de Dinah era necessária para que a audiência aceitasse o fim da união com Téo, o namoro deste com a cabeleireira e o envolvimento de Dinah e Otávio.


Maurício Mattar e Andréa Beltrão, o casal Téo e Lisa (Imagem: Divulgação / Globo)
– No fim das contas, Alexandre – que infernizou muita gente lá do além – reencarna como filho de Téo e Lisa. O plano inicial era fazê-lo herdeiro de Raul e sua esposa Andrezza (Thaís de Campos). Alexandre havia desestabilizado o casamento do irmão, obsidiando a sogra dele, Guiomar (desempenho brilhante da veterana Laura Cardoso).

– Outra mudança prevista para o último capítulo acabou não acontecendo: Maroca (Yara Cortes), mãe de Dinah, seria poupada da morte. A cena em que ela se encontra com a filha no céu é uma das mais emocionantes do desfecho de “A Viagem”.

– Para as gravações em Nogueira, distrito de Petrópolis, Rio de Janeiro, onde ficava o campo de golfe que representava o Céu, os figurantes precisavam chegar à Globo por volta de 6h. Eram duas e horas e meia de viagem, de ônibus, até a locação. Para tal, os profissionais ganhavam R$ 8, mais refeições.

– A novela não deixou de ser exibida durante a Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. Mas foi remanejada para diversos horários em razão das alterações de grade impostas pelos jogos: 18h30, 19h05, 19h40, 19h55, 20h20.

– As edições necessárias para atender as mudanças de grade neste período acabaram por gerar os chamados capítulos “A” – quando um capítulo escrito pelo autor é dividido em dois na edição, ocupando dois dias de exibição. Nos resumos da Globo, constam o 61A, 67A, 70A, 74A e 78A. Além do 37A, que antecede o suicídio de Alexandre, e o 46A. Logo, “A Viagem” conta com 160 capítulos escritos e 167 exibidos.

– Em Portugal, “A Viagem” foi acusada de amedrontar crianças por conta das cenas no Vale dos Suicidas. O psiquiatra Jorge Mira Coelho afirmou em entrevista à “Folha de S.Paulo”, de 26 de janeiro de 1995, que até adultos sentiam medo da novela. Na terrinha, “A Viagem”, pela SIC, concorria com “Fera Ferida”, no ar na RTP.

– A Globo reapresentou “A Viagem” em “Vale a Pena Ver de Novo” em duas ocasiões. A primeira, entre abril e setembro de 1997, se deu no rastro do sucesso de “Mulheres de Areia” na faixa. O folhetim registrou 25 pontos de média final, na Grande São Paulo. Em sua penúltima semana, marcou 29 ante 30 de “O Amor Está No Ar”, cartaz inédito das 18h, em seus cinco últimos capítulos. Já em seu desfecho, “A Viagem” empatou, com os mesmos 29, com os episódios de estreia do remake de “Anjo Mau”. O último capítulo da reprise chegou a 34 pontos, configurando a terceira maior audiência daquele dia na Globo, atrás apenas de “A Indomada” (46), às 20h, e do “Jornal Nacional” (43).

– Em 2006, com “Porto dos Milagres” (2001) considerada inadequada para o ‘Vale a Pena’ pelo Ministério da Justiça, “A Viagem” voltou ao ar novamente. Desta vez, 22 pontos de média final e 13 capítulos a mais do que o primeiro repeteco (113 a 100). Em 2012, foi novamente reapresentada nas tardes da Globo, em um compacto de cinco capítulos exibido no quadro “Novelão”, do “Vídeo Show”.


Chamada para o “Reviva”, do Canal Viva, sobre “A Viagem” (Imagem: Reprodução / Canal Viva)
– O Viva resgatou a novela em 2014. Prevista para a faixa da meia-noite (hoje, 23h30), “A Viagem” acabou remanejada para 14h30 diante dos protestos de uma parcela do público que preferia “clássicos” no horário dito “mais nobre” do canal, então ocupado por “Água Viva” (1980). Com “Dancin’ Days” (1978), à meia-noite, e “História de Amor” (1995), às 15h30, a trana formou uma das trincas mais bem-sucedidas do Viva.

– O curioso é que, antes de mudar de horário, “A Viagem” estrelou uma edição do programa “Reviva”, com Antonio Fagundes e Christiane Torloni, no ar em 30 de dezembro de 2013, que a anunciava como principal novidade do ano seguinte.

De olho nos detalhes

11 de abril

Há 24 anos estreava # A Viagem, remake de imenso sucesso da saudosa Ivani Ribeiro e sempre lembrado pelos fãs de teledramaturgia. A primeira novela que contou com a torcida do público para o mocinho morrer para se encontrar com a mocinha no "céu". Christiane Torloni e Antônio Fagundes encantaram com o romance de Diná e Otávio, enquanto Guilherme Fontes viveu seu melhor momento como o espírito maligno Alexandre. 

O elenco ainda contou com Miguel Falabella, Laura Cardoso, Nair Bello, Andrea Beltrão, Yara Cortes, Claudio Cavalcanti, entre tantos outros. Saudades.

Por Natália Boere

Publicado na revista da TV 
Edição de 13/07/2014
do jornal Correio da Paraíba.

bol
2018-04-11
TopBuzz.com

RD1
2018-04-12
TopBuzz.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário